1842 – A cerveja mais antiga do mundo

“Historiadores descobriram no fundo do mar, em um navio, a cerveja mais antiga do mundo, a Stallhagen Historic Beer 1842. Reproduziram algumas garrafas.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (3 votes, average: 9.33 out of 10)
Loading...

Fala galera PdB! Vamos falar de história! Vocês leram que foi encontrada a cerveja mais antiga do mundo? E ela tem 170 anos! Meio velhinha, mas ainda intacta 😉 Imaginem! Vamos mergulhar e futucar nos restos de um navio que naufragou em 1842 e… lá estão 5 garrafas de cerveja e 145 de champagne. Ouro líquido, literalmente!

Numa vila na Finlândia, chamada Foglo, composta por 90% de água e gelo, em 2010, alguns mergulhadores finlandeses e suecos, acharam os restos do navio que ali havia afundado (que ninguém sabe ainda de onde veio e para onde ia) e nesses restos a cerveja mais antiga do mundo!

Já fora do mar, uma das garrafas se quebrou e a galera teve a chance de provar o líquido e identificar que se tratava de uma cerveja. Outras garrafas foram abertas para que tudo fosse bem analisado e por estar na escuridão do fundo do mar e sob uma forte pressão, a conservação foi até boa, pensando em 170 anos. Na época era costume reservar cerveja em barris e já que estas estavam engarrafadas, supõe-se que seja algo especial.

Especialmente a cerveja mais antiga do mundo

Cerveja mais antiga do mundo

Tão especial que alguns cientistas do Centro de Pesquisas Técnicas junto com a cervejaria finlandesa Stallhagen e parceria com a Universidade de Leuven, na Bélgica, onde são realizados respeitados estudos sobre cerveja, resolveram ressuscitar e cerveja. Usando microorganismos retirados das garrafas encontradas, renasceu a Stallhagen Historic Beer 1842!

As pesquisas feitas, indicaram que a cerveja possuía traçõs de cravo, rosas e amêndoas, com aromas e sabores mais ácidos e frutados. O mestre cervejeiro, Mats Ekholm, a compara com uma cerveja belga de fermentação selvagem, que se dá quando não há intervenção direta do produtor e sim os microorganismos responsáveis pela fermentação agindo livremente.

Foram produzidas 2 mil garrafas que estão sendo vendidas a 113 euros, nos cruzeiros da companhia Viking Lines. A 1ª será leiloada via facebook e o valor arrecadado será destinado a novas pesquisas arqueológicas marinhas. Muito nobre!

Finalizando

Acho incríveis essas descobertas feitas dentro do mar! Deve haver vários navios no fundo do oceano com material muito interessante a ser descoberto. Eu gostaria muito de provar a cerveja mais antiga do mundo! Vocês não?

Aquele abraço!

Fonte: O Globo

Você também gostará desses

Toma, chucrutz: Brasil já é 4º maior produtor de c... O Brasil se tornou o quarto maior produtor de cerveja do mundo, superando a Alemanha e ficando atrás somente da China, EUA e Rússia. A Ambev lidera co...
Coolerpack – O novo pack da Heineken Confira o Coolerpack, o novo pack da Heineken que substitui o famoso isopor ou o clássico cooler de cerveja que você colocar o gelo e põe a cerveja pr...
Ovos de Páscoa alcoólicos Kopenhagen Com a proximidade da páscoa, a Kopenhagen surpreendeu e lançou 3 ovos de páscoa alcoólicos, inclusive um com a premiadíssima Wäls Petroleum. Confira!...
Cervejas em garrafa da Academia Barbante de Cervej... A Academia, em parceria com a Krug Bier, de Belo Horizonte, lançou seu primeiro lote de garrafas da Primavera (Witbier) e da Autunno (Tripel), receita...
A Cultura cervejeira Belga é Patrimônio Cultural d... A Cultura cervejeira Belga foi considerada patrimônio cultural da humanidade pela UNESCO. Confira o que muda nessa cultura adorada por todos.
Skol 360, uma proposta diferente Opinião do Papo de Bar sobre o novo produto da Skol, a Skol 360, uma cerveja com uma proposta nova, de não empapuçar, não deixar a pança estufada. Con...

Compartilhe: