Cachaças: Um novo ranking pessoal sobre as melhores cachaças

“Um especialista em cachaça mostra seu ranking pessoal com as 10 melhores cachaças nacionais da atualidade. Confira esta nova lista de deliciosas cachaças.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (17 votes, average: 7.35 out of 10)
Loading...

Fala, sedento!

Já faz quase um ano desde a vez em que eu publiquei o meu ranking pessoal de cachaças, que foi muito bem avaliado e eu sou muito grato a você, leitor que me acompanha nessa nossa incessante busca pela valorização deste produto tão genuinamente brasileiro. Muito tempo, muitas histórias e muitos goles depois, estou aqui novamente para expressar a minha admiração pela cachaça, nesta segunda edição do meu ranking, feita especialmente para vocês.

Mais um ranking com ótimas cachaças

Desta vez, eu experimentei também duas cachaças da região Nordeste e a lista está muito boa. Olha só:

10 – Abaíra

Garrafa da cachaça Abaíra

Esta foi enviada para mim pelo leitor Francisco Brito, lá da Chapada Diamantina, na Bahia. É uma cachaça bem forte, com 42% de álcool, mas com um sabor de carvalho, fruto do envelhecimento de três anos em barris feitos com esta madeira, que a deixa relativamente suave. É bem cristalina e deixa um excelente gosto no final.

9 – Claudionor

Garrafa da cachaça Claudionor

Procedente de Januária, MG, esta cachaça tem 48% de álcool. Está achando muito? Antes ela tinha 52% e teve que diminuir para atender à nova legislação. É cachaça de macho, com sabor bem forte e bastante gosto de cana. ideal para as noites frias e rodas de truco com os amigos.

8 – Magnífica

Garrafa da cachaça Magnífica

Esta vem de Miguel Pereira, RJ. Tem 45% de álcool, o que não a impede de ser bem suave, já que é feita com canas jovens e envelhecida por três anos em barris de carvalho. É uma cachaça de bebida fácil e vai muito bem em drinks.

7 – Sapucaia Velha

Garrafa da cachaça Sapucaia Velha

Esta é paulista e veio de Pindamonhangaba. Também foi um belo presente, desta vez, da querida Patrícia Freitas. É uma cachaça que está no mercado desde 1930 e é bem suave. Tem só 40,5% de álcool e tem um sabor muito sutil e delicioso. Belo presente, Patrícia!

6 – Serra Preta

Garrafa da cachaça Serra Preta

Essa “cabra da peste” veio lá de Alagoa Grande, PB. No mercado desde 1908, é uma cachaça que não mudou muito desde então. Tem 45% de álcool, mas é bem ácida, fazendo o seu paladar ser bem restritivo para algumas pessoas. Chegou em uma boa posição no ranking pelo sabor “honesto”.

5 – Dona Beja

Garrafa da cachaça Dona Beja

Mineirinha de Araxá, esta cachaça tem mais de cem anos de tradição e é um verdadeiro sucesso. É uma cachaça envelhecida por três anos em barris de carvalho e tem um certo toque de canela no seu paladar. Ela deixa um sabor muito bom no final e é uma boa pedida para várias ocasiões.

4 – Tabaroa

Garrafa da cachaça Tabaroa

Vem do bairro de Bichinho, na cidade de Prado, em MG. Esta é uma cachaça envelhecida por dois anos em barris de carvalho e com 46% de graduação alcoólica. Mesmo com esta graduação alta, tem um paladar bem suave e desce muito bem. O retrogosto não fica por muito tempo, mas é bem agradável.

Cheguei o top 3 do ranking com cachaças que são obrigatórias em meu bar de agora em diante.

3 – Cachaça da Tulha

Garrafa da Cachaça da Tulha

É uma cachaça relativamente nova no mercado, mas já ganhou notoriedade e minha reverência. Produzia em Mococa, SP, é uma cachaça bem suave, com graduação alcoólica de 40%. Escura e bem amadeirada, aos olhos de qualquer pessoa até se passa por uísque. E o sabor também não fica devendo nada a nenhum scotch.

2 – Vale Verde

Garrafa da cachaça Vale Verde

Esta maravilhosa cachaça, envelhecida por três anos em barris de carvalho, vem de Betim, MG. Com uma graduação de 40% de álcool, é bem encorpada e deixa aquela bela cortina no copo. Ao contrário do que parece, com o envelhecimento ela não fica doce demais e o seu sabor é muito peculiar. O álcool e o aroma são bem suaves e percebe-se o cuidado na produção desde o primeiro gole.

1 – Piragibana

Garrafa da cachaça Piragibana

A campeã do meu ranking mais uma vez vem de Salinas, MG. A Piragibana é daquelas cachaças de se beber ajoelhado.Tem um aroma delicioso e sabor inconfundível, que fica na boca por bastante tempo. É uma cachaça cara e bem difícil de encontrar, pois é envelhecida por 22 anos em barris mistos de bálsamo e carvalho. Com 47% de álcool, é uma bebida para se apreciar em ocasiões especiais. Portanto, se você tiver a oportunidade de experimentar, não rejeite.

Finalizando

É isso. Com estas cachaças o meu bar ficou bem mais completo e diversificado e espero que você tenha tirado boas dicas sobre o que comprar para o seu. Gostou da lista? Tem alguma sugestão para este ranking ou quer me enviar alguma cachaça para que eu experimente? Será um prazer falar com você aqui nos comentários.

Não se esqueça de beber numa boa e não causar problemas para você e para outros com os excessos e nunca dirija depois de beber.

Um abraço e até a próxima!

Você também gostará desses

Jogos Etílicos: E que comecem os jogos! Pra quem pensa que beber é algo chato e monótono. Alguns jogos para você, bêbado, se divertir enquanto está com os amigos, seja no Bar ou em casa mesm...
Volúpia, você conhece essa cachaça? Conheça a Volúpia, uma cachaça artesanal de origem da Paraíba e que tem se renovado bastante no mercado e possui seu processo de fabricação artesanal....
Cachaças. Um ranking pessoal de cachaças nacionais... Um ranking com cachaças nacionais criado pelo nosso cachaceiro. Cachaças de todos os tipos e degustadas e avaliadas por nosso especialista.
Cachaça João Andante Conheça a cachaça João Andante, do interior de Minas Gerais, como não poderia deixar de ser uai. Uma cachaça deliciosa e suave e com muita cultura na ...
Mineiras e cachaças Quem disse que mulher não bebe cachaça? Bebem sim, principalmente as mineiras, campeãs nessa modalidade e que ainda botam muitos homens no chinelo.
Mangue Seco promove mais uma edição do Clube Cario... O Mangue Seco vai promover mais uma edição do Clube Carioca da Cachaça na quarta-feira, dia 19 de outubro de 2016, com ingresso custando R$15

Compartilhe:

  • Cristiano Ferro

    Vou anotar todas essas suas dicas. Você já bebeu a cachaça Leblon? Ouvi dizer que é muito boa e, é importada para vários países.

    • VALÉRIA

      Se ela é importada não é nacional… kkkkkkk
      Na cerdade acredito que vc queria dizer exportada… rsrsrsrs

      • Cristiano Ferro

        Oh Valéria! obrigado por avisar, eu tinha percebido só depois que postei, ai não dava mais para corrigir hehe
        Só uma observação: não é cerdade e sim: verdade
        uahuaua 😉

  • Cristiano Ferro

    Outra ótima cachaça é a: Cana Crioula, é a primeira cachaça preta brasileira. Tem um ótimo sabor e não é cara. Também é vendida pela internet, para quem interessar: http://www.canacrioula.com.br

    • Ainda não conheço nem a Leblon, nem a Cana Crioula, mas será um grande prazer experimentar.

      Obrigado pelas dicas, Cristiano.
      Abraço!

  • Hugo

    Depois, se não tiver experimentado, experimente as cachaças : Nêga Fulô, Aurea Custódio e Passatempo de Minas.

    • Obrigado pelas dicas. Já experimentei a Nega Fulô e ela estará em meu próximo ranking.

      Abraço!

  • voce esqueceu de por a providencia!

  • CJ

    Como bom Mineiro e apreciador de cachaças, acho que as cachaças, quando produzidas artesanalmente e em pequena escala, são as melhores que tem. Os pequenos produtores, que não tem tanta divulgação como os grandes, conseguem produzir cachaças muito mais gostosas. Essa Vale Verde é muito famosa, mas em comparação com outras que vemos no interior de Minas Gerais, não tem nada demais! No final, você paga o preço apenas pela propaganda que as grandes fazem! Em termos de qualidade elas não tem nada demais! A cidade de Salinas se tornou um polo da cachaça e ficou com fama de que tudo que se produz lá é de excelente qualidade, BALELA! As cachaças de lá são tão normais quanto as feitas em qualquer cidade do interior mineiro! Relação custo beneficio dessas cachaças não se justifica!

    • Olá, conterrâneo!

      Gostei do que você disse e assim que eu puder, experimentarei as cachaças menos conhecidas. E eu tenho certeza de que elas são tão boas quanto. É que o universo das micro-cachaçarias é grande demais. Mas garimpar atrás de boas descobertas será um enorme prazer.

      Abraço!

    • Robson

      Assino embaixo meu caro Cj.
      Minha mãe mora à 15Km de Betim e eu já degustei a cachaça vale verde e gostei, porém não justifica o preço pago porque dos alambiques de pequenos produtores do norte de minas por exemplo, saem verdadeiros drinks dos deuses. Minha família produz uma cachaça em Brasilia de Minas cujo o moinho é tracionado por dois burros. Isso rendeu o nome da cachaça de pinga do jegue. Ótima cachaça, saborosa, desce macia e ao provar um gole, dá vontade de virar a garrafa na goela. Um detalhe, cada alambicada rende somente pouco mais de 50 litros, feitos com muito carinho.

  • Adelmo Ribeiro Furtado

    Eu não bebo bebidas alcoolicas, mas voces precisam dar um pulo em Paraty RJ, lá tem umas caninhas famosas mundialmente.Bebam com moderação tá.

  • Tx

    Cara tambem sou um apreciador de cachaça.
    E minha região modestia parte e o paraiso para quem aprecia uma boa cachaça.
    Sou de Taiobeiras-MG, em Salinas-mg que tão perto daqui onde eu moro
    existem cerca de 45 pra mais marcas de cachaça reconhecidas e com fabricação e tecnicas de envelhecimento diferentes.
    Aqui agente encontra cachaça de todo preço. De todo o preço mesmo como a ”Cachaça Havana” que na fabrica se encontra a garrafa de mais ou menos R$ 800,00. Cara se voce aprecia cachaça tem que visitar Salinas.
    Abraços.

    • Outro conterrâneo!
      Obrigado pelo convite para visitar Salinas. Assim que puder, irei.

      Abraço!

  • Nárila

    Ótimas dicas…uma cachaça que apavora é a Mangueira, de melado…tem lá no Piauí.

    • Cachaças de melado costumas ser muito boas mesmo. Obrigado pela dica.

      Abraço!

  • VALÉRIA

    ESSE CARA DEVE TER RECEBIDO UMA GRANA PRA FAZER ESSA RELAÇÃO, UM MONTE DE CACHAÇAS RUINS E FALTAM UM MONTE DE CACHAÇAS BOAS…

    • Infelizmente eu não recebo nem um centavo de ninguém por escrever aqui; não seria nada mau…

      Quanto às cachaças que apresentei, este é um ranking PESSOAL. eu estou apenas expondo as minhas opiniões para vocês. O bom do mundo das cachaças é poder trocar experiências e descobrir coisas novas. É uma pena que você não tenha gostado de nenhuma delas, mas eu ficarei muito feliz se você compartilhar as cachaças que você mais gosta conosco.

      Um abraço.

  • A cana crioula citada é muito boa, tenho uma em casa .. ela é fabricana da cidade vizinha onde moro..

    eu recomendo ela!

    • Citada duas vezes nos comentários… deve ser boa mesmo!

      Abraço!

  • Nicolle

    Recomendo a Cachaça Dedo de Prosa, acho que é a melhor!!
    Abraços!

    • Um dia desses também experimento essa. Obrigado pela dica.

      Abraço.

  • FredericoJ.

    Hum gostei dessas dicas ai um dia irei experimenta-las.

    • Obrigado. É sempre bom ver essa reação.

      Abraço.

  • Gustavo

    Meu velho parabéns.
    Começou do jeito certo. Um novo ranking pessoal.
    Isso mesmo, mostrou seu gosto e pronto.
    Só acho que a Claudionor podia estar melhor.
    Mas é pessoal então deixa prá lá.
    Abraço e Saúde.

    • Obrigado, Gustavo.

      Quanto à Claudionor, se eu pudesse eu faria vários primeiros lugares. Ela é excelente mesmo.

      Abraço!

  • TOTAL ALIEN

    FALTOU A DELICIOSA GERMANA !

    • Eu gosto muito da Germana. Gosto tanto que ela entrou no meu primeiro ranking.

      Um abraço!

  • Guilherme

    Pô cara, falto a 51, velho barrero e oncinha essas concerteza sao TOP 3!

    • HAHAHAHA!

      Brincadeiras a parte, essas cachaças têm a importância de serem responsáveis por boa parte do mundo conhecer esse nosso produto tão fantástico.

      Um abraço!

  • Rafaell Pereira

    Aqui.. te dar uma dica pra quando quizer experimentar uma legítima cachaça artesanal do interior de minas.. beba uma “Ordinária di Minas” (http://www.facebook.com/cachaca.ordinaria.di.minas).. é uma cachaça deliciosa, que conserva as melhores tradições do modo mineiro de produziz aguardente. Ela é feita no Município de Felixlândia (Centro de Minas, a 200 km de BH), que é a região com o melhor solo e clima que existe para o cultivo da cana-de-açúcar de se fazer cachaça. E Sim, isso faz toda diferença. Cachaça de qualquer outra região do mundo, é incomparávelmente inferior, àquelas produzidas no Centro-Norte de Minas. Aí fica a dica: Cachaça Artesanal Ordinária di Minas!
    Abraço!!

    • Obrigado pela dica, Rafaell. Você sabe mesmo recomendar uma cachaça. Assim que eu puder, experimentarei.

      Abraço!

  • Adriano

    Faltou colocar a velho barreiro!!!! =]

  • Cristiano Ferro

    Uma ótima cachaça pra quem não conhece é a: Aroma da terra, de São Roque-SP. Tem 2 tipos: Prata e Ouro. Tem um ótimo custo benefício. É vendido neste site: http://www.vinhosdesaoroque.com.br/destilados.html

  • Sérgio

    Do seu ranking, só conheço a Serra Preta, que tenho na minha coleção e é uma cachaça muito boa, e a Vale Verde, que já ouvi falar mas ainda não provei. Eu acrescentaria nessa lista a Rapariga, de Viçosa, CE, e a Providência, de Minas. Ah, e prove a Tiquira, cachaça maranhense feita de mandioca e tingida de roxo com a folha da tangerina.

    • Belas dicas. Vou procurar assim que der.
      Um abraço!

  • Fernando Ferreira Lima

    Bom dia amigo de gole! Adoro uma cachacinha também e na região onde moro não falta cachaça boa! Tenho duas sugestões para voce experimentar: A primeira, e no meu ranking a melhor delas por aqui, é a JUIZO feita em Presidente Bernardes – MG (há um festival de cachaça no final do mês de julho – muito bom – esteja convidado a participar) – cachaça envelhecida em carvalho (se não me engano) e de um paladar suave e aconchegante. A segunda do meu ranking e não menos importante é a JEREMIAS feita em Dores do Turvo e envelhecida em umbuarana e outras madeiras. Otimas pedidas. Me mande um e-mail para trocarmos outras informações!

