Um brinde com canecas de cerveja

Como surgiu o brinde, tim-tim?

“Como surgiu o brinde? Aquele famoso gesto que fazemos entre os amigos antes do primeiro gole. Um pouco da história do brinde, o gole pro santo e muito mais. Confira!”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (80 votes, average: 8.53 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

Um brinde com canecas de cerveja

Catherine Ortner, é o nome da psicóloga de poucas visitas a boteco, que precisou fazer um estudo óbvio no Canadá com estudantes universitários (logo eles), para colocar preto no branco o que já estávamos bêbados de saber:

Bebidas alcoólicas aumentam o poder de concentração e, por isso, podem ajudar as pessoas a tomar decisões mais acertadas e com mais agilidade.

Ô Dona Cathe, não é de hoje que a nata da liderança mundial se utiliza desse recurso.

Gole pro Santo levantando o copo pro céu

Da-lhe santinho...

Créditos: Mônica C.

Vou contar umas curiosidades para fortalecer o estudo da tiazinha lá do Canadá.

Os povos antigos olhavam a bebida, no caso o vinho, como uma dádiva dos Deuses, e sempre apontava o canecão pro alto como saudação antes da lapada. Quem começou com essa onda e com esse ato sadio de agradecer ao papai do céu a sagrada cachacinha foram os gregos e os fenícios, está registrado no livro “Toasts for Every Occasion” (só por que vivo bêbado não posso ser culto? Seu preconceituoso.).

O gole pro santo

Gole pro santo

Créditos: Mickey fotos

Os romanos já lançaram uma moda mais comum por aqui. Quem nunca viu a coroada jogando o primeiro gole no chão e anunciar “pro santo!”?

Pois é, até aí está tudo bem. O lance tenso vem depois. O brinde era coisa obrigatória para selar o fim de um conflito. Depois da caozada resolvida, o vence dor tinha que dar o primeiro gole para provar que não iria envenenar o novo coleguinha.

E, o ato de dar a batidinha costumeira no copo do camarada, tão comum na contemporaneidade, é por que usavam o “tim-tim” na esperança de que, caso houvesse veneno, o maldito se depositaria no fundo da tulipa (se não acredita no amigo bebum aqui pode ler no livro “A Gentleman Raises his
Glass”).

Saúde, Cheers, Prost, Kan-Pai

Vários copos com o dizer "saúde" em várias línguas

Gostou dos copos? Compre aqui na loja Mulher, Cerveja e Futebol

Na Grécia essa parada de envenenamento também justifica aquela máxima do grito “Saúde!”, que é realizada antes da manguaça, era uma promessa de que a bebida não estaria sabotada.

Isso nos ajuda a dar mais valor aquele sossego costumeiro naquela mesinha de ferro, com a garrafa na mesa, rodeado de boas risadas. Não temos decisões importantes ou tensões de risco de vida para reprimir.

Precisa de estudo para isso?

Um brinde aos novos tempos!

Você também gostará desses

A Vodka e sua história Uma apresentação e história de uma das bebidas mais conhecidas do mundo, a temida e russa Vodka. Forte e geralmente ingrediente de deliciosos drinks....
Seios. A saga do Sr. Pinho Um conto curto e hilário sobre a história do Sr. Pinho, sommelier que no meio do caminho encontra uma bela mulher com os seios à mostra.
A Adriática e sua história Saiba mais sobre a Adriática e sua história, uma cerveja para desbravadores, com pegada, para beber com os amigos. Uma bela história que ressurgiu das...
Bebidas salvam vidas! As bebidas não ajudam somente as barangas do final da balada. Conheça alguns incríveis casos onde as bebidas salvaram vidas!
Casal Vodka. O Filme Uma história fictícia de um casal que se conheceu por intermédio da Vodka. Uma história bem engraçada e interessante. Confira!

Tags:

Compartilhe:

  • O ser humano sempre arrumou uma maneira de encher a cara, usando até mesmo a guerra (a conciliação, no caso) pra isso. De fato, o brinde é um traço tradicionalmente cultural, e apesar de estar pregado na nossa cultura também, muita gente precisa da porra de um tutorial para fazê-lo de maneira correta — se é que me entendem.

  • João Vitor

    Assunto muito interessante para ser colocado no boteco! =P

  • Laurinha Ribeiro

    Aqui em Maceió não jogamos o primeiro gole para o santo. Na verdade, é que os AA sempre pedem para evitar o primeiro gole, entendeu? rsssss
    Muito bom o texto!!! Parabéns! Tim tim! =]

  • Djalma Barbosa

    Para Laurinha Ribeiro em Maceió-AL, aqui em Pernambuco AA é um bar.
    Não se joga fora nada até porque quem está na mesa já é Santo por Natureza. Sim, mas como eu estava falando AA aqui interior é o Bar de ANTOIN DO ARRUMADIN.

  • Bem

    “…sempre apontava o canecão pro auto como saudação…”
    Pro aLto, pro ALTO!!!

  • Olney Garcia Barros

    Tim, Tim sem bebida alcoólica!
    Eu já bebi muitos chopes, cervejas, vinhos, champanhes e em quantidades menores as outras bebidas e agora comprazo-me por ter conseguido parar de beber e de fumar desde 04 de janeiro de 2009, há 2 anos, 3 meses e 7 dias; a minha saúde está muito melhor e as principais diferenças que sinto são o olfato e o paladar dos alimentos crús ou cozidos, o repouso do sono e, principalmente, a memorização, pois fui aprovado com a nota média 10(dez) nos cursos de informática que estudei.

  • Larnaud Nascimento

    Meus camaradas, eu já ouvi uma história de que o brinde tem a ver com um dos cinco sentidos humanos: a audição. Um vinho (que era a bebida mais consumida desde que o mundo é mundo) parado num copo você pode vê-lo (olhar), sentir seu aroma (olfato), seu gosto (paladar), tocá-lo (tato), porém não pode “ouví-lo” (audição). Daí completaram com o “tim-tim”. Deve ser só uma lenda, mas tem a ver, certo?
    Um abraço a todos.

    • verdade, nunca tinha parada pra pensar nisso… vale a pesquisa, valeu pela dica 😉

    • Ariana B Linhares

      O TIM-TIM sonoro, faz sentido sim, nao deve ser lenda. Apenas, no decorrer do tempo, ocupou o lugar do SAUDE nos brindes supostamente sem veneno.. Uma onomatopeia. É a evolução “alcólica” da especie humana… Muito bom seu site. Descontraído. Parabens! Vou segui-lo! Abços.

  • José Pantoja de Menezes

    Façam uma correção, por favor!!!
    Lá em cima do texto, logo sobre a segunda foto (da latinha), onde está escrito “O gole pro santo”, seu redator cometeu um erro até hilário. Diz que “os povos antigos olhavam a bebida, no caso o vinho, como uma dádiva dos Deuses, e sempre apontava o canecão pro auto como saudação…” Claro que na época dos povos antigos havia “autos”, a não ser que esteja se referindo às carroças. Corrijam para “alto”, antes que eu me altere. Pls.

    • corrigido, acabou passando direto pelo redator, muito obrigado José

  • Dene

    Coisa sem pé nem cabeça ,veneno pro fundo com tim tim rsrsrs,
    é claro nosso amigo tem razão são os 5 sentidos o que faltava era audição
    por isso o tim tim

  • Jorge

    Só para complementar, o brinde surgiu da desconfiança entre “amigos” que por qualquer motivo (mulheres, poder, coroa, dinheiro,..) envenenavam seu opositor. Como antigamente as canecas eram feitas de bronze, estanho, metais em geral, o brinde era na porrada mesmo, a fim dos líquidos dos copos se misturarem. Daí, o mau-caráter envenenador pensava duas vezes antes de cometer o ato. Com a modernidade dos copos de cristal, o brinde virou um afrescalhado “tim-tim” só para constar na etiqueta.

    • Shoji Kamikaze

      Justamente o que ia falar… o brinde na porrada era para que os lídos dos dois copos se misturassem!

  • Victor Rafael

    Excelente; já sei por onde começar para fazer minhas provas na faculdade.. no buteco srsr
    Brincadeiras a parte; valeu a pena ler o artigo

  • Rodrigo

    Nunca me perguntei qual seria a ORIGEM do Brinde… Curioso mesmo!
    Eu tenho curiosidades/dúvidas é de onde surgiu aquele cumprimento entre os homens no aperto de mão: onde parece que ‘apertam’, torcem tais!
    Imagino que seja uma tradição americana…
    Além do famoso “ficar” dos jovens… Sem falar nas ROUPAS DE BAIXO APARECENDO! Por que não criamos NOSSOS atos/ações?!

  • O brinde saiu no auge de uma comemoração qualquer, tudo é motivo para brindar, a vida por exemplo, tim tim……….

  • thiago ogusku

    Olha amigos, Cada um acredita naquilo que mais lhe convém.
    entao..

    Beber sem brindar 10 anos sem transar,
    brindar sem beber 10 anos tem meter!

    hahahah aqui em Sp é assim.

  • Zio Tazio

    O jeito de brindar “tim-tim” (mas o certo deveria ser tin-tin!) vem da antiga China. Os marinheros chineses da cidade de Canton usavam esta saudação (ch’ing ch’ing) muitos seculos atras. Os mercadores italianos que na epoca de Marco Polo (seculo decimoquarto) començaram a fazer comercios com a China gostaram desta simpatica saudação, e a levaram para italia, onde ficou popular pelo som onomatopaico ao barulhinho da batida de dois copos. Na Italia o “ch’ing ch’ ing” da China virou o italiano Cin-Cin (pron. em portugues brasileiro: tin-tin) e sobstituiu na boca do povo o velho “prosit” dos antigos Romanos; na França foi adotado como Tchin-Tchin, e enfim chegou ao Brasil onde virou “tim-tim”, mas pela etimologia o certo deveria ser “tin-tin”. P.S.: desculpe qualquer erro de Portugues, pois sou extrangeiro recem chegado ao Brasil e aprendí ler e escrever em portugues como autodidata.
    Obrigado pela atenção, Lo Zio Tazio

    • Nancy

      Parabéns pelo português quase impecável e excelente para um estrangeiro. Suas informações foram preciosas para mim. Muito grata e um grande abraço, Lo.

  • Raul

    .. todos os copos com o mesmo volume de bebida fariam o mesmo som ” Tim para um e o mesmo Tim para o outro então Tim Tim mesmo número de felicidades para todos … Chin Chin no Oriente igual a felicidade…