Algoritmo permite identificar bêbados em multidões

“E se existisse uma tecnologia capaz de identificar bêbados em multidões!? Mais fácil controlar baderneiros? Seria invasão de privacidade? Venha debater!”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (6 votes, average: 7.67 out of 10)
Loading...

Aí você fica pensando, será mesmo possível identificar bêbados em multidões!? E para espanto de muitos eu digo: SIM!

Como encontrar os bêbados em multidões?

ratos bêbados

Créditos: astroasis

É meu nobre Rhinella icterica (na beira do rio), e você achando que poderia ficar loucão, aprontando todas por aí no carnaval e ninguém iria descobrir o seu estado alcoólico, não é mesmo!?

que não! Os nobres Georgia Koukiou e Vassilis Anastassopoulos da universidade de Patras, na Grécia, acabaram com o nosso anonimato.

Eles desenvolveram um software que consegue identificar e classificar os níveis de embriaguez das pessoas através de imagens termais (infravermelho).

Mas como é que funciona isso?

bêbados em multidões

Pera, isso aqui é biotônico fontoura!

Na verdade, o princípio da ideia deles é bem simples.

Como sabemos, ao ingerir álcool, nossos vasos se dilatam e quantidade de sangue que corre por esses vasos aumenta.

Esse aumento peculiar da pressão sanguínea, aumenta a temperatura do corpo em diversos pontos. O algorítimo que eles desenvolveram, analisa 21 pontos diferentes no rosto de uma pessoa, e faz um comparativo dos níveis de temperatura, identificando assim os ébrios dos sóbrios. Não é genial!?

Finalizando

bêbados em multidões

O que você acha do meu tom de pele?

Minha opinião a respeito desse tipo de tecnologia é muito positiva.

Vivemos em uma sociedade de excessos perigosos, onde pessoas bebem, dirigem, operam ferramentas e outras coisas que podem ser muito perigosas para outras pessoas, que nem sequer estão envolvidas.

Não há como fazer um teste com bafômetro em todas as pessoas que são suspeitas, e às vezes só se desconfia de que um individuo estava bêbado em alguma situação, depois que os efeitos já passaram.

No caso das fotos, as autoridades poderiam usar câmeras públicas e analisar as imagens quando necessário, tendo sempre uma prova “concreta” do estado etílico das pessoas.

O que vocês acham? Vale o debate?

Fonte: Engadget, e o artigo original dos pesquisadores

Você também gostará desses

Diferentes tipos de rolhas de vinho Conheça os diferentes tipos de rolhas de vinho, suas utilidades, vantagens e desvantagens. Rolhas de cortiça, tampas de rosca, rolhas sintéticas, etc....
Bebidas que matam! Em Moçambique, na África, 56 pessoas morreram após beber uma cerveja contaminada e em Nova Déli, na Índia, 27 pessoas morreram por causa de um whisky ...
Música e cerveja: Uma música e cinco níveis etílic... A banda Moones documentou um desafio: tocar uma música em cinco níveis alcoólicos diferentes. Começa no nível "sem álcool", depois com 20, 40, 60 e 80...
Cadê minha cerveja? Um TCC sobre copos de cerveja ... Um artigo falando sobre o surgimento dos estabelecimentos que vendiam cerveja. Com o consumo lá em cima, muitos exageram, proibições, leis, dentre out...
Cerveja para crianças beberem, dia das crianças Os japoneses agora criam uma cerveja para as crianças. Mas claro, sem álcool para não prejudicar nossas crianças e não se ferrarem com a justiça. Conf...
Fotos indesejáveis: comofaz!? Sabe aquelas fotos indesejáveis que as pessoas tiram nas baladas/nights !? Seus problemas acabaram! Esse é o balde de cerveja que te salva de problema...

Compartilhe: