A incrível geração de pré e pós parties

“Nem só de balada e festas vive o ser humano. Existem as pré e pós parties, que é quando as festas realmente começam e realmente terminam.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (2 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...

Alô, alô nobres amigos PdBs! Hoje vamos falar de coisas boas: FESTAS! Estou desfrutando de meus 33 anos e mesmo namorando continuo indo a festas e organizando prés lá em casa.

Pensando sobre isso, cheguei a conclusão que somos uma geração que bebe pra caramba! Ok, não somos como aqueles caras da idade média que bebiam vinho e cerveja desenfreadamente. Hoje temos rotinas e responsabilidades – e dinheiro (ufa!) – que nos obrigam a manter um dia a dia minimamente equilibrado. Mas quando resolvemos sair e/ou juntar os amigos pra beber, fazemos direitinho.

O mundo etílico mudou

pre party

Créditos: 

Antes íamos para uma festa, curtíamos, voltávamos para casa e tudo certo. Agora tudo mudou! Para a brincadeira ser completa, organizamos prés e pós parties. Tudo isso para bebermos mais! Claro que envolve o componente financeiro e o pensamento que beber em casa sai mais barato que beber na balada. Mas o que de fato acontece é que muitas vezes já saímos bêbados rumo às festas.

Começa na pré-party…

Na pré party acontece de tudo! Alguns casais já se formam ali, uma transa pode rolar, brindes e mais brindes definem a saideira, desistências do evento principal são normais e em alguns casos a pré acaba sendo melhor que a própria festa.

Termina(?) na pós-party

Depois fudeu!

Depois fudeu!

Créditos: 

Na pós party já é diferente. Essa é para os fortes! Aqueles que conseguem curtir, dançar, cantar e beber a noite inteira e ainda estar bem. Mesmo que bêbado e sem saber direito o que está fazendo, mas a pessoa está feliz e não quer que aquela noite acabe. Na pós a festa continua em um novo lugar, com novas pessoas e a disposição é outra. Existem pós que começam às 6 da manhã e acabam por volta de 13 horas. Isso é uma completa falta de limite – ou não.

Finalizando

Na verdade a palavra que melhor define essa geração, é INTENSIDADE. Somos intensos e gostamos de ser assim! Queremos mais, queremos tudo, o mundo é pequeno para nós. E esse sentimento se reflete diretamente em nossas viagens e finais de semana. Somos todos #VidaLoka!

Aproveitem a vida, façam suas prés, curtam suas pós, só nunca esqueçam que a festa é o principal motivo disso tudo 😉

Aquele abraço e enjoy the party!

Você também gostará desses

Porque eu nunca fiz amigos bebendo leite Levantando a grande questão dos bares e botecos da vida: eu nunca fiz amigos bebendo leite! As grandes histórias sempre têm álcool envolvido. Confira!...
A bebida aproxima as pessoas Uma coisa é fato: a bebida aproxima as pessoas. E ela aproxima até mesmo quando ela não está presente fisicamente, mas apenas no visual.
Esquina, a relíquia carioca Vamos falar de uma relíquia carioca para nós, bebedores de cerveja: a esquina. Muito não se fala sobre ela, mas as esquinas cariocas sempre têm um bar...
Parece que, aparentemente… Aparentemente é uma palavra espetacular, que serve para várias coisas e situações de um bêbado e seus amigos. Tanto ela como "caralho", "parece que",...
Os tipos de pessoas que encontramos em um bar A lista de pessoas que encontramos em um bar hoje é gigante, dos mais diversos modos e estilos. Desde bêbados, malucos, noivos, solteiros, etc. Confir...
Vivendo melhor através do álcool Muitos condenam uma vida de alguém que beba álcool, uma vida ativa e com muita cervejas, bebidas alcoólicas em geral. É possível viver melhor através ...

Tags:

Compartilhe: