Vai uma purinha?

Copo de Cachaça

Vai mais uma?

Eu sempre gostei de cachaça. Sou mineiro do interior e a bebida sempre fez parte das reuniões de família e toda vez que a turma toda se encontrava, aconteciam as sessões de truco, acompanhadas de tira-gostos e uma cachacinha. Quando surgiu a proposta de escrever sobre cachaça para o Papo de Bar, imediatamente esses momentos vieram à cabeça.

Cachaça? Yeacow…

Einstein com língua de fora

Bleargh!

Por conta de um estigma social, muita gente ainda torce o nariz quando o assunto é cachaça. A própria história da bebida no Brasil contribuiu para esta má imagem, que sempre foi associada à escravatura e posteriormente às classes mais baixas devido ao baixo preço e processos de fabricação ultrapassados, que depreciavam a qualidade do produto final. Mais recentemente, a cachaça começou a ser valorizada como deve ser graças às pessoas que passaram a admirar este nosso patrimônio cultural e a exaltar o ritual de se beber cachaça entre amigos.

Copo Martelinho

Tanto faz se for no “martelinho”, aquele copinho característico, ou misturada com gelo, açúcar e limão em uma caipirinha, quem bebe cachaça sempre tem histórias para contar. Falando em caipirinha, esse drink brasileiríssimo é destaque internacional e faz parte da lista oficial da IBA (International Bartenders Association), além de estar entre os 50 melhores do mundo segundo a entidade. Para quem não dispensa beber a famos purinha, existem cachaças feitas com mais cuidado e envelhecidas usando barris de madeiras especiais que podem ser comparadas aos melhores uísques do mundo não só na suavidade mas também no preço.

O que antes era relegado a miseráveis e escravos, aos poucos passa a se tornar artigo indispensável em muitos bares do high society. Beber cachaça deixa de ser vergonhoso, começa a ganhar status e a conquistar até o público feminino, tradicionalmente menos tolerante ao sabor tão característico. Beber cachaça agora é arte.

Essa sim é brasileira…

Copo de caipirinha

É uma arte tão brasileira que falar dela é falar de música, festa, alegria, tira-gosto, baralho, família, amigos, amigas, porres, ressacas, “causos” e tudo o que faz de nós esse povo tão rico e especial. Então, tire a rolha, encha o copinho, dê um pouco pro santo e me acompanhe nessa dose que eu ainda tenho muito para falar dessa cana!

Até o próximo post!

Você também gostará desses

A saga de Jeremy envolvendo abuso de poder e batid... Mais uma saga de nosso Jeremy rumo a uma das mais famosas batidas do Rio, a do Oswaldo. Passagem na delegacia, abuso de autoridade e muito mais.
Cachaça, água tônica e catchup. Jeremy Joseph e su... A moda agora é a onda do sertanejo universitário, todo lugar tem. E misturando com mulheres lindas, cachaça e finalizar com um podrão, nada melhor que...
Gringos, Lapa, mineirada, cambista caridoso, Pearl... O que uma viagem ao Rio de Janeiro para ver o show do Pearl Jam não faz. Uma mistura de Rio Scenarium, Lapa, mulheres mineiras, cambistas e cachaça na...
O Narguilê e Jeremy Joseph Jeremy conta para nós a sua inusitada experiência de inalar uma boa cachaça dentro de um Narguilé. Confira!
João Medeiros e a pimenta Jeremy fala sobre uma cachaça sem nome, batizada de João Medeiros. Bem artesanal e fortíssima e acompanhada de petiscos apimentados.
Água que passarinho não bebe, mas você sim Um conto etílico sobre cachaça, a vida e seus prazeres. No que a cachaça tem a ver com você? No que sua vida tem a ver com a cachaça?