    • Beleza de dicas, Fernando. Eu estou mesmo para fazer um circuito de cachaçcas em MG e o festival está na minha lista.

      Em breve, conversamos.

      Um abraço!

  • Julio

    Rapaz, adorei suas dicas!
    Você já experimentou a “Cabeceira do Rio”?
    É de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina – Bahia.
    Recomendo ! Abraço.

    • Ainda não. Mas assim que conseguir, experimentarei com muito gosto.

      Um abraço!

  • Robson

    Desse ranking eu conheço bem duas cachaças, vale verde e serra preta. A primeira não é novidade pra mim porque eu gostei do sabor e aroma. A segunda, meu Deus! Ganhei um litro e para conseguir beber, tive de fazer misturas, entre elas, caipirinha. É muito forte, queima demais e no meu caso fiquei com uma baita azia. Tenho em casa uma cachaça produzida em uma pequena fazenda em Itaúna que é infinitamente superior a isso aí. Se você toma um trago de serra preta para almoçar ou jantar por exemplo, até a comida arranha quando passa pelo caminho traçado por essa cachaça.

    • O bom desses debates é saber a diferença de paladar de cada um. Obrigado por compartilhar o seu.

      Um abraço!

  • Alan Fraga

    Olá, sou de Sto Antônio da Patrulha que aqui no RS é conhecido como a terra da cachaça, devido à grande produção de cachaça feita em nosso munícipio. Conhece a Cachaça Guarda Velha? Ela ja ganhou prêmios como a melhor cachaça do Brasil, se não conhece ainda, procure conhecer, quem sabe ela não entra no teu ranking?
    Abraço

    • É bem possível. É sempre bom ter material para novos rankings!

      Um abraço!

  • Prezado Jeremy Joseph,
    Somos fabricantes da Cachaça Coluninha e gostaria que você visitasse o site http://www.coluninha.com.br e lá você verá e conhecerá uma das melhores cachaças fabricadas em Minas Gerais. Ela é fabricada na cidade de Coluna-MG no Vale do Rio Doce na divisa com o Vale do Jequitinhonha, perto das cidades de Itamarandiba, Serro e Diamantina. A Cachaça Coluninha é encontrada em todo o Brasil e em alguns países como Estados Unidos, Alemanha, Portugal, etc. e tem participado, com muito sucesso junto aos bons apreciadores de uma boa cachaça, desde 1986 da Expocachaça, um evento que é realizado na Expominas em Belo Horizonte

  • Prezado Jeremy Joseph,
    Somos fabricantes da Cachaça Coluninha e gostaria que você visitasse o site http://www.coluninha.com.br e lá você verá e conhecerá uma das melhores cachaças fabricadas em Minas Gerais. Ela é fabricada na cidade de Coluna-MG no Vale do Rio Doce na divisa com o Vale do Jequitinhonha, perto das cidades de Itamarandiba, Serro e Diamantina. A Cachaça Coluninha é encontrada em todo o Brasil e em vários países como Estados Unidos, Alemanha, Portugal, etc. e tem participado, com muito sucesso junto aos bons apreciadores de uma boa cachaça, desde 1986 da Expocachaça, um evento que é realizado na Expominas em BH. Um abraço. Joaquim.

  • Hércules

    Jeremy, parabéns por contribuir com os apreciadores da boa cachaça, por meio do teu ranking e comentários. Respeito sua opinião sobre a Piragibana, mesmo por que nunca a provei, no entanto não consigo imaginar uma cachaça ficar 22 anos em um barril e não pegar um baita gosto de madeira, escondendo o sabor da cana, de qualquer forma vou conferir o sabor depois para ter uma opinião realmente efetiva. Quanto à Tabaroa, a 4ª colocada do teu ranking é um primor de cachaça, graduação alcoólica elevada, mas desce suave e tem cheiro de cana. E é numa medida certa, o carvalho serviu para suavizar o sabor sem sobrepor seu gosto na cachaça. Excelente. Continue com seu excelente blog, felicidades.

    • Obrigado por seu excelente comentário e por demonstrar que conhece bem dessa nossa bebida tão especial. A propósito: por incrível que pareça, a Piragibana não perdeu o sabor da cana. Foi uma ótima surpresa.

      Um abraço!

  • Hércules

    Apenas a título de esclarecimento para alguns que ainda pensam ser o modo de produção a única diferença entre cachaça artesanal e a industrial: na verdade os únicos fatores que as tornam parecidas são os limites de graduação alcoólica e o nome “cachaça” (aguardente de cana destilada, com graduação alcoólica de 38 a 48 ). Falo das boas artesanais, posto que há algumas fabricadas sem os mínimos critérios de higiene. Vejamos alguns pontos, via de regra, constantes em cada produção.

    Artesanal – colheita manual, sem queimada dos palhiços
    Industrial – colheita mecânica, com queimadas para facilitação, o que produz a acroleina (substância cancerígena) e ainda a perda dos elementos sensoriais da cana. Colheita com máquinas que podem ajuntar, além da cana, seres indesejáveis como: ratos, cobras e restos animais resultantes da queimada, indo essa horripilante mistura para a moagem.

    Artesanal – moenda da cana em até 24 horas (alguns consideram 36 horas o limite)
    Industrial – por vezes a estocagem da cana que resulta na perda ou inversão da sacarose.

    Artesanal – fermentação com leveduras naturais e prazo suficiente para uma fermentação natural
    Industrial – fermentação rápida pela necessidade comercial

    Artesanal – desprezo da “cabeça” (10% iniciais) e “cauda” (10% finais) da destilação, aproveitando os 80% intermediários,o chamado “coração”, onde estão as substâncias adequadas a uma cachaça de excelência.
    Industrial – aproveitamento praticamente integral da destilação, inclusive dos 20% (cabeça e cauda) que contêm substâncias pesadas e a água fraca que provocam o famoso “bafo de cachaça'”, dor de cabeça e ressaca.

    Artesanal – armazenamento (mínimo 6 meses) ou envelhecimento posterior para formação de novas reações químicas, elementos secundários, que darão mais qualidade à cachaça.
    Industrial – engarrafamento e, por vezes adição de açúcar, para envio imediato ao mercado consumidor.

    Até mesmo para se fazer a tradicional caipirinha muitos se gabam de utilizarem as industriais “branquinhas”, e o consumidor toma aquela mazela escondida por açúcar e limão, depois se vira com a ressaca brava. Experimentem fazer uma caipirinha com a “Minha Deusa” (do mesmo produtor da “Vale Verde” – Betim-MG – a “Coqueiro” ou “Corisco” tradicionais de Paraty-RJ ou uma nova cachaça da “Germana”, que me esqueci o nome no momento, verdadeiras branquinhas, excelentes para caipirinha ou mesmo degustação pura (embora, para beber pura, eu prefira as envelhecidas). Sai mais caro, mas vale pelo “day after”.
    Que ninguém imagine por isso que pode se esbaldar na boa cachaça e sair ileso, se esquecendo que ali “contém álcool” também rs e o fígado tem que se virar nessa. O mesmo aconteceria se bebesse um whisky de excelente qualidade. A propósito, a cachaça artesanal é uma bebida de qualidade que nada deve ao festejado whisky , pelo contrário, e atualmente tem constado nas cartas dos grandes restaurantes brasileiros. Como asseverou o renomado jurista Sobral Pinto: “Quando o Brasil criar juízo e se tornar uma potência mundial, será a cachaça e não o Whisky a bebida do planeta”. Jeremy, perdoe-me a extensão do texto e até mesmo o desvio parcial do tema, tudo pela defesa da verdadeira purinha. Abraço!

  • Danilo Imperi

    Caro Amigo, experimente a RESERVA 51, e me diga qual sua opnião, embalagem, sabor, aroma, aqui ficamos surpreendidos pela qualidade.

    abraços

    Danilo

  • Hércules

    Jeremy, provei da Piragibana e você está certo, cachaça de primeira qualidade, realmente merece as referências que deu. Vou te sugerir e aos colegas que experimente, se já não o fez, uma cachaça que é minha preferida, a Armazém Vieira, de Florianópolis, para mim a melhor cachaça que existe, envelhecida na grápia e no ariribá, impressionante como é equilibrada e saborosa.

  • Huáscar Soares Gomide

    Adorei seus comentários e sua classificação PESSOAL de cachaças. Gostaria de sempre rece=ber seus comentários

  • Emird

    Amigo vc não experimentou a Anísio Antiga Havana. E sacanagem perto dessas aí.inclusive a vale verde não e nem respeitada aqui nas minas gerais só o pessoal da playboi que gosta

  • Alice

    Olá!! Quero dar de presente uma cachaça ao meu namorado, que é um grande apreciador das fortíssimas cachaças artesanais mineiras. O pai dele, inclusive, é um produtor da bebida. Qual vocês me recomendam? Obrigada!

  • Dárcy Mendonça

    Adoro seus posts. Mas tenho certeza que sua vida vai mudar depois que você experimentar a cachaça “Serrote”. Se quiser, posso te presentiar com uma. Todos na vida precisam experimentar.rs

  • LUIZA RODRIGUES

    gostaria de saber de alguem deste site onde compro a caçhaça JUIZO atedia 05/03/2012 para dar de presente.Moro em belo horizonte/MG.agradeço.LUIZA

    • Hércules

      Luiza, há alguns bons sites de venda de cachaças, tente o http://www.barril514.com.br, http://www.armazemdachacaca.com.br; http://www.cachacaexpress.com.br, costumo encontrar boas cachaças neles. A propósito, nesta semana conheci uma cachaça do Rio Grande do Sul, se chama Flor do Vale, espetaculares a tradicional e a envelhecida no amendoim. Sou mineiro, mas não me apego a patriotadas para avaliar cachaça. O Rio Grande do Sul está se destacando na qualidade e higiene de suas cachaças. Fui conhecer o alambique da Flor de Minas, em Canela-RGS, e me impressionaram o zelo na preparação e a qualidade desta cachaça.

      • Grande Hércules, “legai isso em!”. Obrigado pelo post em referencia a Flor do Vale. Ficamos muito felizes em saber que aos poucos vamos conquistando o coração de nossos visitantes. Grande Abraço e curta nossa FANPAGE no Facebook.

  • Douglas Pereira

    Boa tarde,fico muito alegre quando vejo a nossa cachaça ser tratada desta forma,e caindo no gosto do brasileiro,bem sou da chapada diamantina do mesmo lugar onde é produzida essa Abaíra,que muito boa.em fim aqui é uma região muito boa produtora de cachaça pelo sue fator climatico,ainda tem a Serra das almas, e uma cahaça muito boa que leva o nome do lugar é a Chapada Diamantina feitas artesanalmente e a Caraguataí,ambas pruduzidas na mesma regiãoe gostaria de uma avaliação sua,como faço para enviar.

  • Robson Gomes

    Bom dia. Sou do Rio de Janeiro e acho que você deveria provar as caninhas aqui de Paraty e Miguel Pereira: vai encontrar ótimas surpresas. Experimente também as do sul, Rio Grande do Sul e Santa Catarina produzem grandes (e pouco conhecidas) cachaças, é ver para crer. Grande abraço.

  • charles pilar kratza

    gostei di mais das avaliaçoes trabalho em uma cachaçaria gosto de esta sempre atualizado si possivel for espero receber novas bublicaçoes um forte abraço!……

  • Tenho lido todas as informações que voces estão dando… Sim, tem muita verdade nos comentários ! Mas queria fazer uma ressalva para que voces provassem uma cachaça que é de CARMO DA MATA e que se chama MORRO VERMELHO .Sinto que valia a pena ser provada por pessoas que realmente conhecem a branquinha ,depois dê a sua opinião ;os que tiveram a sorte de provar e façam um comentário a respeito. Vou ficar muito agradecida com todos os bons e não bons comentários.
    ABRAÇOS E OBRIGADA .