Relatos de um Festival da Cerveja

Cá estou, alemoa e novata, escrevendo minha primeira matéria pro PdB. Pensando sobre o que eu falaria nesta minha “primeira vez”, me veio de imediato, sem nem pensar, um texto bíblico adaptado na cabeça: Nem só de oktoberfest vive o blumenauense.

Isso me deu um estalo para escrever um… making of, digamos assim, do Festival Nacional da Cerveja que ocorreu na semana passada em Blumenau – SC.

O Festival com outros olhos

Japoneses olhando cerveja

Ceveja legal né?

Créditos: Stefano Sitzia

Eu estive presente no festival e procurei olhar aquilo tudo com outros olhos. E acredite… é possível! É maravilhosamente bom ver como um líquido tão precioso pode juntar tantos “naipes” de pessoas em um só evento, em um só lugar.

Era engraçado ver aquele monte de homens orgulhos, pedindo encarecidamente que batessem uma foto deles segurando uma garrafa de Duff, pra postar no facebook. Eles seguravam aquela garrafa como quem estivesse segurando a taça da Copa do Mundo que o Ronaldo estava com aquele penteado de Cascão.

Festival de Cerveja tem de tudo

Pai carregando filho pelos pés

Vambora mulek

Créditos: Blindman shooting

Mas não eram só fãs do Homer que estavam por lá não. Tinha muita gente fazendo careta experimentando o tal chopp de capim. Eu fui uma dessas… dessas que experimentou, não que fez careta. Aliás, ao invés de fazer careta, fiz carão e posei pra foto.

Claro que tem aquele povo que exagera no gole. Parei de andar, olhei pro lado e… meu Deus? O que é aquilo? Lá estava o cara, parecendo uma madeira sendo derrubada. Tá indo pro lado, tá indo pro lado, tá indo pro lado. Opa, caiu! Mas o copo continuou na mão, em pé, sem derramar uma gota. Já ele… bom, ele estava confortável lá. (Não tive mais notícias até a data de publicação deste texto.)

Colecionadores etílicos, lógico

Coleção de tampinhas de cerveja

VEMGENTE!

Créditos: brmp

Outro público engraçado de ser observado, são os colecionadores, como eu… Esses sim! Prendem as sacolas na mão de um jeito que não tem quem tira. Só se for pra entrar mais uma garrafa, daí a gente libera passagem. Não tem espaço pra passar? Esbarra na gente. Gelol resolve ombro com hematoma. Mas e garrafa quebrada? Garrafa quebrada é pior que coração partido. Ao menos eu nunca conheci ninguém que gostasse de tomar sangue.

Finalizando

A verdade é que de uma forma ou de outra, com um gosto mais doce ou mais amargo, eram quase 500 rótulos de cerveja ali… no mesmo lugar. Uma aula de cerveja. Um banho de qualidade. Um show de sabor. Valeu a pena cada gole! Em breve, trarei notícias das cervejas que comprei por lá. Um brinde, e até o próximo.

O que… pensou que acabou? Acabou nada! Ainda tenho que pedir pra conhecer minha fan page no Facebook.

Você também gostará desses

Burradas da Vida Essa é um pequena história que ilustra como uma decisão baseada no fácil pode sacanear uma vida.
Heineken trouxe tirolesa, muita cerveja, mas també... A Heineken mandou muito bem no Rock in Rio 2015, principalmente com o Rock & Recycle.
Mentiras que falamos no bar Quem aqui nunca mentiu? Sim, todos nós, seja uma mentira branca ou uma mais bizarra. E no bar? Veja as mentiras que falamos no bar mais ditas e repeti...
Suporte para taças de vinho Um suporte de vinho exclusivo para homens e lésbicas, não tem onde colocar sua taça de vinho enquanto pausa num gole e outro? Acabaram os seus problem...
Sobre a “bebida secreta” para mulheres... Bares nos EUA, Africa do Sul e Reino Unido estão com um atitude interessante com um drink chamado Angel Shot, para proteger mulheres de encontros. Con...
Calcinha bege: Pouca roupa, tanto pano… pra ... Uma polêmica maior que mamilos é a calcinha bege. Uma eterna discussão sobre usar ou não usar, ligar pra isso ou não ligar. E você, o que acha disso?...