Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (17 votes, average: 9.88 out of 10)
Loading ... Loading ...

Castelo de Praga

Depois de muito tempo longe deste “blogteco” (entenderam o trocadilho? ahm, ahm, ahm…), estou de novo dando as caras e posso lhes dizer que tenho hoje uma boa bagagem sobre cerveja, o que me gabarita a falar, sem muita modéstia, sobre as MARAVILHOSAS cervejas Tchecas.

Explico. Nos últimos 5 meses estive viajando pela Europa, e por empatia ao lugar, morei 4 meses em Praga, na República Tcheca.

Mulheres, cervejas e até SPA

SPA de cerveja

A primeira coisa que notei (mentira, porque a primeira foram as mulheres maravilhosas) foi a cultura de se beber cerveja, faça frio ou faça sol, seja no bar ou no parque, passeando com as crianças. O povo lá bebe mais cerveja do que água, sem exagero algum. Inclusive nas refeições, bebe-se cerveja. Tem gente até que chama cerveja de “pão liquido”. Sem falar nos spas que utilizam a cerveja como forma de relaxamento.

Mulheres Tchecas bebendo cerveja

Então, como curioso que sou, fui averiguar o porque dessa paixão. Ao primeiro gole eu disse: PUTA MERDA, é bom pra caceta! Daí passei a compreender e, logicamente, querer experimentar TODAS. O que, devo dizer, é impossível, porque existem muitos tipos de cerveja no país, e algumas cidades tem suas próprias “home-made”, praticamente artesanais.

Cerveja quente? Lenda

Lata de cerveja com fogo

AH! Esse papo de cerveja quente é lenda! Um absurdo, pra falar a verdade! Até porque, no verão as temperaturas chegam a 34, 35°C.

Era uma vez uma república…

Castelo de Praga

Mas pra ambienta-los, contarei primeiro um pouco da história desse país com a cerveja.

A história da fabricação da cerveja na República Tcheca data do século XIII. A primeira cerveja feita na região onde hoje é o país data do ano de 1118, onde hoje se encontra a cidade de Brno. Em tempos medievais, o direito de fabricar cerveja era concedido pelo rei e era um privilégio, mas ao contrário de muitos outros países, muitas cidades e até mesmo pequenos vilarejos da antiga Tchecoslováquia tinham seu próprio processo de fermentação para a produção de cervejas especiais.

Esta realidade possibilitou uma enorme variedade de sabores que podem ser encontrados no país – ampla variedade de cores, conteúdo alcoólico e sabor.

Pilsner e Budweiser

Outra coisa interessante na história dessas maravilhosas cervejas é que muita gente não sabe, mas os nomes Pilsner e Budweiser são de origem tcheca. Pilsner originalmente era um termo específico para a cerveja fabricada em Plzeň, uma cidade localizada na região da Bohemia, leste da República Tcheca, com Pilsner Urquell sendo registrada como a primeira cervejaria da cidade, e Budweiser era o nome que se dava para a cerveja fabricada em České Budějovice, sendo hoje a mais famosa cerveja, Budweiser Budvar.

Ambos os termos têm perdido o seu significado original por diferentes motivos. Pilsner, pois todas as imitações do estilo original (especialmente na Alemanha, onde o estilo se tornou extremamente comum) utilizaram o nome como sendo o tipo ou qualidade.

O nome Budweiser se popularizou devido à cervejaria americana homônima, criada por um imigrante alemão. O problema é que o nome Budweiser Bier historicamente não pertence à cervejaria americana, uma vez que foi utilizado pela primeira vez em 1802 pelo “Burgess Brewery”, a qual exportava sua cerveja sob esse nome, para os EUA, em 1875, enquanto a Anheuser-Busch começou operação em 1876 e o seu primeiro registro da marca data de 16 de julho 1878 (feita por Conrad C. como Budweiser Lager Bier e transferidos para a empresa em 27 de janeiro 1891).

Em 1911 foi feito um acordo onde a Anheuser-Busch poderiam utilizar o nome Budweiser na América do Norte porém em 1939 ela foi proibida de usar Budweiser, pela cervejarias da cidade de origem. Atualmente, a Anheuser-Busch está estendendo o primeiro acordo através de várias ações judiciais.

As favoritas

Bom, chega de lenga-lenga porque eu sei que vocês querem mesmo é saber se são realmente boas ou não. Para facilitar a minha vida e não tornar a leitura maçante, escolhi 5 tipos, os meus preferidos, tanto por sabor como por custo/benefício. Talvez eu esteja sendo injusto, deixando essa ou aquela de fora desse “review”… quem sabe numa próxima??!!

Então o Oscar vai para:

Pilsner Urquel 12°

Garrafa da cerveja Pilsner Urquel 12°

A minha favorita. Feita em Plzeň, uma cidade universitária, essa cerveja é considerada a melhor cerveja tcheca. Uma cerveja clara, com espuma muito cremosa, um aroma floral, levemente amarga e muito saborosa. Definitivamente não é uma cerveja para se refrescar e sim apreciar, como um bom vinho. É uma cerveja mais cara.

Staropramen 10°

Garrafa da cerveja Staropramen 10°

Uma cerveja para refrescar. Graças o seu inconfundível sabor, fino aroma de cereais e levíssima amargura, essa cerveja é ótima tanto para os dias quentes como para encher a cara e não se sentir empapuçado. Fabricada em Praga.

