Como a cerveja chegou às terras tupiniquins. Um TCC sobre Copos de cerveja – Parte 5

Nossos amigos holandeses trouxeram esse precioso líquido ao País com a Companhia das Índias Orientais. Mas quando eles vazaram em 1654, ninguém mais viu cerveja por aqui…

Cadê a cerveja?

Até que Napoleão Bonaparte, puto com Portugal porque estavam meio assim em aderir ao Bloqueio Continental à Inglaterra, mandou suas tropas invadirem o País e a Família Real Portuguesa achou melhor fugir para o Brasil, em 1807. Em 1808, D. João declarou a abertura dos portos brasileiros às nações amigas.

Abertura dos portos

Vem gentchy!

Créditos: Corvos e Caravelas

Mas nessa época, o que o povo gostava mesmo era de vinho e cachaça. Para piorar, nos primórdios, as cervejas aqui não tinham marca, pois eram vendidas diretamente dos barris.

Um lugar que ajudou a mudar esse cenário um pouco foi o Bar Luiz, que existe até hoje no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro.

Grande Bar Luiz

Bar Luiz

Bar Luiz

Créditos: ABIHRJ

O bar surgiu em 1887, fundado por Jacob Wendling, filho de suíços, e ficou super famoso pelos desafios de “braço de ferro” que o sobrinho do fundador, Adolf Rumjaneck, fazia com os clientes. Se o Adolf perdesse a disputa, o cliente sortudo poderia beber o que quisesse, por conta da casa. Agora, se o cliente perdesse, era obrigado a provar a principal bebida de lá – o chope! E não podia fugir da conta.

Cerveja virando sucesso

Nota sobre cerveja no Jornal Comercio

“Reune a barateza a um hum sabor agradavel” – aí sim

Créditos: Bier Cool

Ao passar dos anos, a cerveja e o chope foram ganhando popularidade no Brasil. Em 1836, saiu no “Jornal do Commercio do Rio de Janeiro” uma tímida notinha – a primeira – sobre fabricação de chope no País, a “Cerveja Brazileira”.

Em 1853 surgiu a Bohemia no Rio de Janeiro e, em 1888, a Antarctica, em São Paulo que, antes disso, produzia alimentos relacionados à carne de porco e possuía uma máquina de fazer gelo – daí o nome.

Surgimento da Antartica Paulista

Rótulo antigo da cerveja Antarctica

Créditos: São Paulo Antiga

O proprietário da Antarctica, Joaquim Salles, ficou sócio de um cervejeiro alemão, Luiz Bücher, que gostou da empresa por causa das instalações, água limpa e vários frigoríficos, o que era ótimo para acondicionar as cervejas produzidas – surgia assim a “Antarctica Paulista – Fábrica de Gelo e Cervejaria”.

Junto veio a Brahma (inicialmente “Manufatura de Cerveja Brahma Villiger & Companhia), alguns anos depois a Cerpa e a Skol e inúmeras outras cervejarias, pegando carona com a burguesia vinda da industrialização e com os imigrantes. Surgiu aí uma competição interminável pela preferência do povo brasileiro.

Finalizando

O legal hoje é ver que também existem no País inúmeras cervejarias artesanais, investindo na criação e divulgação de cervejas deliciosas.

E você, qual cerveja tupiniquim é a sua preferida?

*As referências para a pesquisa do meu TCC encontram-se nos livros Larousse da Cerveja (Ronaldo Morado), Folha Explica: a cerveja (Josimar Melo) entre outros.

Você também gostará desses

Top 10 cervejas pela Equipe do PdB, as melhores ce... Veja quais são as melhores cervejas do mundo no Top 10 cervejas artesanais que o Papo de Bar criou com a sua equipe de especialistas. E qual o seu Top...
Templo Budista construído com garrafas de cerveja Conheça o Templo Budista construído com garrafas de cerveja pelos monges da cidade de Khun Han, Tailândia, com o nome Wat Pa Maha Chedi Kaew. Construí...
Porque eu nunca fiz amigos bebendo leite Levantando a grande questão dos bares e botecos da vida: eu nunca fiz amigos bebendo leite! As grandes histórias sempre têm álcool envolvido. Confira!...
Aprenda a ser o rei do boteco O rei do boteco, porque o rei do camarote já deu né!? Leia nossos 10 mandamentos e torne-se agora mesmo o rei do boteco mais próximo da sua casa!
Hora de se reinventar "Tudo muda o tempo todo, no mundo". Você também pode e deve se reinventar! O mundo etílico percebeu a mudança, é hora de se reinventar.
Todo carnaval tem seu fim. Ou não… O carnaval é uma festa épica. Muita cerveja, muita festa, muita diversão, tudo que uma vida sagaz precisa. Mas por que não podemos viver a vida como u...