Dr. Beer: Detalhes sobre os termos usados

“Ao degustar uma cerveja você acaba falando alguns termos e sensações ainda não descobertas por leigos. O objetivo desse artigo é tirar todas as dúvidas sobre as degustações feitas no PdB.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (5 votes, average: 6.20 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

header latas copo

Caros leitores.

Pouco após iniciar os trabalhos em meu beerlog, em dezembro de 2007, percebi que minhas análises estavam um tanto quanto superficiais, sem muito conteúdo e pouco padrão na confecção das mesmas. Vasculhando um pouco, descobri um formulário de análise, nos quais quatro itens básicos são considerados: aroma, aparência, sabor e paladar.

Aroma da cerveja

A categoria AROMA é subdividida em outras quatro: malte, lúpulo, levedura e miscelânea. Dentro de cada uma, os subaromas que cada subcategoria pode gerar. Não vou listar todos aqui, dada a grande quantidade. Apenas a título de curiosidade, no entanto, citarei exemplos de cada uma.

As Porter e Stout, por exemplo, são notórias por apresentarem a constante presença de café no aroma, sendo essa uma característica da categoria MALTE. No lúpulo, a presença cítrica de laranja, lima, ou limão pode surgir. No levedo, pode ser sentida a presença de couro e queijo, inusitadas ao leigo, mas presentes em cervejas de fermentação espontânea, como a belga Gueuze. Por fim, em “miscelânea” há a clássica presença de banana e goma de mascar, presentes em muitas Hefeweizen (cervejas de trigo). Notas de 1 a 10.

Aparência da cerveja

Base de um copo cerveja

Créditos: SonOfJordan

No campo da aparência, os seguintes quesitos são analisados: aparência inicial da espuma (tamanho e visual da mesma), cor e longevidade da espuma, formação de colarinho, claridade e presença de partículas no corpo, bem como a tonalidade do mesmo. Notas de 1 a 5.

Sabor inicial e final da cerveja

São analisados também sabor inicial e final. Nas escalas leve, moderado, forte e pesado, considera-se os quesitos dulçor, acidez, amargor, azedume (de vinagre), azedume (de leite azedo) e se apresenta gosto salgado. Leva-se também em conta a duração do final (curta, média ou longa). Notas de 1 a 10.

Paladar

No paladar, são levados em consideração “corpo” (leve, médio-leve, médio, médio-encorpado, ou encorpado), textura (seca, aguada, oleosa, cremosa e xaroposa), carbonatação (borbulhante, forte, suave e “choca”) e o final e sua respectiva sensação (metálica, com gosto de giz, adstringência (leve, moderada, forte ou pesada) e alcoólica (leve, moderada, forte ou pesada). Notas de 1 a 5.

Resultado Final

Macro da lata de cerveja

Créditos: Andreas Solberg

Com as 4 notas em mãos, faz-se uma média para ver a nota final da cerveja, que varia de 1 a 20.

Além desse processo, lembro-me que um leitor havia questionado alguns termos técnicos, entre eles, a CARBONATAÇÃO, que nada mais é que a “sensação de gás” sentida na língua quando o líquido toca a mesma. As diferentes intensidades podem ser consultadas no campo de análise do paladar, acima no texto.

Espero que o post tenha sido esclarecedor a respeito do processo e termos utilizados. Quaisquer dúvidas, estamos à disposição!

“Cheers!”

Você também gostará desses

Cerveja da Grécia: Mythos Uma passagem pelo Leste Europeu e nosso forasteiro traz a principal cerveja da Grécia, a Mythos. Uma cerveja de apelo jovem, com um sabor suave e com ...
Review Cerveja: Stella Artois Review da cerveja Stella Artois, mais comum entre os consumidores brasileiros. Acima da média das pilsens nacionais, na média das Pale Lagers.
Review cerveja: Bavaria Clássica Mais uma nacional sendo degustada e essa geralmente está nos churrascos e botecos da vida, a Bavaria Clássica.
Review cerveja: Quilmes Stout Review de uma Stout que mais parece uma malzbier do que uma Stout. A fraca Quilmes Stout, direto da Argentina da famosa cervejaria Quilmes.
Review Cerveja: Bitburger Premium A vez agora é da Bitburguer, cerveja Pilsen Premium, de origem alemã. Um pouco acima das pilsens nacionais mais consumidas. Vale conferir!
Beba Antes de Morrer: Brewdog Punk IPA Degustamos a deliciosa cerveja do estilo IPA que é um tapa na cara: a Brewdog Punk IPA. Com um início tímido, mas que ao entrar no organismo mostra su...

Tags:

Compartilhe:

  • Boa tarde.

    Apenas 1 dúvida. . .

    "Com as 4 notas em mãos, faz-se uma média para ver a nota final da cerveja, que varia de 1 a 20."

    Com esta nota em mãos como você converte este valor em "skols"?

    Obrigado.

  • João

    Ahn?

  • Rafael,

    Ótima pergunta. Nesse caso, vale aquela máxima "uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa". Esse formulário não é atrelado às notas em Skol devido ao fato de que haveria uma nota máxima (comentário feito por um internauta há alguns dias) e assim, no meu ponto de vista, esse "teto" deixaria as avaliações restritas em certo ponto. Explico: acredito que sempre haverá uma cerveja melhor, ou seja, o limite para notas mais altas é infinito, e como a folha de análise do Ratebeer engloba um overall de 1 a 20, vai de encontro àquela idéia. Voltando um pouco, a nota em Skol é gerada muito mais por feeling e comparações com outras cervejas do mesmo estilo (além da sensação de satisfação que a mesma me traz durante a degustação) que pela fria análise das notas captadas no formulário, que também cumpre uma função importante.

    Espero ter me feito entender, e concordo que tal distinção possa ser considerada como inconsistência, mas foi um modo que encontrei para fugir das restrições citadas acima.

    Ufa!