O poder desmascarante da serotonina

“O etanol, carregado pelo sangue, ao chegar no cérebro estimula os neurônios a liberar uma quantidade extra de serotonina, que regula o humor, prazer e ansiedade.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (8 votes, average: 7.38 out of 10)
Loading...

Acordo com o telefonema de uma amiga que diz: “Amiga, fiz merda. Bebi muito ontem e só paguei mico“. Depois de contar os tais “micos“, ela lança o clássico: “Ai, sério, nunca mais bebo“. Maldita serotonina.

Eu já acostumada com as mensagens e telefonemas dela, só respondi: “Vai beber sim e se arruma que eu to passando aí pra gente ir pro bar“.

O etanol e a serotonina

Mulheres bebendo cerveja no bar

É engraçado, porém meio trágico como as pessoas se culpam depois de uma bebedeira e ficam perguntando aos seus amigos “será que fiz merda?“, “será que paguei muito mico?“.

O etanol, carregado pelo sangue, ao chegar no cérebro estimula os neurônios a liberar uma quantidade extra de serotonina, esse neurotransmissor serve para regular o humor, prazer e ansiedade.

Assim faz com que nós, fiquemos mais desinibidos, descontraídos, um pouco eufóricos e passamos a fazer aquilo que nos dá vontade.

Já pararam pra pensar o quanto isso é lindo? Você passa a fazer tudo aquilo que tem vontade naquele momento, mas que normalmente a vergonha não deixaria.

Passa a falar com pessoas aleatórias, dançar esquisito, não se importar com o olhar alheio, etc.

Início da ~bebice~

Mulheres brindando num bar

Quando ficamos levemente altos, passamos a ser nós mesmos sem as amarras e padrões que somos impostos todo dia, nós somos podados desde pequenininhas a ser a pessoa perfeita, super legal, descolada e bonita. Quando estamos bêbadas, normalmente isso é tudo que não somos.

A gente para de fazer questão do batom certinho na boca e dos fios de cabelo simetricamente arrumados. Normalmente o que importa é que tenha um banheiro por perto (sabe como é, o álcool é diurético).

Em qual circunstância uma pessoa sóbria conheceria um cara super gato na fila do banheiro e iria dormir com ele naquela mesma noite?

Ou olhar para aquele ex pegação, mas que transa super bem, dormir com ele de novo, acordar, dar um abraço, uns tapinhas nas costas e ter certeza que realmente é pra ficar no passado?

Finalizando

Não tenha medo de você bêbada, apenas fique. Se tiver vontade de dizer que ama seus amigos, diga. Se der vontade de rebolar até o chão, rebole. E se der vontade de transar com o carinha x ou y, transe.

A gente passa muito tempo da nossa vida usando máscaras. A melhor coisa a fazer é colocar junto do celular e da carteira que você bota na mesa, a sua mascara cotidiana que você já deve estar cansada de estar usando.

Você também gostará desses

Carnaval: A arte de permanecer de pé Quer saber exatamente o que fazer (e o que não fazer) para curtir esse carnaval sem ressaca e com muita disposição? Então não deixe de ler as dicas do...
Rolezinho alcoólico Em São Paulo começou a onda dos rolezinhos, mas agora ele evoluiu para o que podemos chamar de rolezinho alcoólico. Isso tem seus pontos prós e contra...
Gloss de cerveja e produtos de beleza com bebidas O mundo da vaidade está começando a atacar o mundo dos bebedores. A Heineken lança um gloss com sabor de cerveja e sites oferecem produtos com aromas ...
Fim da bebedeira – Como evitar os seus males... O fim da bebedeira! Nele você comete as piores e mais engraçadas loucuras da sua vida. Mas parece que Las Vegas tem a solução! Confira o Hangover Heav...
O Efeito Isoporzinho nos Bares O efeito isoporzinho tem dado certo e alguns bares já começam a fazer promoções dos seus chopes e cervejas. Confira o impacto dessa ação em conjunto....
Mas por que ficamos bêbados? Viemos para lhes surpreender. Por que ficamos bêbados? Os efeitos do álcool no corpo e na mente, os estágios da embriaguez e muito mais, só no Papo de...

Compartilhe:

  • Fernando Miranda

    Gatona boa idéia de artigo! Curiosamente, o álcool é considerado uma droga dose-dependente por apresentar diferentes ações em diferentes dosagens. Em quantidades moderadas, apresenta uma função estimulante que causa euforia, desinibição, alegria; porém, é verdadeiramente encaixada na classe de drogas depressoras, pois bloqueia consideravelmente o funcionamento normal do sistema nervoso. Algumas pessoas chegam a ter a famosa amnésia alcoólica.

    Olha só, o principal neurotransmissor que causa a sensação de desinibição e às vezes o “fiz merda” não é a serotonina, mas o GABA: ácido gama amino butírico. Em resumo, esse neurotransmissor é o inibidor do nosso comportamento. É ele que não nos permite levar adiante algumas coisas mais malucas. Acontece então de o álcool inibir o que inibe (GABA) sacou?

    Daí já viu as consequências. Ficamos free. Daí nós psicólogos dizermos que o superego é solúvel em álcool.

    Mas tudo isso é papo de psicólogo e neurocientista ( meu caso).

    Bem mais legal foi o trabalho desse fotógrafo aqui, que fotografa rostos de pessoas antes, durante e depois de três taças de vinho. Olha só:

    http://www.hypeness.com.br/2016/04/fotografo-retrata-pessoas-depois-de-cada-taca-de-vinho/