Gambrinus 10°

Garrafa da cerveja Gambrinus 10°

A cerveja mais vendida nos beer-gardens, os bares de cerveja dos parques. E o motivo para isso é porque a Gambrinus consegue ser ao mesmo tempo leve, refrescante, saborosa e barata. Também levemente amarga. Sua espuma não é tão cremosa quanto as outras também, mas se você quer sentar num parque pra ver o por do sol, esta cerveja de Plzeň será a sua escolha!

Budweiser Budvar 12°

Garrafa da cerveja Budweiser Budvar 12°

Fabricada em České Budějovice, é uma cerveja mais no estilo da Pilsner Urquel. Encorpada, um pouco mais adocicada e de aroma floral também. Porém ela decepciona um pouco, pois sua garrafa nos remete a algo melhor que seu conteúdo. Mas não deixa de ser muito saborosa, valendo a pena aprecia-la.

Branik 10°

Garrafa da cerveja Branik 10°

Feita em Praga, esta cerveja foi escolhida pelo custo/benefício, pois é uma das cervejas mais baratas (algo entre1 e 2 reais a de 500ml), sem ser ruim. Extremamente leve, meio amarga, mas se bem gelada, também é uma ótima pedida no calor.

Não podemos esquecer…

Além dessas, eu poderia citar ainda a Zlatopramen, Starobrno, Krušovice, Radegast, entre outras, mas são muitas, então eu recomendo, quem tiver a oportunidade, vá a Praga, uma cidade lindíssima, visite lugares históricos, os parques naturais e não deixe de apreciar as cervejas! E fica a dica pra quem não bebe álcool: as cervejas sem álcool também são maravilhosas!

Ps.: numa outra coluna eu explico como funciona a graduação das cervejas européias, pois não são graduadas pelo teor alcoólico.

Fontes:
www.czechtrade.com.br
Wikipédia

Sobre o Autor

O que lhe falta em dedos sobra em disposição para uma boa degustação agressiva de cerveja. Cervejeiro, whiskeiro, vodkeiro e mulherzeiro, adora teorizar sobre as coisas que consome. E sabe apreciar as coisas boas e virar tampando o nariz as coisas ruins.

  • http://silencio-do-dizer.blogspot.com Gustavo Braga

    Realmente a “Česká republika” é um local inacreditável, com suas histórias, belas vistas e principalmente suas bebidas. Além das cervejas ditas acima, gostaria de citar o delicioso ABSINTO que o país produz.
    Tudo de primeira qualidade! Pra botequeiro algum botar defeito!

    Segue o link pra quem quiser dar uma espiada ou até encomendar uma birita!

    http://www.absinthesupply.com/

  • Luiz.

    Nínguem me tira da cabeça que todo o leste europeu, a Irlanda e a Holanda são os melhores lugares do mundo.

  • http://alfalse.wordpress.com Vinícius [alfalse"]

    É tresdê, curti ainda mais seu review por já ter ouvido suas histórias tchecas no nerdcast!

    Agora dá licença que vou procurar essas cervejas aqui na minha cidade, uheauheuheuh

  • Anthony Rocha

    Suveja tambem não curto não, mas cerveja não tem coisa melhor.

  • http://www.serendipidade.com Fabio Cipriani

    Salve,

    A graduação plato não é assim tão popular na europa ocidental. Na europa central (principalmente na Rep. Tcheca e Eslováquia) é mais popular que nos outros países que os circundam.

    No fundo todo mundo aqui está usando a graduação alcoólica mesmo, mesmo a alemanha que teve parte no desenvolvimento da graduação plato.

    Abs

  • http://www.estacazero.com/ Leonardo Burlamaqui

    Caramba, depois de ler este ótimo post, definitivamente vou precisar dar um pulo em Praga e fazer uma longa degustação de cervejas. :P

  • Beicom

    Gostei e olho que eu nem curto suveja :-)

  • http://escaravelhoandarilho.com rodrigo

    Esta Budvar e muito boa!! Sou fan desta!!! rs

  • Dudu W

    Experimentei as duas primeiras quando estive em Praga. São excelentes cervejas, sem nada mais a acrescentar…

  • http://mattmiraimp3.4shared.com Matheus Munzi

    Estou aguardando a explicação da graduação!

  • ilo

    local onde eu fui feliz. cerveja mais barata que água e de excelente qualidade… ai saudades da cerva tcheca.

  • Carl Munhoz

    pessoal,indescritivel a beleza de Praga! muito me surpreendeu… a abertura depois que deixou de ser comunista em 1964 deixou a cidade mais globalizada!
    Vale a pena conhecer…insistam nisso!

  • http://universoalternativo.com.br Luís Gomes

    Ei!
    E a Czechvar? Onde fica?

    • Afonso Tresdê

      A Czechvar é o antigo nome da Budweiser Budvar! Repare no rótulo, é o mesmo!

  • Pingback: Objetivos – 1ª Parte « OMagnataFrugal

  • Pingback: Skol 360, uma proposta diferente › Papo de Bar. Sua revista oficial sobre Bebidas Alcoólicas.

  • Pingback: Cerveja Pilsner Urquell chega ao mercado brasileiro › Papo de Bar. Sua revista oficial sobre Bebidas Alcoólicas.

  • Luiz alberto

    Bebi a Pilsner Urquel quando estive em Praga. É extraordinariamente gostosa.
    Vale lembrar também que Praga é uma cidade deslumbrante, não poderia ter uma cerveja abaixo do seu porte.

  • Pingback: Kina do Feijão Verde