Cartaz da Oktober

Um resumo do que foi a Oktoberfest 2012

“Veja um resumo do que foi o desfile na Rua XV e a festa no pavilhão da Oktoberfest. Veja as crianças, os chopes e bêbados que frequentam e muitas outras histórias sobre a Oktoberfest 2012.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (7 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

(Indaialense = aquele que nasce em Indaial. Indaial = cidade vizinha de Blumenau. Blumenau = cidade da oktoberfest). Indaialense na certidão, blumenauense de coração. É assim, com esta linda frase (essa é a parte que você seca as lágrimas. Sei que foi lindo…) que inicio este texto.

Oktoberfest, uma festa sensacional

Cartaz da Oktober

A oktoberfest é uma festa de encher os olhos. Decoração impecável, música alemã de qualidade, trajes típicos engomados de Fritz e Frida, diversão garantida, batata recheada quentinha e muito, mas muito chopp. Mas muito chopp mesmo.

E com tanto chopp assim, sempre tem um bêbado. Aliás, tratar-se do assunto: bêbados – citando o número um, é bondade da minha parte. Vamos aumentar este um para uns e então, fica com mais cara de oktoberfest.

A abertura oficial de uma oktober ocorre com o desfile na tradicional Rua XV (faltou na aula de números romanos? Relaxa querido… tia Helô explica: XV = 15) de Novembro. Uma rua central da cidade, onde o trânsito é fechado para que os habitantes da cidade libertem a frida e o fritz que existem dentro de cada um.

O caminhão das Casas Bahia sai de cena e, no seu lugar, entra o Lichtwagen. Os carros são muito bem substituídos pelas charretes que, carregam em si, a história da festa e uma alegria incomparável. Sai a moto dos correios e entra a Choppmotorad. São 2,8 mil pessoas, por desfile, que contagiam a cidade com a sua alegria e amor pela festa.

Festa tem que ter brindes…

Casal Jack Daniel's

Um brinde ao PdB e a Oktoberfest

Claro que essa alegria contagia muito mais quando você tem a sorte grande de ganhar alguns brindezinhos que rolam no desfile. Porém, existem características que contribuem para que você seja o contemplado. Se você tem o braço grande, já são 92,7% de chances. Estique esse braço comprido como se você fosse o Giba numa final contra Cuba.

Ao contrário do jogador, não bloqueie. Pelo contrário, use a artimanha para arrematar mais um copo de chopp. Se você já passou dos 70 anos é provável que ganhe uma flor de alguma frida de coração mole. Se você está com um olho no peixe e outro gato, chamando Jesus de Genésio e, se mesmo com os dois pés parados juntinhos seu corpo vai pra lá e pra cá, você tem a chance de ganhar um caldo de cana do Zuckerrohrsaftwagen (não tente ler isto em casa) pra ver se passa o porre.

Vai gordinho

Petiscos alemães

Vai gordinho…

Se você está meio magrinho ou com cara de fome, relaxa amigo, é provável que você seja o escolhido pelo carro tão esperado pelos grodinhos… o Essenwagen, que distribui cachorro quente durante o desfile. Se deu azar e não arrematou o cachorro quente, você tem uma segunda chance. Desta vez, o prêmio é uma linguiça, do Wurstwagen. Até aí, qualquer coisa que você tenha ganhado é bom um bom prêmio. Você é uma pessoa de sorte.

Nem tudo são flores…

Mas nem só de sorte vive o alemão, então cuidado, porque no desfile também dá pra ganhar bala de iogurte. Até ai, tudo normal. O problema é que quem entrega essas balas, são as crianças que desfilam. Aliás, falar que elas entregam as balas é gentileza minha. Na verdade eu acho que elas queriam um chopp mas não ganharam a bebida e sim, um saquinho de bala.

Malditas crianças

Criança na Oktoberfest

Quer bala é?

Então essas crianças fecham o pouco os olhinhos como se fosse uma mira e elas vão caçando a vítima. Você está assistindo o desfile e vê aquela “alemoazinha” vermelha, de testa franzida e com o saquinho de bala na mão. Você tenta esconder-se atrás do ombro do companheiro, mas já é tarde demais. A criança já te viu e viu também que você está fugindo, então ela te escolhe.

Ela coloca lentamente a mão no saquinho de bala. Pega umas 3, vai tirando a mão do saquinho e seus batimentos vão ficando acelerados. Ela leva a mão lentamente para trás da cabeça e arremessa aquela bala como se fosse a final do mundial de handball. Aquela bala vem vindo em sua direção e acerta a sua testa. Vitória para a criança que sai pulando e deixa você ali, quase em estado de coma.

Partiu pavilhão pra curtir e beber chopp

Bêbado dormindo

Acorda seu bêbado!

O desfile acaba e você vai curtir a oktoberfest nos pavilhões da Vila Germânica. Sempre, sempre e sempre você encontra algum bêbado. E as figuras são as mais variadas.

Tem o bêbado blumenauense que quer impressionar. Se alguém falar com ele na festa, ele sempre vai responder dizendo: Ein prosit. O bêbado turista já não tem essa habilidade toda com o alemão, mas ele tem uma boa memória e decora as músicas que tocam no evento. Se você desejar bom dia a esse turista ele vai lhe responder com um: Viva a centopeia.

Grupos de bêbados, os melhores

Beijo duplo na bochecha

Na bochecha é fácil…

Os grupinhos que você encontra na festa, são sempre os melhores. Sempre tem uma bêbada que resolve sensualizar no meio do pavilhão mais lotado. Uma roda se abre e ela acaba se sentindo uma atriz global por causa da quantidade de flashes sobre ela. Nessa hora mora o perigo. Porque também sempre tem aquele grupo de amigos e, nesse grupo, um sempre está mais bêbado que o resto. Coitado dele! Porque os amigos dizem: Vai lá cara. DU-VI-DO que você pegue essa louca.

Paaaaaaaaaaara tudo! Jamais. JAMAIS diga duvido a um bêbado. Isso mexe todos os sentidos dele. E lá vai o bonitão pegar a baranga. Mas ele que fique tranquilo, porque amanhã ele nem vai lembrar o São Jorge que foi. A menos que tenha amigos que tenham celulares com câmera e youtube.

Beijos “oktoberfestianos”

Até os beijos que rolam na oktober são diferentes. Tem a moça que quer se preservar perante os amigos e sai com o menino que vai “pegar” dando pulinhos até se perder no meio da multidão. Tem a que distribui selinhos e depois de alguns chopps já não sabe quantos beijos deu, quantos deles foram selinhos e viva a centopeia.

Casal se beijando

Boa zeromeia, quero ver pegar de novo =D

Tem a difícil que passa horas conversando, rouba cerveja, dança, canta, pula, rouba outra cerveja, pisca aqui, sorri ali, rouba mais uma cerveja, bebe, dança de novo, e nada do bonito arriscar um beijo. Quando tenta, leva um toco. Mas é brasileiro, não desiste nunca e consegue o beijo. Cada um pro seu lado e a vida segue.

Mas o destino os une novamente em outro pavilhão. Mais uma tentativa de beijo, mais uma cerveja roubada, mais 20 minutos da conversa e nada de o bonito convencer na lábia. Até que chega um loiro, alto, de aproximadamente 1,90m e “tasca” um beijo, sem esforço algum. Até aí, ótimo… pena que o beijo loiro que encantou a menininha difícil era só pra mostrar pros amigos porque na verdade, ele gostava era de centopeia.

Bêbado fortão

Homens bêbados

Sou forte e carrego meu amigo \o/

Ah, que bom se só de beijos e amores vivessem os participantes da oktober. Mas tem sempre a pessoa que bebe algumas a mais e fica valente. Essas pessoas são engraçadas também e destacam-se pela sua coragem. Arranja confusão na fila do banheiro e jura de morte a coleguinha da frente. Não importa se você está com metade da festa… ela vai querer te empurrar numa poça de chopp e torcer pra que você termine os seus dias comendo uma batata recheada fria, pequena e sem batata palha.

Mas o importante é que logo em algum pavilhão, toque a versão blumenauense de “Gangnan Style” e na hora do: Heeeeeey, sexy frida – é só colocar a mão do joelho, dar uma abaixadinha (não, não vai mexendo gostoso), tomar um gole de chopp e tudo fica bem. E viva a centopeia.

Valeu Oktoberfest, valeu centopeia

Hallo Blumenau, bom dia Brasil. Nesta edição, a 29ª da oktoberfest, foram 19 dias de folia. 19 dias que transformaram a cidade e trouxeram um largo sorriso no rosto de cada um que participou da festa, inclusive a equipe do Papo de Bar.

Trio de mulheres bebendo chopp

Viva a centopeia

A oktober acabou, mais ficou o gostinho de quero mais. Que venha a oktober 2013 e que, no ano que vem, eu possa voltar aqui e escrever mais um texto, com a mesma alegria em que escrevo hoje pelo sucesso da festa e com a mesma sensação de aperto por ter terminado mais uma edição… por ter passado tão rápido esses 19 dias.

E que, no ano que vem, nosso querido Dono do Bar, dono desse nosso bar eletrônico, caiba no meu vestido de frida e arrase novamente.

E viva a centopeia.

Você também gostará desses

Mesa redonda e degustação de cervejas na Casa Cara... Um evento com mesa redonda, degustação e harmonização de cervejas artesanais na Casa Carandaí, que fica no Jardim Botânico.
Lançamento da Bohemia Oito e Um A Oito e Um traz uma combinação do sabor tostado de uma stout com a leveza de uma session.
DeliBeer Velhas Virgens e Papo de Bar O Papo de Bar faz uma parceria com o DeliBeer e fará a apresentação do evento DeliBeer Velhas Virgens, um evento cervejeiro com Rock N Roll puro na ve...
8º encontro nacional das AcervAs Conheça o 8º encontro nacional das AcervAs, um evento cervejeiro que ocorre todo ano e que nesse ano será em Curitiba. Muitas cervejas, palestras, con...
Como sobreviver à Oktoberfest de Munique A Equipe do PdB esteve presente na Oktoberfest de Munique, a principal e maior Oktoberfest do mundo. Muita cerveja, comida, diversão e história pra co...
Itaipava vem aí com o Rio na Rua A cerveja Itaipava chega com uma nova proposta bem interessante, o Rio na Rua, que levará música, arte, cerveja, dentre outras coisas que o carioca go...

Compartilhe:

  • Andrea

    Nossa… me vi novamente na Oktober… pra quem já foi e pra quem curte a oktober como eu, sabe que esse relato é verdadeiro….PARABÉNS