Bares e cervejas: Revezamento 4×100

Mulherada brindando

Mais uma vez um título ordinário, sem noção, em que você olha de primeira e pensa: “Perae, como assim? Esse cara bebeu?“.

Como você adivinhou? Acho que esse blog está começando a adicionar os poderes paralelos, de premonição, algo no estilo Heroes, mãe Dinah ou afins, aos meus leitores.

Nessa você viajou demais hein…

Sim, sim. São vestígios de sexta-feira.

Aliás, é sobre sexta-feira mesmo que vou escrever aqui neste post. E no decorrer, final do post, vocês vão entender o título.

Beleza então. Mas agora conte o relato.

Você, fanfarrão, que vive enchendo a cara por aí, seja sozinho ou acompanhado com os amigos, namorada, etc.

Em homenagem ao lançamento do meme “Esse Blog é feito com cerveja“, fui até Petrópolis para rever velhos amigos e encher a cara, logicamente.

Bohemia

A melhor cerveja do Brasil.

Petrópolis, cidade imperial, terra da melhor cerveja nacional, na minha opinião, claro, a Bohemia. Que, aliás, estou tomando uma escura neste momento da criação deste post.

Petrópolis

A Cidade Imperial

Petrópolis… Uma cidade que possui alguns bares, não muitos, mas uma quantidade razoável pelo tamanho dela. O chato é quando chega certo horário, e muitos se fecham, causando uma certa revolta para os bêbados de plantão.

Putz. Que chato isso hein…

Bastante. Mas para isso, ocasiões como essa, temos sempre os botecos salvadores, iluminados, baratos e gloriosos “botecos pé sujo“.

Pé Sujo? Como assim?

Sim, pé sujo. São aqueles botecos medonhos, sujos, que geralmente vendem ovos amarelos, linguiças calabresas que já fizeram aniversário naquele “mostruário“, entre outras peripécias alimentícias que estão jogadas às moscas.

Esses botecos são providos de boa cerveja (por incrível que possa parecer), assim como bons preços, porque, geralmente, os freqüentadores são bêbados alucinados e sem grana que estão querendo beber e somente beber.

Legal hein. Gostei disso.

Todos nós adoramos esses botecos. Mas só que na sexta, por ser uma data memorável, decidimos andar pela cidade, diante da madrugada, atrás de botecos abertos para beber.

Ahhhhh sim. Agora entendi o título do Post.

Exatamente. Até que você não é burro não 😉 . Fomos em vários botecos, fazendo esse revezamento de bar em bar. Mas lógico que todos juntos. Esse detalhe de ir sozinho é só nas piscinas mesmo.

E você se pergunta: “Mas por que isso?“. Para beber, cair e levantar, lógico. São ocasiões onde queremos beber, falar merda, mas de forma diferente, saindo da mesmice, fazendo um tour etílico pela cidade.

Tour Etílico? Gostei disso.

Sim. Porque só beber não tem graça. Tem que ter algo a mais não é verdade?

Resumindo e finalizando…

Experimente fazer um tour etílico na sua cidade. Você pode até conhecê-la muito bem, mas aposto que nos olhos de um bêbado, sua cidade ficará diferente. Um tour sóbrio não tem a mesma graça.

Acredite, você verá beleza onde não existe aos olhos sóbrios. Pontos turísticos talvez inexistentes ou feios que ficarão belos, esses pontos às vezes ficam mais belos e mais interessantes que um Pão de Açúcar da vida.

Experimente e conte para nós a sua experiência. Eu passei por quatro botecos, bebi uns três, quatro tipos de cerveja, comi uma porção de camarão que custou somente R$8 e pasmem, era muito boa e limpinha 😀 .

Não voltei completamente bêbado, mas deu pra dar boas gargalhadas, contar belas e velhas histórias, dizer muita merda com os amigos e inspirar um post modafoca como esse.

Aquele abraço e boa bebedeira.

Você também gostará desses

A história da Wäls: Cerveja e Arte Conheça um pouco da história de uma das maiores cervejarias do Brasil, a mineira Wäls. Desde a fundação que já passou por gerações até a atualidade co...
Como é medido o teor alcoólico da cerveja? Um artigo mostrando como é medida a graduação alcoólica, o percentual alcoólico das cervejas através dos valores de densidade original e final, entre ...
Bowser Beer, a primeira cerveja para cães Uma galera dos Estados Unidos lança uma cerveja exclusiva para os cachorros beberem, a Bowser Beer. Feita sem álcool e aromatizada com carne e frango,...
Algoritmo permite identificar bêbados em multidões... E se existisse uma tecnologia capaz de identificar bêbados em multidões!? Mais fácil controlar baderneiros? Seria invasão de privacidade? Venha debate...
Música e cerveja: Uma música e cinco níveis etílic... A banda Moones documentou um desafio: tocar uma música em cinco níveis alcoólicos diferentes. Começa no nível "sem álcool", depois com 20, 40, 60 e 80...
As categorias de Bêbados Cada bêbado com sua maluquice não é verdade? Nesse post mostramos algumas categorias já conhecidas de bêbados, desde joselitos a popstars.