Casal de mãos dadas

Estranhos Casados

“Aniversário de casamento, clima perfeito para uma noite inesquecível com sua amada(o). Mas infelizmente nem tudo rola como esperado, culpa da idade...”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (2 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...

Casal de mãos dadasCréditos: Antonio Stoper

No aniversário de casamento, sabia que estava ao lado de uma mulher diferente daquela de trinta anos atrás. Do tamanho do vestido até a cor do cabelo, tudo tinha modificado. Não existia vestígio daquela universitária descendente de italianos, que conhecera.

Assim que chegamos ao local da nossa lua de mel, senti o peso da idade. Minha mulher não tinha mais os meros cinqüenta quilos e, minha coluna não suportava os excessos de sobremesas cometidos por ela.

Na hora do vamovê…

Nos tenros anos, fechar a porta, era o suficiente para as coisas começarem. Agora tudo estava diferente: ela precisava passar o creme e eu tomar o remédio do coração e da gastrite.

Nu, diante da minha mulher, parecíamos dois estranhos: seus seios caíram, o papo cresceu, a pele não tinha firmeza e os olheiras hipnotizavam. Em mim, a virilidade não pulsava mais com tanta firmeza e os pelos estavam brancos. Pela primeira vez na história do casamento, sentia- me menos homem. Em plena data comemorativa, me faltava ânimo em amá-la.

Então tá né…

Isso nunca tinha me acontecido antes...

Hipopótamo impotente[ /caption]

Créditos: Omar Eduardo

Compreensiva com o que me acontecia e um pouco ofendida, minha mulher vestiu um pijama e me chamou para cama, ela queria dormir. Obedeci como bom homem que sou, mas não consegui dizer uma palavra que fosse. A vergonha estava estampada no meu rosto e entre minhas coxas moles.

Por alguma razão inexplicável, levantei no meio da noite me sentindo jovem e firme. Fui acordar minha mulher, que apenas roncava e batia os dentes, mas em vão. Então resolvi apelar e fui beijando cada uma das pintinhas de suas costas.

  • – Uma& #8230; Smack! Duas… Smack! Três… Smack!

Minha mulher começou a sorrir. Ela foi acordando vagarosamente. Ajeitou-se na cama e deixou claro que consentia com tudo aquilo.  Eu mantinha minhas contas.

  • – Cinquenta e três… smack! Cinquenta e quatro… smack!

Eis que o pior veio a acontecer. Perto do cóccix, quando já contava mais de duzentas pintinhas, minha companheira sente cócegas e se contorce. Por conta da idade, ela não consegue se segurar e acaba soltando um leve e fedorento pum.

  • – Amor, esse jantar não me fez bem.
  • – Não, querida. Foi a idade que nos fez mal.

Você também gostará desses

50 Tons de Tinder – Encontro 2 “Quem se define, se limita” é uma clássica frase para quem usa apps como Tinder. Armando conta como foi seu encontro com uma delas.
Era Uma Vez o Acabado – 2 Moya leva a lolita ruiva para um boteco pé sujo, mostra uma outra cara do Rio e seus valores. Joga uma sinuca, vai pra casa dela, dá café na cama e tu...
Álcool e Casamento. Aliados ou inimigos? Vamos direto pra parte mais importante da história dos noivos. O casam... A FESTA DO CASAMENTO, óbvio. A festa do “casório” começou e as cervejinhas e...
Cafajeste Mais um papo de cafajeste, envolvendo mulheres, traições, amigas de mulheres, provocações, papo sobre sexo, bebidas e um final inesperado nessa saga.....
O bêbado e a língua É melhor falar ou pensar duas vezes? Em alguns casos a segunda opção é mais válida, mas quando se está com algumas cervejas pra dentro, complica....

Tags:

Compartilhe:

  • Poxa porque ele apenas não imaginou que ela estivesse soltando “foguetes” pela data e por sua reação (ereção)???

    • acho que o problema mesmo foi o odor, pq se fosse só barulho tudo bem 😛

  • Porra… pensei que ía terminar a história de qualquer forma, menos com um peido. #fail kkk