Heineken se torna a segunda maior cervejaria do Brasil

Olá nobres amigos PdBs! Qualquer negócio que envolva valores na casa dos bilhões está na lista dos grandes da história, certo? Por aqui a Brasil Kirin não conseguia fazer suas marcas crescerem e acabou sendo comprada pela Heineken, que se torna a segunda maior cervejaria do Brasil.

A um custo de 2,2 bilhões de reais ou 664 milhões de euros, a Heineken adquiriu tudo que pertencia a Brasil Kirin aqui no país e dá uma esquentada no mercado cervejeiro nacional.

Ambev e o Grupo Petrópolis já devem estar de olhos abertos com o crescimento na participação de mercado da marca holandesa.

Com a Brasil Kirin a Heineken se torna a segunda maior cervejaria do Brasil

A Brasil Kirin estava avaliada em 1.025 bilhão de euros e pertencia ao grupo japonês Kirin Holdings Company.

A transação, que envolve toda rede de distribuição de vendas, além de 12 fábricas, ainda precisa ser aprovada pelos órgãos reguladores (uma burocracia necessária) e deve ser oficializado até o meio do ano.

A Heineken informou que no ano de 2015 a Brasil Kirin teve uma participação de 9% no mercado cervejeiro nacional com uma grande força nas regiões Norte e Nordeste, onde a holandesa precisa expandir sua força.

Agora, segundo a Reuters, os holandeses terão entre 19 e 20% do mercado.

Seu portfólio de marcas de cervejas que já conta com:

  • Heineken,
  • Amstel,
  • Desperados,
  • Sol,
  • Kaiser,
  • Xingu,
  • Dentre outras.

Será ampliado agora com

  • Schin,
  • Devassa,
  • Baden Baden,
  • Eisenbahn,
  • Cintra,
  • Glacial.

Além de refrigerantes e outras bebidas não-alcoólicas.

Só lembrando que a Kirin adquiriu a Schin em 2011, pelo valor de 6,3 bilhões de reais à época e o grupo não acreditava mais que conseguiria obter lucro com seus produtos no país, citando dentre outros motivos o momento inconstante que vivemos.

A Heineken viu a possibilidade de se fazer maior num mercado que é o terceiro maior em número de vendas no mundo, só ficando atrás de China e EUA.

Finalizando

Eu, particularmente, não via a Brasil Kirin fazendo um grande trabalho no país.

Talvez no Nordeste seja até melhor, mas por aqui os caras perderam, além de clientes e pontos de vendas, força das marcas que chegaram a ter um lugar no coração dos consumidores.

Agora resta saber se a Heineken vai conseguir levantar essas marcas e usar de maneira inteligente o que a Kirin tem de bom.

Eu acredito, e vocês?

Aquele abraço!

Fonte: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/heineken-anuncia-acordo-para-compra-da-brasil-kirin.ghtml

Você também gostará desses

Wäls Unique A cervejaria Wäls resolveu inovar e lançou uma White Barley Wine, a Wäls Unique.
Consumo de cerveja nos EUA. Essa galera tá bebendo... Veja a pesquisa feita pelo Beer Institute, que mostra o consumo de cerveja nos EUA em 2012 listando as cidades que mais consumiram cerveja no ano de 2...
Chopp com colarinho congelado. Querido Japão: não.... A cervejaria japonesa Ichiban lançou um chopp que gela a -5 com a promessa de um colarinho na consistência de chantilly e que mantém a cerveja gelada ...
Coolerpack – O novo pack da Heineken Confira o Coolerpack, o novo pack da Heineken que substitui o famoso isopor ou o clássico cooler de cerveja que você colocar o gelo e põe a cerveja pr...
Importação de Cerveja triplicou nos últimos cinco ... O número de cervejas importadas trazidas pro Brasil cresceu absurdamente, de 11,8 milhões pra 44,6 milhões de litros em 2011. Os números de 2012 mostr...
Ambev lança seu tour cervejeiro inédito É lançado o Tour cervejeiro da Ambev, que será na fábrica em Jaguariúna/SP. Será mostrado vários processos e curiosidades da produção de cerveja, etc....