Review Cerveja: Weihenstephaner Hefe Weissbier

“Um review com essa cerveja de nome complicado, mas de uma boa refrescância. Mais uma cerveja de origem alemã sendo avaliada pelo Papo de Bar.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (5 votes, average: 5.80 out of 10)
Loading...

Copos e garrafa da cerveja WeihenstephanerCréditos: guilherme cecílio

Um review com essa cerveja de nome complicado, mas de uma boa refrescância.

Descrição detalhada Weihenstephaner Hefe Weissbier

A aparência possui uma espuma inicial de tamanho médio e cremosa, branca e com boa formação de colarinho; reduzida longevidade. Corpo turvo e denso, de tonalidade amarelo-escuro.

Garrafa e caneca da cerveja WeihenstephanerCréditos: V31S70

O aroma é de banana, massa de pão, toques de baunilha e cravo, levedura moderada, com um sabor inicial dulçor moderado e leve acidez. Possui um sabor final com leves dulçor e acidez; de curta duração.

O paladar tem corpo médio-leve, textura aguada, forte carbonatação e final levemente gredoso. O gosto é semelhante ao de um bolo feito de banana, canela e baunilha – um sabor mais adocicado e mais trabalhado que o da média do estilo German Hefeweizen.

Custo benefício

Garrafa de 500ml adquirida por cerca de R$ 12 na Confraria da Cerveja, em União da Vitória-PR. Considerando-se que a mesma pode ser adquirida em supermercados de grandes cidades por uma média de 2/3 do valor supra-citado, creio não ter sido um negócio da China, mas também não considero ter comprado gato por lebre.

Nota: 180 Skol ou 3.2/5.0

Informações

  • Origem: Alemanha
  • Estilo: German Weizen (Trigo)
  • Grad. Alc.: 5.4%

Você também gostará desses

Review cerveja Kaiser Bock Mais uma cerveja nacional sendo degustada no PdB. A Kaiser Bock foi lançada em 1993 e por incrível que pareça quase não se acha no Brasil.
Review Cerveja: Corona Extra Review da mexincana Corona Extra, uma Pale Lager um pouco conhecida no Brasil. Acima da média do mercado nacional, mas com um preço acima de sua quali...
Review cerveja: Birra Venezia Review e história da cerveja Birra Venezia, uma cerveja criada a partir dos costumes carnavalescos de Veneza. A primeira cerveja italiana fabricada re...
Review Cerveja: Wals Trippel Review da última cerveja da Wals, a sua Tripel. Uma cerveja pretensiosa, muito saborosa, sem deixar a desejar em nenhum aspecto. Não chega perto dos r...
Review Cerveja: Bitburger Premium A vez agora é da Bitburguer, cerveja Pilsen Premium, de origem alemã. Um pouco acima das pilsens nacionais mais consumidas. Vale conferir!
Review cerveja: Cintra Pilsen Review da Pale Lager nacionais, mais uma da baciada dos "pães líquidos", a cerveja Cintra Pilsen. Espuma média, corpo claro, ralo e amarelo pálido. Fr...

Tags:

Compartilhe:

  • Luiz.

    Cara, seu posts até que são legais,

    mas as vezes (com toda certeza essa vez esta nesse bolo aí) eu me pergunto "carai, como que eu pronuncio o nome dessa cerveja?"

    =p

    • Vairrenxtefaner (com S pronunciado como falam os Cariocas)

    • PATY AL BEHY ANDRE

      { vain – Stéfan} – simplificadamente

      { vain – Stéfaner}- mais p´roximo do correto,

      abraço

      Paty Al – Behy.

  • Olá! Sou a Cecília, da Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor.

    Essa é mais uma legítima representante 'weissbier', cerveja de trigo, que é uma especialidade da Baviera. As cervejas de trigo foram proibidas na Alemanha há cerca de 500 anos porque levavam à escassez do grão e por conseguinte, do pão. Ela só foi legalizada no século 19, mas até hoje não tem destaque na Oktoberfest de Munique.

    Abraços

  • Rapha.

    Me desculpem por achar este post apenas hoje. XD Mas sou um apaixonado por cervejas de trigo, e nunca tinha percebido o quanto o meu mundinho era limitado com as “bohemia weiss” da vida, até que conheci a Weihenstephan. Que cerveja perfeita. Duvido que alguém vá ler meu comentário, mas enfim, se tiverem outras recomendações de ‘weissbier’ desde já agradeço muito. Ótimo blog, mesmo que a preços relativamente altos, é muito bom ver que o interesse por cervejas especiais possui repaldo aqui. Abraços.

  • Rodrigo Terror

    Rapha, experimente a Franziskaner, a Edelweiss, a Schneider (tem vários tipos), ou a própria Baden Baden Weiss.

  • Rubens Sampaio

    o Dr. Beer faz umas análises legais. Mas, poxa, não deixar claro a forte presença de cravo no sabor da Weihenstephaner é muito estranho.