Mulheres e Cerveja: relação de séculos

Se você ainda pensa que “cerveja não é coisa de mulher”, você precisa acordar por mundo atual ou minimamente estudar história. A relação entre mulher e cerveja é antiga: em 4000 a.C., na Suméria as mulheres que produziam cerveja eram consideradas deusas; na cultura Vikings somente mulheres eram produtoras.

Mulheres e cerveja sempre combinaram e tiveram relações

Durante muito tempo, a produção da cerveja era de responsabilidade das mulheres, pois era considerada uma atividade caseira, como cozinhar. Também era comum que o pão e a cerveja fossem preparados simultaneamente, por possuírem praticamente os mesmos ingredientes.

Com a revolução industrial, no séc. XVIII, a produção da cerveja em larga escala se tornou um negócio rentável e foi assumido pelos homens por ser uma atividade comercial e as habilidade com novas tecnologias na produção. No final do séc. XX e as mudanças culturais na sociedade, houve um aumento da participação feminina no mercado cervejeiro, seja como profissional ou consumidora, portanto, mulheres e cerveja juntas novamente.

Goose Island Sisterhood

Uma confraria feminina que se reúne para estimular o engajamento em causas diversas e criar cervejas especiais, com a renda revertida integralmente para instituições que defendam causas importantes para o gênero. A Sisterhood nasceu do sonho de resgatar o protagonismo feminismo seja carregando os sacos de maltes, atrás e à frente dos balcões de bares, seja nas panelas produzindo, bebendo ou falando sobre ela, a cerveja. Acabaram de lançar a cerveja Helô e ano passado fizeram 4 cervejas, todas homenageando mulheres diferentes do Brasil – Carolina, Enedina, Nísia e Luz.

Cervejaria Japas

Com pouco mais de três anos no mercado, a Japas chamou a atenção pela proposta de criar cervejas inspiradas em sabores orientais. Durante esse tempo a cervejaria – que é formada por cervejeiras descendentes de japoneses – esteve presente em todas as regiões do país apresentando a Wasabiru, uma American Pale Ale com wasabi e a Matsurika, uma Bohemian Pilsener com pétalas de jasmim. Também fez alguns lançamentos colaborativos com cervejarias no Brasil e no Japão.

Mulheres Cervejeiras

É uma comunidade de apreciadoras e profissionais do ramo cervejeiro, de sommelier à empreendedoras. Também realizam eventos, ações educacionais, divulgam parceiros e oferecem produtos exclusivos. Com isso, buscam auxiliar as mulheres a se identificarem com a cultura cervejeira abrindo espaço e dando voz a integrantes. Premiadas no 3º Lugar no South Beer Cup – Plano de Negócios Cervejeiros.

Cervejaria Feminista

O grupo surgiu em 2017, no Rio de Janeiro, para homenagear mulheres que tenham uma trajetória de luta por igualdade e liberdade. As receitas são criadas conforme a história e gosto da homenageada. Os dois rótulos lançados até agora homenageiam Conceição Evaristo e Maria Prestes, feitas de acordo com o gosto de cada uma delas. A produção da cerveja é feita em parceria com duas microcervejarias, uma na cidade do Rio de Janeiro e outra em Nova Friburgo.

Você também gostará desses

Devaneios etílicos: mulheres, estrias e celulites.... Toda mulher merece ser valorizada, mesmo tendo celulite ou estria. E você, concorda?
Peculiaridades de um bar – As amigas Não há nada mais bonito nesse mundo que mulheres. Principalmente se forem mulheres em um bar, conversando, brincando, sorrindo, bebendo uma cerveja, t...
Top 10 cervejas pela Equipe do PdB, as melhores ce... Veja quais são as melhores cervejas do mundo no Top 10 cervejas artesanais que o Papo de Bar criou com a sua equipe de especialistas. E qual o seu Top...
Heineken Wobo, uma garrafa tijolo Conheça a Heineken Wobo, um conceito de garrafa que simula um tijolo, ajudando na construção civil. A ideia foi lançada por um dos sócios na década de...
Cerveja combina com música A cerveja combina com música, qualquer bebida combina com música. Veja suas semelhanças e porque o ser humano depende tanto desses dois temperos, esse...
Esquina, a relíquia carioca Vamos falar de uma relíquia carioca para nós, bebedores de cerveja: a esquina. Muito não se fala sobre ela, mas as esquinas cariocas sempre têm um bar...