prazer e cerveja

Prazer e Cerveja – Como as coisas funcionam no cérebro?

“Prazer e cerveja? Claro, toda vez que bebemos sentimos prazer em fazê-lo, mas novos estudos mostram como o prazer e a cerveja se relacionam, no cérebro.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (5 votes, average: 8.00 out of 10)
Loading...

Mais uma terça de cérebro, prazer e cerveja meus queridos leitores. Aposto que você já sabe do que eu vou falar, mas não está ligando uma coisa a outra. É estou falando disso mesmo, prazer e cerveja, o que mais poderia ser? Mas o mais interessante dessas história toda, é a maneira como as coisas acontecem.

Prazer e cerveja?

Ah, você agora se interessou né pequeno Macropus rufogriseus!? Eu também 🙂

Você deve estar pensando:  claro, eu começo a beber, sinto o sabor delicioso da mistura do malte, leveduras e lúpulo, um pouco do efeito do álcool e isso é prazer!

Sim, mas não!

Como assim!? Então que prazer e cerveja é esse?

prazer e cerveja

Os bagulhos acontecem dentro da sua cabeça!

Créditos: Catherine MacBride

Seguinte: quando você bebe alguns pequenos goles de cerveja, uma reação química é iniciada no seu cérebro, essa em questão, é o aumento dos níveis de dopamina…

Há algum tempo cientistas vem pesquisando e associavam esse aumento a intoxicação alcoólica (estar bêbado), mas novos estudos sugerem que apenas alguns goles do nosso precioso líquido, pode desencadear esse aumento nos níveis da substância.

Um grupo de pesquisadores, liderados por David Kareken, da universidade de Indiana, chegou a essa conclusão, dando pequenos goles de cerveja para 49 adultos, e medindo a atividade cerebral com um tomografo por emissão de pósitrons que mede os níveis de várias substâncias no cérebro.

O mais interessante é que eles borrifavam 15 mL de cerveja ao longo de 15 minutos na língua dos participantes, excluindo assim a possibilidade do aumento dos níveis de dopamina serem decorrentes de uma intoxicação alcoólica.

Os efeitos foram significantes, quando os participantes experimentavam a cerveja, seus cérebros liberavam níveis muito mais altos de dopamina do que os participantes que eram expostos a água ou gatorade.

Um outro fato, que inclusive é preocupante, é que as quantidades de dopamina não foram aleatórias, sugerindo que pessoas que tem na família casos de alcoolismo tendem a ter um nível mais alto de dopamina ao entrar em contato com a cerveja, o tornando assim mais suscetível a problemas com álcool.

Finalizando

prazer e cerveja

Cuidado!

Créditos: Olivier Lemarchand

Que prazer e cerveja tem tudo a ver, todos nós já sabíamos, o que eu tentei foi explicar um pouquinho melhor o porque desse sentimento.

Agora atentem para o fato de que existem pessoas que realmente correm riscos de desenvolver alguma doença relacionada ao alcoolismo. Até porque, dopamina é a mesma substância relacionada ao prazer do sono e do sexo ¬¬

Portanto, bebam com moderação, seus putos!

Fonte: My Science Academy

Você também gostará desses

Novas (talvez não tão novas) sobre mulheres…... Que a mulher ganha cada vez mais espaço vocês já sabem. Mas o que muitos de vocês não sabem é que enquanto os maridos saíam, a mulherada lá da antigui...
Cerveja Choca: WTF!? Como elas ficam dessa forma? Terça feira é o dia de colocar a cachola pra funcionar. Entenda como é o processo de feitura da cerveja, e porque ele está intimamente ligado ao fato ...
Cerveja Urthel Inusitada história do Alcoolatra Assumido, sua Urthel e o relato do sortudo do primo que faturou a cerveja e fez questão de contar detalhes da experiê...
Rótulos de cervejas animados Trevor Carmick, um designer e cervejeiro resolveu inovar e criar rótulos de cervejas animados no seu tumblr. Ele pega rótulos que de cervejas que gost...
Growler: o que é e para que serve Conheça o Growler, uma garrafa estilizada que serve para carregar sua cerveja pra onde quiser sem perder sua carbonatação. Confira agora!
Cerveja Odisséia Guitt’s A odisséia de uma mulher em um impune boteco de quinta categoria no Leblon de Manoel Carlos. E acompanhada de uma cerveja, digamos, caída.

Tags:

Compartilhe: