Semelhanças entre o Desenvolvimento Client Side e o “Beber cerveja”

“Veja as semelhanças entre o Desenvolvimento Client Side e o beber cerveja. Pode não parecer, mas os dois se assemelham muito, nos clientes, nos bares, etc.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (1 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

Todo bom bebedor e bom desenvolvedor que se preze ficaria interessado nesse assunto, e se gostar dos dois então mais ainda. E por mais engraçado ou polêmico que possa ser esse assunto e abordagem, sim, existem semelhanças que vocês podem não perceber entre o desenvolvimento client side e beber cerveja.

Todas as duas práticas envolvem conhecimento, dedicação e aperfeiçoamento. Porém, como todos nós sabemos, regras têm exceções e nesses dois casos existem várias. Enquanto no Desenvolvimento Client Side, o desenvolvedor pode ser um iniciante (vulgo sobrinho) e escrever códigos de forma primária, no “beber cerveja” você encontra bêbados por aí enchendo a cara, bebendo qualquer coisa e falando que a pior das cervejas é a melhor do mundo.

Duas tarefas e o mesmo erro

Vou esquecer essa merda e encher a cara...

Vou esquecer essa merda e encher a cara…

Créditos: Serge Volobuev

Sim, por mais que pareça estranho ou inviável, é praticamente o mesmo erro que ocorre ao beber cerveja e desenvolver sites. Passarei as duas situações e mostrando suas semelhanças e problemas. Levarei em conta um desenvolvedor Client e um bebedor de cerveja experiente e serei eu mesmo o ator nestas duas situações.

Desenvolvendo seu código Client

Imagine um Projeto que eu farei desde o início, sem ter passado por nenhum outro desenvolvedor, ou seja, terei todo o controle e eu mesmo farei, sozinho, toda a parte Client. Isso me traz tranquilidade, pois eu estarei a par de tudo e criando todas as regras e definições. Tudo perfeito. Mas somente no início.

Projeto finalizado, eu entrego tudo para o cliente e adivinhe? Lógico, eu preciso fazer várias alterações no código porque nem tudo, ou praticamente nada, foi especificado corretamente. Vamos ao trabalho, mexer nos códigos, geralmente seria só CSS, mas eu percebo que a estrutura HTML precisa de mudanças em alguma parte porque alguma funcionalidade não estará 100% da forma como eu criei.

Depois de fazer todas as modificações eu entrego o projeto novamente. E quando eu acho que tudo está correto, o cliente me pede pra mudar outras coisas, seja visual ou comportamento. E lá vou eu novamente mexer no CSS, HTML e JS da vida. Mais trabalho e meu humor vai mudando e o afeto pelo cliente vai diminuindo. O desenvolvimento vai ficando chato, vou ficando nervoso com aquele projeto que nunca acaba e que o cliente mal sabe o que quer.

E mais uma vez eu entrego o resultado final. Acabou? Quem dera, tenho que mudar mais alguma coisa. E somando todo as insatisfações anteriores, acabo fazendo tudo de qualquer forma, seja por causa do cliente ou porque eu não tenho mais tempo, muito menos tesão para ficar resolvendo meros detalhes. Mas não posso esquecer que são detalhes que podem fazer a diferença.

Mas e daí?

Eu já estou querendo passar longe desse projeto e fazer tudo de qualquer jeito mesmo. Vai funcionar de qualquer forma, não vai? Mesmo que não esteja na semântica correta, da forma mais econômica, da forma como o cliente deveria, mas vai funcionar e isso que importa.

Resumindo, no final eu faço o que é melhor pra mim e não para o cliente. Eu quero me satisfazer ganhando meu dinheiro e ponto final. Deixo o cliente pensar que está tudo certo e perfeito, ele não entende nada de códigos mesmo.

Bebendo sua cerveja em algum bar

Não aguento mais esse cliente...

Não aguento mais esse cliente, vou beber…

Com certeza essa parte vocês gostarão mais do que a anteriores, mas quem é desenvolvedor vai entender muito bem 🙂

Hoje, sexta-feira à noite, dia perfeito para se tomar uma cerveja com os amigos, namorada, familiares – não importa com quem, mas é sempre um bom dia para se beber uma cerveja e bater um bom papo. E isso pode ser um problema caso quem esteja com você não seja um apreciador de cerveja, ou seja, bebe pra ficar bêbado mesmo.

Eu inicio a noite bebendo uma bebida de alto nível, clássica, feita com uma água da melhor qualidade, uma cerveja “Pilsen Premium”, por exemplo. E claro, essas cervejas são mais caras, mas eu não ligo, obviamente, pois prefiro pagar um pouco mais pela qualidade da cerveja e isso é típico de um bom bebedor.

Após algumas garrafas o seu paladar já não é mais o mesmo pois a cerveja foi servida muito gelada, o que faz com que suas papilas gustativas fiquem menos sensíveis e a cerveja já não tem mais o gosto inicial. Mas eu, logicamente, não estou ligando muito pra isso e peço mais uma garrafa de cerveja. Mas não da mesma “Pilsen Premium” que as anteriores, e sim uma de um nível mais baixo, mas com uma água de qualidade, uma cerveja boa, porém abaixo da anterior. E isso pode ocorrer por causa dos meus amigos ou do meu nível alcoólico.

Muito sangue no meu álcool

Depois de muitas rodadas eu já estou muito alterado, com bastante álcool no sangue, os reflexos já não respondem como deveriam e eu já estou bebendo as piores cervejas, pois agora eu nem sinto mais diferença entre as cervejas, portanto, bebo a que vier mesmo.

Resumindo, no final eu estou bebendo uma cerveja de qualidade duvidosa, mesmo começando com uma de qualidade incontestável. Já não estou mais degustando, aproveitando o sabor da cerveja e sim enchendo a cara pra falar besteira junto aos meus amigos. A qualidade da cerveja caiu, assim como a nível do papo.

Desenvolvimento Client Side vs. Cerveja

Agora vi vantagem...

Agora vi vantagem…

Créditos: Larry Clarkin

Pensando rápido, às vezes nem percebemos, mas se olharmos de forma mais detalhada podemos ver que as duas situações seguem praticamente a mesma trajetória. Começo bem, seja entregando o projeto com um código semântico e de alta qualidade ou bebendo uma cerveja de alta qualidade, artesanal, seja ela importada ou nacional. Depois partimos para algo de qualidade duvidosa, seja por estar sem tesão pelo projeto ou por já nem ligar se a cerveja é boa ou não, é beber e pronto.

Temos que tomar muito cuidado com isso pois podemos perder clientes ou uma boa posição no mercado de tecnologia, que está muito competitivo ou por deixar de beber uma ótima cerveja por influência alheia ou por achar que gastar alguns reais a mais do seu bolso é desnecessário. Ou até mesmo perder um bom papo com uma garota sagaz por estar bebendo até morrer qualquer cerveja e não ter ideia do que esteja falando.

Finalizando

Conheça o cliente, conheça a cerveja mais a fundo. Você verá que pode ganhar muito mais do que somente um trabalho ou uns goles, mas um grande parceiro e um grande prazer ao paladar. Basta fazer um trabalho bem feito, seja desenvolvendo ou seja bebendo cerveja.

Aquele abraço.

Compartilhe: