Cafajeste

Créditos: MUSSE2009

Eu estava sentado, sozinho, na mesa daquele mesmo bar de sempre quando ela veio puxar assunto. Logo no início o assunto é daqueles que fazem o homem se ajeitar na cadeira:

  • – Eu acho essa música muito corta tesão!

Direta ao ponto

Ela estava se referindo ao carro que estava de porta-malas aberto. De dentro dele saía um som que agradava somente ao dono e seus amigos. Todos ali estavam bêbados de vodka com energético. Eu não estava menos sóbrio, mas apenas consumira uma garrafa de cerveja e dois copos de uma boa cachaça.

  • – Não acha que para a mulher ficar mais a vontade o som tinha que ser algo mais trabalhado? Uma boa criação instrumental ou um bom vocal sensual fazem diferença. É esse tipo de coisa que banaliza o sexo e rebaixa a mulher à um depósito de esperma.
Não perdem tempo

Não perdem tempo

Só me restava concordar. O som realmente falava sobre coisas obscenas, mas em nada a música estimulava. Perguntei à ela o tipo de som que ela levaria para a cama e, sem pudores, ela respondeu:

  • – Levaria o Chico Buarque, Ella Fitzgerald, Sade ou Billie Holliday.
  • – Você curte mulheres também, ou só mulheres? – não pude hesitar em perguntar.
  • – Curto tudo, desde que seja prazeroso – ela respondeu.

Agora fodeo…

Aceito qq coisa...

Nesse momento não tinha mais posição. Ela, percebendo meu incômodo, puxou uma cadeira e sentou à minha frente. Reparava que no rosto dela tinha uma expressão de felicidade. Só então fui notar a figura de cabelo curto, pele branca, seios fartos e curvas generosas, mas sem exagero.

  • – E você? E o que curte levar para cama? – perguntou querendo me intimidar.
  • – Champanhe, morango e vinho – respondi sem pensar.
  • – Deu para notar que você é daqueles que gostam de beber! Me conte mais sobre você, homem-misterioso.
  • – Em primeiro lugar, homem não se mede pelas palavras, mas pelos atos, em segundo, é típico do escorpiano ser misterioso. Se depender de mim, vou te mostrar só a parte que me interessa.

Recebido o troco

Ela se ajeitou na cadeira e pediu um copo de cerveja e outro de cachaça, assim como eu. Percebi que tinha sido inconveniente, mas preciso no comentário. Estava somente revidando. De certa forma, tanto fiz bem que ela passou a colocar o cabelo por de trás da orelha. É a redenção da loba. Ela se aquieta como se estivesse acuada.

  • – Parou de falar ou precisa ficar em pé? – ela abre os olhos de espanto – Vamos lá! Você não veio puxar esse assunto se não estivesse com o pensamento em outra coisa.
  • – Pois bem, conheço a sua namorada e ouço o que ela fala de você. Quero saber se é verdade – ela fala quase que desabafando – Quero ir para a cama com você!
  • – Ela não está em casa hoje. Se quiser, pague-me umas cervejas e vamos para a minha casa. Lá eu te mostro o que é verdade ou mentira.
  • – Ok – ela responde com um sorriso gigante.

E pra finalizar, o fatality…

Hasta la vista, baby...

Hasta la vista, baby...

Falamos sobre sexo por horas. Posições, o que ela gostava, como eu fazia. Em nenhum momento trocamos de assunto. Ao final da noite, quando ela já estava bem bêbada e eu ainda achava um ponto de equilíbrio, eu disse:

  • – Três coisas.
  • – Diga…
  • – Sobre minha atuação sexual, pode ter certeza que a minha namorada está correta. Sobre irmos à minha casa, você está enganada que a levaria para a cama. E terceira, obrigado pela cerveja.

Levantei e fui embora sem olhar para trás, somente imaginando a insatisfação estampada em seu rosto. Tinha tomado a decisão quando estava no sexto copo de cachaça. Não poderia desmentir a minha namorada. Mesmo assim, fiz questão de manter o mito vivo. Segui para a minha casa pensando “Ela ainda vai sonhar comigo”.

Você também gostará desses

Da Internet Para A Vida A internet é uma mãe para os tímidos e principalmente para os feiosos. O problema é quando chega a hora de se conhecer pessoalmente. Principalmente pr...
Juliana Problema: Capítulo 3 Terceiro capítulo da novela Juliana Problema. Juliana vai até a casa do namorado, o vê fumando, dá alguns ataques, mas no final tudo fica bem. Confira...
Ô lá em casa Os problemas de se ter um relacionamento com uma mulher que não bebe. Você não pode ir num boteco, tem que dormir no sofá, entre outras patadas. Confi...
50 Tons de Tinder – Encontro 2 “Quem se define, se limita” é uma clássica frase para quem usa apps como Tinder. Armando conta como foi seu encontro com uma delas.
Foliões – Parte 2 O segundo episódio do conto etílico carnavallesco conta a história de Armando na Fanfarra Black Clube com sua namorada encontrando sua ex peguete.
Juliana Problema: Capítulo 5 Quinto capítulo da novela etílica, Juliana Problema. Moya chega na festa havaiana, encontra seu chefe e seu sogro. Confira mais um capítulo!