Cafajeste

“Mais um papo de cafajeste, envolvendo mulheres, traições, amigas de mulheres, provocações, papo sobre sexo, bebidas e um final inesperado nessa saga...”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (12 votes, average: 9.42 out of 10)
Loading...

Créditos: MUSSE2009

Eu estava sentado, sozinho, na mesa daquele mesmo bar de sempre quando ela veio puxar assunto. Logo no início o assunto é daqueles que fazem o homem se ajeitar na cadeira:

  • – Eu acho essa música muito corta tesão!

Direta ao ponto

Ela estava se referindo ao carro que estava de porta-malas aberto. De dentro dele saía um som que agradava somente ao dono e seus amigos. Todos ali estavam bêbados de vodka com energético. Eu não estava menos sóbrio, mas apenas consumira uma garrafa de cerveja e dois copos de uma boa cachaça.

  • – Não acha que para a mulher ficar mais a vontade o som tinha que ser algo mais trabalhado? Uma boa criação instrumental ou um bom vocal sensual fazem diferença. É esse tipo de coisa que banaliza o sexo e rebaixa a mulher à um depósito de esperma.
Não perdem tempo

Não perdem tempo

Só me restava concordar. O som realmente falava sobre coisas obscenas, mas em nada a música estimulava. Perguntei à ela o tipo de som que ela levaria para a cama e, sem pudores, ela respondeu:

  • – Levaria o Chico Buarque, Ella Fitzgerald, Sade ou Billie Holliday.
  • – Você curte mulheres também, ou só mulheres? – não pude hesitar em perguntar.
  • – Curto tudo, desde que seja prazeroso – ela respondeu.

Agora fodeo…

[ /caption]

Nesse momento não tinha mais posição. Ela, percebendo meu incômodo, puxou uma cadeira e sentou à minha frente. Reparava que no rosto dela tinha uma expressão de felicidade. Só então fui notar a figura de cabelo curto, pele branca, seios fartos e curvas generosas, mas sem exagero.

  • – E você? E o que curte levar para cama? – perguntou querendo me intimidar.
  • – Champanhe, morango e vinho – respondi sem pensar.
  • – Deu para notar que você é daqueles que gostam de beber! Me conte mais sobre você, homem-misterioso.
  • – Em primeiro lugar, homem não se mede pelas palavras, mas pelos atos, em segundo, é típico do escorpiano ser misterioso. Se depender de mim, vou te mostrar só a parte que me interessa.

Recebido o troco

Ela se ajeitou na cadeira e pediu um copo de cerveja e outro de cachaça, assim como eu. Percebi que tinha sido inconveniente, mas preciso no comentário. Estava somente revidando. De certa forma, tanto fiz bem que ela passou a colocar o cabelo por de trás da orelha. É a redenção da loba. Ela se aquieta como se estivesse acuada.

  • – Parou de falar ou precisa ficar em pé? – ela abre os olhos de espanto – Vamos lá! Você não veio puxar esse assunto se não estivesse com o pensamento em outra coisa.
  • – Pois bem, conheço a sua namorada e ouço o que ela fala de você. Quero saber se é verdade – ela fala quase que desabafando – Quero ir para a cama com você!
  • – Ela não está em casa hoje. Se quiser, pague-me umas cervejas e vamos para a minha casa. Lá eu te mostro o que é verdade ou mentira.
  • – Ok – ela responde com um sorriso gigante.

E pra finalizar, o fatality…

Hasta la vista, baby...

Hasta la vista, baby...

Aceito qq coisa...

Falamos sobre sexo por horas. Posições, o que ela gostava, como eu fazia. Em nenhum momento trocamos de assunto. Ao final da noite, quando ela já estava bem bêbada e eu ainda achava um ponto de equilíbrio, eu disse:

  • – Três coisas.
  • – Diga…
  • – Sobre minha atuação sexual, pode ter certeza que a minha namorada está correta. Sobre irmos à minha casa, você está enganada que a levaria para a cama. E terceira, obrigado pela cerveja.

Levantei e fui embora sem olhar para trás, somente imaginando a insatisfação estampada em seu rosto. Tinha tomado a decisão quando estava no sexto copo de cachaça. Não poderia desmentir a minha namorada. Mesmo assim, fiz questão de manter o mito vivo. Segui para a minha casa pensando “Ela ainda vai sonhar comigo”.

Você também gostará desses

Era uma Vez o Acabado – 5 Veja mais um capítulo do conto etílico Era mais uma vez o Acabado. Agora Armando recebe visita da ruivinha que pegou na Lapa e que o questiona de vári...
Foliões – Parte 1 Mais um conto etílico no ar, aproveitando a onda de carnaval, uma história real do Armando, onde ele sai com sua namorada para um bloco da Orquestra V...
50 Tons de Tinder – Apresentação Tudo vai bem num relacionamento, quando de repente, acaba tudo e temos que seguir na vida de solteirice. Pra isso temos a ajuda do aplicativo Tinder, ...
Exercícios e Argumentos Errados Quando entra em questão o stress das academias e personal trainers bonitões e fortões dando trela pra sua namorada. Um história bem humorada sobre....
Foliões – Parte 3 No terceiro episódio Armando encontra sua ex com outro ex dela num bloco na Quinta da Boa Vista. Um bocado de confusão ocorre. Confira!
Foliões – Parte 4 O quarto episódio da série Foliões segue com Armando se dando mal, como sempre. Agora ele tem que enfrentar duas opções no carnaval.

Tags:

Compartilhe:

  • Carlos Portuga

    Mto boa essa.

    Um homem chega a um bar e vê um vaso cheio de dinheiro no canto. É claro que ele pergunta:

    -Por que este vaso está cheio de dinheiro?

    E o barman:

    -Bem, você paga R$10,00 e, se passar por três testes, então terá todo o dinheiro do vaso.

    -Quais são os testes?

    – Primeiro pague. Esta é a regra.

    Então o homem pagou ao barman os R$10,00 e este o colocou a nota no vaso, com as demais.

    – Ok! Aqui está o que você deve fazer:

    Primeiro: você tem de beber toda esta garrafa de tequila apimentada, tudo de uma vez só e sem fazer nenhuma careta.

    Segundo: há um Pitbull lá fora, com um dente

    ruim, que dói muito. Você tem que arrancar o tal dente com as próprias mãos.

    Terceiro: há uma senhora de 90 anos, no segundo andar, que nunca teve um orgasmo na vida. Você terá que fazer com que ela finalmente o tenha.

    – Não posso fazer tudo isso, disse o homem… É impossível!

    Depois de algum tempo e de váaaáarias biritas, o homem perguntou:

    – Caadêê aaz tequillaah?

    O garçom deu a ele a garrafa. O homem a segurou com as duas mãos e a entornou inteira, sem fazer nenhuma careta, apesar das lágrimas que banhavam seu rosto. Depois, levantou-se com dificuldade, olhou para todos, com cara de valente, e saiu do bar em direção ao Pitbull.

    Todos escutaram os latidos do cão, os gritos do homem, uma confusão infernal, até que o Pitbull uivou longamente, por 3 minutos, e, de repente, um silêncio imenso pairou no ar…

    Todos pensaram que o homem havia morrido. Repentinamente, ele entra no bar, todo arranhado, e pergunta:

    – E agora, cadê a véia do dente ruim?

  • DIA-BLA

    HAHAHAHA ESSE POST ESTA MAIS PARA PIADA DO Q PARA FATO,QUAL EH O CARA Q TENDO UMA MINA Q KER DAR PRA ELE,RECUSA ASSIM NA CARA DURA? SE FOR VERDADE MESMO ENTAO ACHO Q ELE ESKECEU DE DIZER Q QDO BEBE MUITO BROCHA,OU NA MELHOR DAS HIPOTESES Q AMA A NAMORADA.MAS NADA FOI DITO! VIRAR AS COSTAS E NAO OLHAR PRA TRAS? AHUAHAUHAUAA SO EM BLOG MESMO E AINDA ESCRITO POR UM HOMEM,OS MENTIROSOS POR PRAZER.

  • Rodrigo

    Puuuuuuuuuuuuutz! Se isso for verdade vc destruiu com a mulher. Iradíssimo. Restou só o cara da limpeza pra carregar os cacos dela do chão. Com classe ainda. Gostei.

  • Rafael

    Gostei desse texto por que ???

    Ele fala da boca prá fora…

    Não da conta do recado…

    E acho ainda que ele precisa tomar a pirula…

    "Viagra, tarcha preta ou coisa parecida"…

    Ele tem que tomar um cimancol…

    Acho que o #$%&*@???

    E pequeno, e ele tem que para de tomar a pirola…

    Por que, acho que não vai fazer eveito no bebum mesmo…

    Nem sobe,acho que essa coca e fanta…

    …re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re,re…

  • Gordo

    Pensei que você era botequeiro nato =/

  • titof

    bravo!