Cerveja por alguns bilhões

Em tempos de crise, pelo menos aqui no Brasil, fica até estranho falar em bilhões. Mas não é o que acontece com o mercado cervejeiro por aí.

A AB Inbev (gigante do setor) pretende fazer uma proposta para a SABMiller (outra gigante do setor). Proposta essa que reuniria as duas maiores fabricantes do mundo e controlaria cerca de metade do lucro de toda a indústria cervejeira.

Oi?! o.O

A AB Inbev, fabricante da Budweiser e Stella Artois por exemplo, que detém a maior parte do mercado nas Américas, consolidando essa união, teria acesso aos mercados dominados pela SABMiller, como África, Ásia, e países como Colômbia, Equador e Peru na América Latina. Isso representa um acesso a US$ 7 Bilhões em receitas somente na África, e mais US$ 4 Bilhões na Ásia. Essa seria a maior aquisição na história da indústria cervejeira.

sabmiller e abinbev

Somente o fato de citar a possibilidade de aquisição, as ações de ambas decolaram, com a SABMiller tendo alta de 23%, aumentando seu valor de mercado em aproximadamente 60 bilhões de libras, e a AB Inbev vê seus papéis subirem 12%.

Tá, mas depois de tantos bilhões, o que acontece?

Pois bem, a notícia assusta um pouco na minha visão. A primeira coisa que vem na minha cabeça é “Monopólio de mercado”. Mas, até onde isso é nocivo ao consumidor? Será que não trará mais força ao mercado dos artesanais, como vem acontecendo nos mercados Europeus e Americanos, onde os consumidores estão preferindo cervejas artesanais, desacelerando assim as vendas?

Aguardo as conclusões de todos.

Fonte: InfoMoney

Você também gostará desses

Amstel na Libertadores da América O futebol ganha mais um patrocínio cervejeiro. Agora temos a cerveja Amstel na Libertadores da América, para reforçar a marca e seu marketing.
Brewce, um toy art cervejeiro chega ao Brasil por ... Brewce é produzido em PVC, tem a cabeça em formato de lúpulo, fixa a tampa das cervejas na barriga com um imã e pode ser adquirido pelo preço inicial ...
Heineken se torna a segunda maior cervejaria do Br... A Heineken se tornou a segunda maior cervejaria do Brasil ao comprar a gigante Brasil Kirin, que era dona da Skin, dentre outras cervejas. Confira!
Steinhaeger Becosa quer conquistar o Brasil Um destilado alemão, produzido no Brasil, busca fazer sucesso por aqui. Apresentamos algumas maneiras de beber o Steinhaeger Becosa.
Skol Beats Secret e sua garrafa vermelha Conheça a Skol Beats Secret, mais um lançamento da Skol com uma garrafa vermelha, quase completando o arco-íris com suas cervejas.
Chopp com colarinho congelado. Querido Japão: não.... A cervejaria japonesa Ichiban lançou um chopp que gela a -5 com a promessa de um colarinho na consistência de chantilly e que mantém a cerveja gelada ...