Cachaças, aviões e o preconceito

Homem dentro de um aviãoCréditos: Eridiane Lopes da Silva

Fala sedento!

Muita gente tem medo de viajar de avião e inventa diferentes maneiras de driblar esse incômodo. Uns tomam remédios, rezam, leem, fazem palavras cruzadas e outros bebem. Muitos bebem, eu diria. Em muito tempo viajando por aí (se você me acompanha aqui no Papo de Bar pode ver que já narrei algumas dessas viagens), nunca tive medo de aviões.

Ao contrário, gosto muito. Mas já vi muitos tipos diferentes de reações ao medo de voar. Já tive que ficar conversando com uma senhora que dizia que se parasse de falar, desmaiava (paciência chinesa) e quase tive a mão amputada por falta de circulação de tanto que uma outra mulher apertou meu pulso na decolagem e no pouso.

Ah sim, os bêbados…

Claro, já me deparei com alguns bêbados. Uns bem tranquilos e outros bem chatos. Normal. O álcool tem aquela propriedade mágica que nos deixa mais confiantes. Alguns tão confiantes que perdem a noção do perigo e acabam arrumando confusão. Falando em confusão, um dia desses estava navegando pela internet e me deparei com este vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=gmPzdcX3vuQ

Essa eu nunca tive a sorte de presenciar e dei muita risada ao ver o sujeito “filosofando” daquele jeito. Mas depois eu fiquei pensando no lado social da coisa: Percebam que o cara repetiu mais de uma vez que ele é preto, que é inferior, que os brancos são isso e aquilo e que são melhores que os negros.

Não quero entrar na questão do preconceito racial, mas tem uma passagem que deixou a mim, como bom apreciador que sou, um tanto quanto intrigado e preocupado. Prestou atenção no que ele fala que bebe? Sim, meu amigos, CACHAÇA. Agora sim, eu posso falar sobre preconceito.

Chegamos no ponto, a cachaça

Homem com barris de cachaçaCréditos: Renato Soares

Esse cara virou hit na internet e, com isso, ajuda a denegrir a imagem de uma bebida tão tradicional e que faz parte da cultura de nosso país. Passei a apreciar a cachaça como sendo uma das bebidas mais versáteis e importantes do mundo devido às suas características únicas e sabor inigualável. É uma bebida que não deve nada a nenhuma outra.

O problema é o maldito preconceito. Fruto de um histórico de repressão e do processo de industrialização que baixou a qualidade do produto original e popularizou a cachaça de forma negativa, barateando-a demais, esse preconceito construiu ao longo de muitos anos a imagem de que a cachaça é bebida de gente desqualificada.

Desqualificada porra nenhuma…

Seu Anisio Santiago segurando a cachaça

Grande Havana Anísio Santiago

Não, meus caros, não é. Desde que você beba com responsabilidade, conheça seus limites e não faça da cachaça uma muleta para seus problemas, pode ajudar a desfazer essa ideia errada do resto das pessoas. Não há nada de errado em beber uma ou outra dose para relaxar, basta que não faça disso um motivo para incomodar todos à sua volta.

Aproveitando o gancho das campanhas políticas: vamos mudar a imagem da cachaça, pelo orgulho de algo que é feito aqui!

É isso. No mais, continue consumindo a boa e genuína cachaça, NUNCA dirija depois de beber e até a próxima.

Você também gostará desses

Ressaca Moral Pior que uma ressaca de bebida é uma ressaca moral. Pior que terminar um relacionamento normal é terminar um relacionamento com uma amante. E depois c...
Vai uma purinha? Nosso cachaceiro de plantão inicia seus posts mostrando um pouco da história da cachaça, suas qualidades, preconceitos antigos, entre outras curiosida...
Era Uma Vez o Acabado – 2 Moya leva a lolita ruiva para um boteco pé sujo, mostra uma outra cara do Rio e seus valores. Joga uma sinuca, vai pra casa dela, dá café na cama e tu...
Identidade, por favor? Uma história de bêbado com bebidas, crianças chatas, medo de avião, velhas vomitando, carteira de identidade que foi perdida, dentre outros perrengues...
A saga de Jeremy envolvendo abuso de poder e batid... Mais uma saga de nosso Jeremy rumo a uma das mais famosas batidas do Rio, a do Oswaldo. Passagem na delegacia, abuso de autoridade e muito mais.
Cachaceiro frito. Jeremy Joseph na rave. Jeremy conta sua experiência etílica numa mistura de cachaça com Rave. Dá pra imaginar que não prestou muito certo?