Assim já é demais...

Alcoolismo não tem mais demissão por justa causa

“Temos agora há caminho da aprovação na Câmara, um novo projeto, onde alcoolismo não é considerado justa causa na hora de chutar o traseiro do companheiro no trabalho.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (7 votes, average: 8.43 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

É, os bêbados também possuem direitos. Se você achava que não podia chegar de nariz vermelho e cheiro de cachaça no trabalho, prepara-se para mudar seu conceito agora.

Brincadeiras a parte, você sabe o que realmente é o alcoolismo, ou apenas encara isso como um mendigo sujo sem juízo, sem mais o que fazer da vida e que não larga a ‘mardita’?

Alcoolismo é doença

Para a CLT o alcoolismo é visto como motivo suficiente para realizar a demissão por justa causa, e você o que acha disso meu caro bebedor?

Vamos à teoria

Alcoolismo “…é definido como o consumo excessivode bebidas alcoólicas ao ponto que este comportamento interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa.”, alcoolismo é doença e não uma opção de vida!

Novo projeto

Temos agora há caminho da aprovação na Câmara, um novo projeto, onde alcoolismo não é considerado justa causa na hora de chutar o traseiro do companheiro no trabalho.

O bacana do projeto é que visa ajudar a pessoa, porque só não será considerada justa causa, se o beberrão aceitar tratamento, caso contrário, R-U-A. Com isso, a previdência garantirá ao empregado auxílio-doença e estabilidade provisória por 12 meses após o termino do benefício.

O papo é sério, mas é bem interessante, já que o alcoolismo é uma doença, e como tantas outras existem toneladas de preconceito em cima do cidadão. Vocês podem achar que estou escrevendo um tanto de besteiras, mas a meu ver, alcoolismo atrapalha tanto quanto outro tipo de vício, por exemplo.

Imagina a rotina de um fumante em uma empresa simples, um prédio de 10 andares: Você pára o seu trabalho, desce 10 andares, fica uns 2 minutos fumando, troca uma idéia com a recepcionista gostosa da empresa, espera o elevador, chega ao seu andar, pega um copo d’água, canta a colega de trabalho que foi trabalhar com um tubinho(vestido colado) e volta para sua humilde mesa, pensa bem!

Assim já é demais...

Olha o tempo perdido… Isso também atrapalha seu desenvolvimento, não é mesmo? E não vem falar que fumante que fica sem fumar não dica descontrolado como um bêbado, porque eu já muita gente sem nem conseguir pensar, só porque ainda não tinha fumado no dia… E também já vi muito bêbado só parado e calado… A coisa toda é bem relativa (minha opinião).

Mas vamos lá Lady, sem perder o foco!

Voltando ao alcoolismo e já finalizando… Termino o post com a frase dita pelo autor do projeto, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ):

O alcoolismo, já há tempos, deixou de ser tido na conta de uma falha moral e foi reconhecido como a severa e altamente incapacitante moléstia que realmente é. No entanto, a legislação social brasileira não acompanhou essa evolução.

E você, o que acha deste novo projeto?

Tags:

Compartilhe:

  • Leonardo Rechberger

    legal a idéia , ótimo post , parabéns

  • Apesar de achar que o que cada um faz fora do seu horário de trabalho não diz respeito a ninguém, faz muito sentido essa lei. Porque, veja só: eu encho a cara e perco meu emprego. Fico deprimida por estar sem emprego e vou beber mais ainda. Ou seja, tirar o emprego da pessoa não ajuda em nada. Quem bebe por vício mesmo, precisa de tratamento, não de mais tempo livre para continuar bebendo.
    Até conheço uma pessoa que estava (está) na corda bamba por conta do acoolismo e já repeti várias vezes que ela (e qualquer outro que seja viciado em qualquer coisa) tem que querer se tratar. Não é tirando o cargo dela que vamos ajudar em alguma coisa e se ela faz o trabalho dela direito, deixa ela beber já que ela não quer parar de jeito nenhum.
    Espero realmente que essa lei funcione. E aí se o bebum não quiser se tratar, já é outro papo…

    • Marcio

      Nao e a empresa que tem que ajudar. funcionario tem que justificar seu salario trabalhando. se ele nao produz, seja por qual motivo. nao vai ser a empresa que vai ter que ficar ajudando, mantendo o emprego para o individuo nao se prejudicar ainda mais.

      • Leonardo Piorkowsky

        Claro, no mínimo você é um preconceituoso capitalista que só visa o lucro e a perspectiva da empresa, passando por cima de tudo e todos que você possa julgar incompetentes, por que pra você o que importa é os resultados e funix se a pessoa não teve a educação adequada funix se ela se pegou viciada ou dependente de um “escape psíquico” funix os problemas passados e futuros que ela teve e terá. O que te importa é o resultado dos esforços e suores alheios para que você possa subir na sua vida por que você teve uma educação diferente. Só digo:
        Vai la robô do sistema, quando você tiver dedicado toda a sua vida a puxar o saco de algum chefe ou a uma empresa. Lembre-se que do nada um meteoro pode atingir a terra ou o tempo passar e quando perceber vai estar velho sem ninguém sem amigos apenas com suas responsabilidades e obrigações para te fazerem afunda-se em comprimidos anti-depressivos e calmantes que vão corroer o teu fígado pâncreas e estômago igual a cachaça que eu tomo diária-mente.
        pelo menos eu sou feliz e não hipócrita. good game.

  • Totem

    Minha família já empregou um alcoolatra… Demos todas as chances pra ele… Uma vez ele saiu com uma das motos da loja, e bateu… Chegava atrasado todos os dias… Era um cara bom e inteligente… Minha família tentou… Mas porra, sem condições né??

  • Fica complicado Totem. Vocês até foram legais em abrir uma brecha pra ele e aguentar, tentando mostrar o caminho. Mas realmente fica difícil manter um alcoólatra como funcionário.

    Pior que tem uns que reclamam que não o mandaram pra um centro de ajuda ou algo assim, mas qnd manda o cara não acompanha, não se esforça.

    É uma situação bem complicada.

  • Luke

    Lady Margarita e Mila, trabalhei muitos anos na area trabalhista e vi alguns casos de alcoolismo (nunca tive que demitir ninguem por justa causa por esse motivo, sempre foram demissoes normais afim de nao prejudicar o funcionario), vcs estao vendo o alcoolatra como uma pessoa que somente toma umas e outras, nao e bem por ai, para se demitir uma pessoa por justa causa tem de se avisar 2 vezes, o chamado “gancho”, na terceira e demissao. O alcoolatra, como disse nao e a pessoa que bebe de vez em quando, e a pessoa que necessita do alcool, uma pessoa realmente doente que nao pode viver sem beber (tem tremedeiras e alucinacoes pela falta do alcool). Quando vc tem uma empresa vc e responsavel pelo que o seu funcionario faz, um alcoolatra, dependendo do tipo de trabalho, poe a sua vida e a de outros em risco, e quem o contratou e solidariamente responsavel pelo que ele fizer, suponha que vc tenha uma fabrica de sapatos, o funcionario se machuca em alguma maquina por estar embriagado, e sua responsabilidade por deixa-lo trabalhar naquele estado, ou vc tem uma grafica, o funcionario embriagado estraga uma grande encomenda de um valor elevado, nao e ele quem pagara pelo prejuizo.
    Esta e somente mais uma lei eleitoreira, onde o politico pensa somente em seus votos, posando de bonzinho e esquece o quanto isso pesaria na nossa ja sobrecarregada previdencia social (eles tem previdencia propria), sem falar do lado do empresario, nao os grandes industriais, mas o pequeno empresario, que gasta tempo e dinheiro no treinamento de um funcionario substituto enquanto o outro esta em tratamento por tempo indeterminado e depois nao tem o que fazer com esse substituto, que muitas vezes se revela bem mais eficiente que o antigo.
    (peco desculpas pela falta de acentuacao, meu computador nao tem acentos.)

  • ernesto ricardo p

    o meu pai bebeu demais hoje nao trabalha porque a presao e alta tem diabete e mais outra doensa e tem filhos menores para dar de comer e nao tem renda porque a esposa tambem e doente

  • Leonardo Piorkowsky

    Fazer uma lei que ampare os “alcoólatras” não é uma má idéia, e nego o respectivo pensamentos de que a providencia teria prejuízos pois os impostos cobrados sobre bebida alcoólicas são enormes o suficiente para pagar até mais tratamentos, do que só o do alcoolismo. A grande diferença é que se você não bebe você não paga… Mas para quem bebe, já esta pagando tudo desde o começo até o final agora que existem vários tipos de alcoólatras isso não da pra negar e para um dependente de álcool é necessário sim uma ajuda e ajuda é ajuda, seja você como empresário como político se poder ajudar ajude se não poder cale sua boca e fique quieto por que pra afundar e falar mau de tudo existem muitos quero ver você abrir uma empresa só com alcoólatras e se tornar sim um grande empresário sem ofender e dispensar ninguém ajudando na recuperação dessas pessoas sem o suposto auxilio do governo. Impossível não é…
    DESCULPEM A SINCERIDADE MAS EU SOU ALCOÓLATRA NÃO DEPENDENTE E ACHO QUE A DEPENDÊNCIA SIM É UMA DOENÇA O ALCOOLISMO NÃO POR QUE VIVEMOS EM UM SISTEMA QUE SÓ NOS CORROE TEMPO A TEMPO DIA A DIA QUE MAU HÁ EM EU ADIAR ISSO COM MINHAS SUPOSTAS ILUSÕES. FAÇAMOS O BEM SEM OLHAR A QUEM !!! VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA.