Cervejas não irão mais patrocinar festas universitárias open bar

“A Cerv Brasil proibiu que as grandes cervejarias patrocinem eventos universitários open bar, pois as festas têm o intuito de ser de consumo exagerado.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (No Ratings Yet)
Loading...
468x60 - Acessorios

Salve, salve, amigos PdBs! Uma decisão polêmica foi anunciada na última semana. A Associação Brasileira da Indústria da Cerveja, chamada de Cerv Brasil, que reúne as grandes cervejarias do país: AMBEV, Heineken Brasil, Brasil Kirin e Grupo Petrópolis, anunciou que cervejas não irão mais patrocinar festas universitárias open bar.

Com um pensamento cada vez mais responsável por parte das marcas, apoiar esse tipo de evento se torna inviável, na visão delas.

Gordo bêbado

Os frequentadores de festas open bar vão com o intuito de beber muito e passar dos limites, gerando atitudes condenáveis. Paulo Petroni, diretor da Cerv Brasil, explica:

“Na nossa visão, isso acaba estimulando o consumo abusivo, nocivo, que o setor não quer de seus consumidores” .

A ideia da Cerv Brasil é promover ações, em diferentes cidades para conscientizar os distribuidores sobre o consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes. Em nota, o grupo disse:

“A partir de agora, festas com esta característica não receberão apoio ou patrocínio por meio de fornecimento de material promocional – o que inclui mesas, cadeira, coletes, guarda-sol, etc – nem mesmo poderão exibir marcas de cervejas em seu material de promoção, o que inclui flyer, convite, site e publicidade interna e externa”.

E o que você acha?

Brinde de amigos no bar

Entendo, mas não tenho certeza se é a atitude mais correta a se tomar. Quantas festas aconteceram sem nenhum incidente? Milhares, eu diria.

Festas universitárias open bar são um patrimônio dos estudantes e ter um patrocínio só melhora o evento. Que tal as marcas fazerem ações dentro do evento que estão patrocinando?

Ficaria muito mais visível para seus consumidores e não prejudicaria as festas. Se formos pensar assim, como ficarão as festas de Reveillon? E chopadas que não são universitárias?

Finalizando

Acho que as marcas não querem e não devem mesmo querer que seus consumidores saiam de eventos, por eles patrocinados, completamente bêbados e fazendo coisas proibidas, usando a bebida como justificativa, mas o caminho pode ser outro.

Esse texto é apenas para levantar a questão e ouvir a opinião de vocês sobre o assunto. Você acha que os patrocínios a eventos open bar universitários devem acabar?

Aquele abraço!

Crédito da foto de capa: Marek Zatko

Você também gostará desses

Guinness The 1759: Guinness lança cerveja comemora... A Guinness lançou uma versão comemorativa e bem limitada, lindíssima e deliciosa Guinness The 1759, data em que o contrato da primeira fábrica foi ass...
Cerveja faz bem à saúde Quem disse que a cerveja faz mal e engorda? Estudos mostram o quanto as pessoas estão enganadas e mostra o quão bem faz a cerveja e sua matária-prima....
Cervejada nudista nos EUA Uma ideia bem louca e inusitada, uma cervejada nudista que rolará no dia 28 de junho, na cidade Palmerton, na Philadélfia. Cerveja a naturismo. O que ...
Skol 360, uma proposta diferente Opinião do Papo de Bar sobre o novo produto da Skol, a Skol 360, uma cerveja com uma proposta nova, de não empapuçar, não deixar a pança estufada. Con...
Cerveja vai ficar até 8% mais cara no verão Uma notícia trágica para os bebedores de plantão do Brasil, um aumento de até 8% no preço da cerveja. Tanto a Ambev quanto concorrentes aumentam o pre...
Skate Locker – Desperados melhora seu rolê p... A cervejaria Heineken lança uma novidade irada em São Paulo com uma de suas cervejas, a Desperados, o Skate Locker, onde você aluga skate por três hor...

Compartilhe: