Garrafas de vinhos austríacos

Vinhos austríacos

“Conheça alguns vinhos austríacos que nossa equipe experimentou. Os vinhos austríacos não possuem uma tradição muito grande no Brasil, mas são deliciosos e aprovadíssimos por nossa equipe.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (2 votes, average: 6.00 out of 10)
Loading...

Fala PdBs. Como vocês não estão no sametime aqui vai a minha humilde resenha sobre alguns vinhos austríacos.

Interessante, nunca tinha ouvido falar de vinhos austríacos

Garrafas de vinhos austríacos

Créditos: Thomas Cizauskas

Além dos vinhos austríacos não serem nada comuns por aqui, os vinhos degustados apresentam outras duas particularidades: são orgânicos (produção sem uso de defensivos agrícolas industrializados e sem adição de leveduras) e biodinâmicos (colheitas obedecendo as fases da lua e ao movimento dos astros). Interessante, não? Vamos agora para alguns deles e minha opinião sobre.

Vinhos austríacos: Wenzel GELBER MUSKATELLER 2009 (branco)

Fazem vinhos desde 1647 (região de Mittelburgenland, que faz fronteira com a Hungria). Ligeiramente ácido, baixo teor alcóolico (se não me engano 11%), aroma agradável de frutas amarelas. A Confraria Carioca (doravante denominada CC) vende por R$149 – ao meu ver só vale a pena pra quem é fã de vinhos brancos

Vinhos austríacos: Juris ROSE Sankt Laurent 2009 (rosé)

Fazem vinhos desde 1571 (também da região de Mittelburgenland). Essa uva Sankt Laurent é uma “prima” da Pinot Noir. Também ligeiramente ácido, seco (mais rascante do que eu esperava, o que foi ótimo), leve aroma de cerejas. Vendem por 139 e eu acho que quase vale a pena (é um que eu compraria pra levar na confraria se não tivesse sido expulso 2x)

Vinhos austríacos: Nikolaihof HEFEABZUG Gruner Veltliner 2011 (branco)

A Nikolaihof é uma das produtoras mais tradicionais da Áustria, e a uva gruner veltliner a mais emblemática. Fazem vinhos há 2000 anos no norte do país (região de Wachau), mas o primeiro documento que comprova isso é de 470 dC. Um branco fino, com aroma diferenciado, na minha opinião é pra ser apreciado pelos fãs de vinho branco (eu na minha condição de mero apreciador de gewurztraminers e viogniers preferiria o Wenzel do que pagar R$ 199 por esse aqui)

Vinhos austríacos: Markowitsch CARNUTUM CUVÉE 2010 (tinto)

Garrafa do vinho Nikolaihof

Créditos: Jimmy

Vinícola moderna de lá, fazem vinhos desde a década de 90 (região de Carnutum). Vinho de corte que usa 80% de zweigelt (casta produzida em 1922 na Austria através do cruzamento da Sankt Laurent com a Blaufrankisch). Um tinto leve, bom pra acompanhar carnes de aves, queijos e massas, sendo vendido por R$ 129 (vale pela curiosidade)

Vinhos austríacos: Prieler JOHANNESHOHE Blaufrankisch 2008 (tinto)

Tem como curiosidade o fato da família Prieler ter tradição de cerca de 150 anos no agronegócio (grãos, beterraba, batata, etc), que decidiu focar na produção de vinhos em 1972. É um tinto 100% composto pela uva Blaufrankisch, com corpo moderado e um toque de especiarias no aroma. Por conta disso, deve cair muito bem com carnes de caça, cordeiro e de repente uma comida mais condimentada (como a árabe, por exemplo). Saindo por R$149, acho que até vale o preço, por ser bem diferente do que a gente encontra em outros vinhos do velho mundo.

Finalizando

E aí, gostou? Já bebeu algum desses vinhos austríacos? Já bebeu algum outro? Fale pra nós 😉

Você também gostará desses

Camisinha de vinho Inventaram uma camisinha de vinho. Mas calma, é uma camisinha para garrafas de vinho e não para o que você está pensando. Veja como ela funciona!
Drinks refrescantes – Parte 1: Sangria Calor forte chegando com o verão brasileiro, nada melhor que bebidas refrescantes, certo? A bebida de agora é a sangria, ótimo mistura de vinhos com f...
Pegadinha do Vinho: Teste cego surpreende enochato... Testes cegos não é só para cervejeiros, mas também para o grupo de bebedores de vinho, os enólogos. E podemos ver que o resultado é o mesmo, preconcei...
Caneta de vinho feita com tinta de vinho A vinícola Casa Mariol criou uma caneta de vinho, quer dizer, que escreve com tinta de vinho. O melhor Cabernet Sauvignon da marca foi escolhido para ...
Diga ao garçom que fico! Qualquer comemoração é um bom motivo para se apreciar uma cachacinha. Melhor ainda com as dicas para reconhecer uma cachaça de qualidade.
Eu não te juro amor, mas eu te Jurupinga Apresentamos a conhecida e temida bebida, Jurupinga. Uma bebida feita a base de combinações de vinhos brancos. Bem doce e adorada pelas mulheres. Conf...

Compartilhe: