Estaria a indústria da música Pop influenciando o consumo de álcool?

“Veja como a música pop e o HipHop influencia pessoas ao consumo de bebidas alcoólicas, em marcas específicas. O Brasil entra no embalo junto com o funk. Confira as informações! Música Pop e marcas de bebidas: estaria a indústria influenciando o consumo de álcool entre os jovens?”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (5 votes, average: 7.20 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

Estilos musicais como rap, hip hop e R&B, muitas vezes contêm referências a marca de bebidas alcoólicas, que geralmente são ligados a um estilo de vida de luxo, que degrada a atividade sexual, a violência, a riqueza, as festas e o uso de drogas. Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh realizaram um estudo, publicado na revista online Addiction, que revela que adolescentes americanos estão sendo expostos, de forma massiva, à referências a bebidas alcóolicas na música Pop em geral.

Músicas ligadas a marcas de bebidas

Sean Diddy jogando vodka no chão

Entre 2005 e 2007 os pesquisadores ouviram 793 das músicas mais populares entre adolescentes e descobriram que cerca de 25% das músicas que faziam referência a bebidas álcoolicas também faziam referência a alguma marca especifica. Isto equivale a ouvir 3,4 músicas com referências a marcas de bebidas por hora. Considerando-se que o adolescente médio ouve cerca de 2,5 horas de música diárias, a exposição anual que recebem a referências de marcas de bebidas é, portanto, bastante substancial.

Os efeitos subliminares que essas músicas causam é enorme. As conexões com o álcool foram mais positivas (41,5%) do que negativas (17,1%) . As referências seguiram os seguintes percentuais:

  • 63,4% das marcas foram associadas com a riqueza
  • 51,2% com objetos de luxo
  • 39,0% com veículos
  • 58,5% com o sexo
  • 48,8% com festas
  • 43,9% com outras substâncias

Introdução de menores ao álcool pela música

Garrafa de Absolut com um fone de ouvido

Considerando que as referências ao álcool estão fortemente ligadas a “sentir-se bem” e emoções positivas – que muitas vezes é o objetivo da publicidade – os pesquisadores apontam que a exposição frequente a marcas de bebidas álcoolicas em jovens pode ser rotulada como uma forma de publicidade que poderia promover a introdução precoce destes individuos à bebida, e também a manutenção deste hábito.

Marcas como Hennessey Cognac, Vodka Grey Goose e Patron Tequila são repetidamente nomeadas como “as favoritas” entre os bebedores menores de idade (particularmente mulheres), e aparecem em diversas canções.

Artistas criando suas linhas de bebidas

Segundo os autores da pesquisa, a aparição elevada destas marcas na música popular pode ser baseada nos laços mais estreitos entre os fabricantes de álcool e da indústria da música. Um exemplo é a Seagram, que adquiriu as gravadoras Universal e Polygram, entre 1995 e 2001. Desde então, inúmeros artistas individuais, em particular do rap e da cena hip hop, criaram e promoveram suas linhas de bebidas.

Sean Diddy com uma garrafa da vodka Ciroc

Exemplos desta ligação sãp: Sean “P. Diddy” Combs (Ciroc Vodka, 2001), Jay-Z (Armadale Vodka, 2002), Lil ‘Jon (Little Jonathan Vinícolas, 2008), Snoop Dogg (Landy Cognac, 2008), Ludacris (Conjure Vodka, 2009) e TI (Cognac Remy Martin, 2010), para citar apenas alguns.

Publicidade ou escolha?

Aparentemente as referências nas letras parecem ser feitas pelos artistas por escolha, e não pagas pelos anunciantes, no entanto, a linha entre a publicidade paga e as referências da marca é tênue. É difícil distinguir o que pode ser considerado como publicidade paga, já que os fabricantes de bebidas passaram a “presentear” frequentemente os artistas que fizeram referências as suas marcas, ainda mais se esta referência fez aumentar as vendas do citado produto.

Um bom exemplo é o hit de Busta Rhymes e P. Diddy “Pass the Courvoisier”. Após o lançamento da canção, em 2002, as vendas aumentaram 18,9%. Tal aumento resultou em um negócio lucrativo entre a empresa-mãe da Courvoisier, France’s Allied Domecq, e a Violator, empresa que gerencia as carreiras de Busta e P. Diddy.

O governo americano estã buscando mecanismos para coibir esta prática, já que a venda de bebidas para menores é proibida, mas ainda está encontrando problemas para criar tais mecanismos.

Onde entra o Brasil?

funk-ostentacao

Como a música pop é consumida pelo mundo todo, adolescentes de todo o globo estão sofrendo com esta prática. Há um risco de haver um aumento de consumo alcóolico entre adolescentes do mundo todo, e o Brasil está incluído.

No Brasil o estilo musical que tem feito mais referências a bebidas alcóolicas e suas marcas é o funk. A associação à marcas de bebidas, roupas e carros criou um novo estilo no país: o funk ostentação. O fenômeno motivou as produtoras Kondzilla, 3K Produtora e Funk na Caixa a produzirem o documentário “Funk Ostentação – O filme”.

O filme conta com as participações de MCs como MC Guime, MC Boy do Charmes, MC Dede, MC Bio G3, MC Menor do Chapa, DJ Baphaphinha, Kondzilla, Marcelo Fernandes e Pollo e explica como ocorreu este fenômeno.

O que fazer?

Este parece ser um problema dificil de ser resolvido, e “apontar o dedo” procurando por culpados não resolverá o problema. Se você é pai de adolescentes, ou é um adolescente, e está enfrentando problemas relacionados ao álcool, procure ajuda. Existem instituições que podem orientá-lo.

Também procure ouvir boa música e oriente seus filhos e parentes adolescentes. Há como citar bebidas em músicas de forma divertida, sem fazer apologia a esta ou aquela marca, ou a um estilo de vida degradante.

Conclusão

Guitarra dentro de um copo de whisky

Nós do Papo de Bar apoiamos o #EstiloPdB: diversão, boa música, bebidas, mas tudo com moderação e responsabilidade. E vale dizer que somos completamente contra o uso de bebidas entre menores.

Fique de olho e ouça boa música!

Quer uma dica? Vá de Rock and Roll! \m/

Você também gostará desses

Música combina com o quê? Bebidas típicas dos gêne... Veja uma lista de estilos musicais, a grande maioria de rock, e suas respectivas bebidas que combinam. Desde do sertanejo universitário ao Heavy Metal...
Os hinos do bêbado Já vimos que existem diversas músicas para os bêbados. Mas existem algumas que são consideradas hinos, que todos conhecem e se identifica quando toca....
Guitar World elege as 10 melhores músicas para esc... A revista Guitar World, em sua edição de abril de 2015, elegeu as 10 melhores músicas para escutar bebendo. E a seleção tráz músicas para todos os gos...
Matanza: Eu Não Bebo Mais – MdB FM Nossa rádio etílica volta novamente, a MdB vem agora com a música que é a maior mentira de todas: Eu não bebo mais, da banda Matanza. Veja o vídeo e a...
Tour de shows pelo Brasil com Budweiser A Budweiser não é a cervejaria patrocinadora do Rock in Rio, porém, os caras conseguiram fazer uma campanha sagaz, onde pegaram alguns artistas que ir...
Jägermeister: a verdadeira bebida dos fãs de rock!... Confira o Jägermeister, uma bebida que patrocina diversas bandas de Rock N' Roll, dentre alguns esportes. Veja um pouco da sua história e outras infor...

Compartilhe: