Cachaças: Um novo ranking pessoal sobre as melhores cachaças

Fala, sedento!

Já faz quase um ano desde a vez em que eu publiquei o meu ranking pessoal de cachaças, que foi muito bem avaliado e eu sou muito grato a você, leitor que me acompanha nessa nossa incessante busca pela valorização deste produto tão genuinamente brasileiro. Muito tempo, muitas histórias e muitos goles depois, estou aqui novamente para expressar a minha admiração pela cachaça, nesta segunda edição do meu ranking, feita especialmente para vocês.

Mais um ranking com ótimas cachaças

Desta vez, eu experimentei também duas cachaças da região Nordeste e a lista está muito boa. Olha só:

10 – Abaíra

Garrafa da cachaça Abaíra

Esta foi enviada para mim pelo leitor Francisco Brito, lá da Chapada Diamantina, na Bahia. É uma cachaça bem forte, com 42% de álcool, mas com um sabor de carvalho, fruto do envelhecimento de três anos em barris feitos com esta madeira, que a deixa relativamente suave. É bem cristalina e deixa um excelente gosto no final.

9 – Claudionor

Garrafa da cachaça Claudionor

Procedente de Januária, MG, esta cachaça tem 48% de álcool. Está achando muito? Antes ela tinha 52% e teve que diminuir para atender à nova legislação. É cachaça de macho, com sabor bem forte e bastante gosto de cana. ideal para as noites frias e rodas de truco com os amigos.

8 – Magnífica

Garrafa da cachaça Magnífica

Esta vem de Miguel Pereira, RJ. Tem 45% de álcool, o que não a impede de ser bem suave, já que é feita com canas jovens e envelhecida por três anos em barris de carvalho. É uma cachaça de bebida fácil e vai muito bem em drinks.

7 – Sapucaia Velha

Garrafa da cachaça Sapucaia Velha

Esta é paulista e veio de Pindamonhangaba. Também foi um belo presente, desta vez, da querida Patrícia Freitas. É uma cachaça que está no mercado desde 1930 e é bem suave. Tem só 40,5% de álcool e tem um sabor muito sutil e delicioso. Belo presente, Patrícia!

6 – Serra Preta

Garrafa da cachaça Serra Preta

Essa “cabra da peste” veio lá de Alagoa Grande, PB. No mercado desde 1908, é uma cachaça que não mudou muito desde então. Tem 45% de álcool, mas é bem ácida, fazendo o seu paladar ser bem restritivo para algumas pessoas. Chegou em uma boa posição no ranking pelo sabor “honesto”.

5 – Dona Beja

Garrafa da cachaça Dona Beja

Mineirinha de Araxá, esta cachaça tem mais de cem anos de tradição e é um verdadeiro sucesso. É uma cachaça envelhecida por três anos em barris de carvalho e tem um certo toque de canela no seu paladar. Ela deixa um sabor muito bom no final e é uma boa pedida para várias ocasiões.

4 – Tabaroa

Garrafa da cachaça Tabaroa

Vem do bairro de Bichinho, na cidade de Prado, em MG. Esta é uma cachaça envelhecida por dois anos em barris de carvalho e com 46% de graduação alcoólica. Mesmo com esta graduação alta, tem um paladar bem suave e desce muito bem. O retrogosto não fica por muito tempo, mas é bem agradável.

Cheguei o top 3 do ranking com cachaças que são obrigatórias em meu bar de agora em diante.

3 – Cachaça da Tulha

Garrafa da Cachaça da Tulha

É uma cachaça relativamente nova no mercado, mas já ganhou notoriedade e minha reverência. Produzia em Mococa, SP, é uma cachaça bem suave, com graduação alcoólica de 40%. Escura e bem amadeirada, aos olhos de qualquer pessoa até se passa por uísque. E o sabor também não fica devendo nada a nenhum scotch.

2 – Vale Verde

Garrafa da cachaça Vale Verde

Esta maravilhosa cachaça, envelhecida por três anos em barris de carvalho, vem de Betim, MG. Com uma graduação de 40% de álcool, é bem encorpada e deixa aquela bela cortina no copo. Ao contrário do que parece, com o envelhecimento ela não fica doce demais e o seu sabor é muito peculiar. O álcool e o aroma são bem suaves e percebe-se o cuidado na produção desde o primeiro gole.

1 – Piragibana

Garrafa da cachaça Piragibana

A campeã do meu ranking mais uma vez vem de Salinas, MG. A Piragibana é daquelas cachaças de se beber ajoelhado.Tem um aroma delicioso e sabor inconfundível, que fica na boca por bastante tempo. É uma cachaça cara e bem difícil de encontrar, pois é envelhecida por 22 anos em barris mistos de bálsamo e carvalho. Com 47% de álcool, é uma bebida para se apreciar em ocasiões especiais. Portanto, se você tiver a oportunidade de experimentar, não rejeite.

Finalizando

É isso. Com estas cachaças o meu bar ficou bem mais completo e diversificado e espero que você tenha tirado boas dicas sobre o que comprar para o seu. Gostou da lista? Tem alguma sugestão para este ranking ou quer me enviar alguma cachaça para que eu experimente? Será um prazer falar com você aqui nos comentários.

Não se esqueça de beber numa boa e não causar problemas para você e para outros com os excessos e nunca dirija depois de beber.

Um abraço e até a próxima!

Você também gostará desses

Cachaças. Um ranking pessoal de cachaças nacionais... Um ranking com cachaças nacionais criado pelo nosso cachaceiro. Cachaças de todos os tipos e degustadas e avaliadas por nosso especialista.
Festas Juninas e suas bebidas típicas Saiba mais sobre as Festas Juninas e suas bebidas típicas. Elas possuem muitas comidas típicas, mas também possui ótimas bebidas etílicas típicas. Tan...
Tiquira. Bebida pra macho Já ouviu falar na Tiquira? Uma bebida típica de Maranhão pouquíssima conhecida no Brasil. É uma aguardente forte e que possui suas lendas locais bem b...
Das cachaças e suas misturas maravilhosas! Jeremy disponibiliza algumas variedades e misturas deliciosas com cachaça. Desde batidas, até a famosa caipirinha. Pegue as receitas e se delicie.
Levou um pé na bunda? Beba até segunda! Tomou um pé na bunda? Terminou um relacionamento? Relaxa, você não é o único na lista. Divirta-se com estrofes sobre relacionamentos e bebidas.
Cachaça João Andante Conheça a cachaça João Andante, do interior de Minas Gerais, como não poderia deixar de ser uai. Uma cachaça deliciosa e suave e com muita cultura na ...