A saga de Jeremy envolvendo abuso de poder e batidas com cachaça no Rio de Janeiro

“Mais uma saga de nosso Jeremy rumo a uma das mais famosas batidas do Rio, a do Oswaldo. Passagem na delegacia, abuso de autoridade e muito mais.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (6 votes, average: 7.67 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

Vista do Rio com uma cachaça Sagatiba

Tenho que confessar: tem horas que ser o Jeremy Joseph é uma das atividades mais recompensantes que faço desde que nasci. Comigo nada é ortodoxo. Fui ao Rio de Janeiro a trabalho (meu outro trabalho) e já havia esquematizado tudo: hotel em Copa, colegas acompanhando e guias de programação nas mãos. Como não podia deixar de ser, esqueci de ligar para todos os meus contatos na cidade, já que estava entretido demais com o trabalho (!), com a minha “motorista” e com o meu colega e a irmã dela (da motorista).

Era uma vez…

Um belo dia, depois da obrigação com o meu remunerador cumprida, resolvi atender ao pedido da motorista: ir ao cinema e comer pipoca. Tudo bem que eu queria beber mais uma caipirinha de uva com maracujá e manjericão, mas essa é uma outra história. Fomos os quatro dentro do carro dela. Vermelhinho, tunado e com os vidros escuros, pegamos o trânsito de cinco da tarde no Rio de Copacabana até a Barra da Tijuca.

Eis que surge uma modafoca

Um fusca policial

Já próximos ao destino, eis que de repente um carro sem placas surge da pista ao lado e nos dá uma fechada. Normal nos dias de hoje. Buzinadinhas de advertência e fim de papo, certo? Nada disso! A mulher que dirigia o carro não identificado não gostou da buzina e parou ao nosso lado anotando a placa.

Foi quando a minha motorista abaixa o vidro e pergunta: “O que você está anotando aí?” Que bizarrice! A sujeita acelerou e parou em frente a quatro policiais, pedindo que nos abordassem! A confusão estava formada! As mulheres começaram a discutir na frente dos policiais, a gritaria foi aumentando até que ouvimos: “Vocês estão presos! Eu sou uma oficial de justiça e tenho o direito de mandar prendê-los por obstrução de meu trabalho e ainda vou multar este carro por direção perigosa!”

É isso mesmo? Fomos fechados ainda acusados de obstrução da justiça e direção perigosa? Eu entendi bem? Eu aqui perdendo meu tempo com uma pessoa acostumada a lidar com quem se intimida com bravatas e declarações de poder inexistente (naquele caso), perdendo o cinema, a pipoca, o divertimento e a oportunidade de conhecer mais bares no Rio de Janeiro?

Macaco dentro de um carro de polícia

"Cala a boa e vambora, cambada de modafoca"

Agora é que vem o mais legal: como aquela senhora nos deu voz de prisão, fomos todos encaminhados à 16ª delegacia de polícia na Barra da Tijuca para esclarecer o ocorrido à delegada. Os policiais putos da vida por ter que ir fazer ocorrência por simples capricho de alguém que se julga acima da lei, meu colega ouvindo música com seus fones de ouvido o tempo inteiro, a motorista, a irmã dela, os policiais e eu batendo papo e rindo da situação. Principalmente quando a servidora pública foi desmentida pelos policiais e ficou com cara de tacho enquanto lembrávamos que a delegacia era em frente ao do Bar do Oswaldo, famoso na cidade por suas batidas com cachaça.

Um carro com várias frutas e cachaças

Agora sim!

Aí é que deu vontade mesmo! Depois daquele estresse todo, não deu outra: saímos de lá com tudo resolvido, uma denúncia contra abuso de poder nas mãos e fomos ao bar em frente! Bebi, com muito gosto, batidas de coco, de caju (essa é nova lá) e de cocujá (coco com maracujá). E são mesmo deliciosas. A cada gole, um sabor encorpado, cremoso e com álcool na medida certa. A cachaça usada, segredo da casa, se faz presente no sabor, melhorando ainda mais a experiência. Bebemos, conversamos, rimos, brindamos ao deboche como forma de combater a prepotência e fomos bem atendidos. Realmente, não é à toa que muita gente fala nessas batidas.

Não preciso nem dizer que um dos ocupantes do carro não bebeu e assumiu o posto de motorista para a nossa segurança e para que eu possa sempre trazer novas histórias para vocês!

Você também gostará desses

Alice viajando no país das maravilhas O conto de fadas Alice no País das Maravilhas visto de uma forma etílica e meio transtornada...
Cachaças, aviões e o preconceito Um papo sobre preconceito, viagens de avião e a cachaça. Um belo paralelo e a infelicidade do preconceito com a cachaça, que hoje em dia é subjulgada....
Cachaceiro frito. Jeremy Joseph na rave. Jeremy conta sua experiência etílica numa mistura de cachaça com Rave. Dá pra imaginar que não prestou muito certo?
Cultura, tecnologia, invovação e… CACHAÇA 3 ... Fazendo um passeio pelo Rio, vendo tecnologia, cultura, coisas inovadoras, quando de repente... CACHAÇA! Nosso nobre Jeremy achaça um stand sobre a ca...
O bêbado e a língua É melhor falar ou pensar duas vezes? Em alguns casos a segunda opção é mais válida, mas quando se está com algumas cervejas pra dentro, complica....
Vila Madalena, samba, mulheres e cachaça Night, balada agradável em Vila Madalena, São Paulo, muito regada com mulheres bonitas e ótimas caipirinhas. Um samba de raiz como trilha sonora, mist...

Tags:

Compartilhe:

  • convidaram a oficial de justiça para uma rodada de batidas?

    era o mínimo que se podia fazer né ;D

  • Papai Noel

    Jeremy… você tinha de aproveitar a situação e abrir uma ocorrência contra a criatura, essa senhora vai continuar espalhando o caos e atrapalhando a alegria e harmonia de todos os modafocas!!

    Mas agora explica a situação, tem um bar na frente da delegacia… ai é demais, além de tomar canseira ainda toma umazinha… boa solução do dono do bar… podia até virar slogan "Tome uma canseira ai na frente e depois relaxe tomando uma por aqui!!"

  • @Buccalon: a mulher estava transtornada demais coma vergonha para aceitar o convite!

    @Papai Noel: O processo já foi iniciado. Tenho certeza de que não dura muito até ela ter de procurar uma agência de empregos! Quanto ao slogan, é uma acessoria que podemos prestar ao pessoal do bar!

  • Leandro

    puta q pariu… por solidariedade eu vo toma uma hj ..

  • oswaldo é classico… fato cair pra lá e beber… estando com alguem então, melhor ainda, já que é praticamente na rua dos motéis aqui na Barra da Tijuca 😀

  • Pois é… nem comentei isso porque aí eu teria que escrever pro Papo de Homem! 😉

  • denize

    primeira ve q leio um artigo seu e já me apaixonei pela sua história, mas acho q vc deveria ter convidado a figura pra tomar uma cocujá!!!!!!!!!!!!

  • Camille

    bar do oswaldo é muitobommmmmmmmmmm , perfeitooo, e fica lotadooo, nao tem como nao dar uma passadinha la para uma pré night com as deliciosas batidas…!

  • Nathalia Karl

    Muitooooo bom =]

    De um cinema com pipoca e no máximo refrigerante para uma parada inusitada para tomar caipirinha no Bar do Oswaldo??? Hummm, até que esse abuso de poder fez o dia valer a pena,hein. hehehe