Valduga Tasting Day

“O PdB foi ao evento Valduga Tasting Day, que ocorreu na Casa Valduga, que fica em Bento Gonçalves, no Vale dos Vinhedos. Um evento espetacular!”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (1 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...

Fala, meus nobres adoradores de vinhos, principalmente nessa época de frio que se inicia. Venho falar sobre um evento que ocorreu nesse último sábado, dia 30 de abril, em Bento Gonçalves, a terra do vinho, que a Casa Valduga organizou: o Valduga Tasting Day.

A experiência Pré Valduga Tasting Day

Não sei quantos de vocês já foram pra Bento Gonçalves, mas já falo de início: se preparem para o frio. Acho que “dei sorte” e quando cheguei a temperatura caiu drasticamente, chegando a bater 4 graus. A cidade é bem charmosa, com várias casas fodásticas, bem no estilo do interior. O PdB, junto com outros veículos e jornalistas, foi convidado para o Valduga Tasting Day, mas quem pensava que só seria o evento em si estava enganado.

cave de pedra

Todos chegaram na sexta-feira, dia 29, véspera do evento, e fomos pro hotel já com a notícia que teríamos um jantar especial no Cave de Pedra, um lugar sensacional que parece um castelo e que produz seu próprio vinho e foi uma das primeiras vinícolas boutiques do Brasil. O cardápio tinha muita, mas MUITA coisa, desde entradas, comida, sobremesa, fora os vinhos. Daria pra escrever um artigo só falando de toda a experiência que rolou, as comidas e vinhos experimentados.

Sexta-feira fechada com chave de ouro, hotel espetacular, jantar fodástico, fora as pessoas que conheci nessa noite, vários contatos etílicos, incluindo o simpatissíssimo João Valduga, um dos responsáveis pela empresa.

Visitação nas empresas do Grupo Famiglia Valduga

Para a galera de imprensa, caso do PdB, tínhamos uma programação logo cedo. Foi tenso acordar 8h depois de um jantar sagaz cheio de vinho na mente, mas como era por um motivo nobre, valia muito a pena. Primeiro começamos com um café da manhã especial no próprio hotel, onde fizeram uma pequena palestra mostrando várias informações sobre o Grupo, seus novos produtos focando principalmente em pontos que eu nem sabia, as cervejas artesanais e seus produtos de beleza, fora seus sucos de uva espetaculares.

Domno e .Nero

domno

Primeiro local que visitamos foi a Domno, que fica em Garibaldi, bem pertinho de Bento Gonçalves. Lá que é elaborado os espumantes .Nero (Ponto Nero) e .Nero Celebration (Ponto Nero Celebration), que foi um dos produtos que eu não conhecia e achei bem a cara do PdB. Fora que eles também exportam vinhos com exclusividade para o Brasil.

ponto nero

Sobre o .Nero, eu achei bem interessante pois é uma marca focada no povo mais jovem, a galera que gosta de um espumante, bebe com mais frequência, já que tem muitas pessoas que pensam que é uma bebida mais pra pessoas mais velhas, algo mais tradicional, pouco descontraído. Eles já mostram que não, estarão nas baladas, bares e, quem sabe, nos casamentos das pessoas mais jovens, o que tem ocorrido ainda em altos números. Provavelmente vocês verão o .Nero por aqui no Papo de Bar. 😉

Na Domno nós também tivemos o privilégio de experimentas duas cervejas artesanais que serão lançadas no futuro, algo em torno de 2 ou 3 meses. Servidas em garrafas sem rótulo, o que mostrava serem retiradas a pouco tempo e sua exclusividade para o momento. Foi uma cerveja do estilo Session Ale com lúpulos só da Alemanha e uma Tripel, estilo que gosto bastante.

novas cervejas da Leopoldina

A primeira foi excelente, um sabor refrescante e que dá pra beber algumas na praia aqui do Rio de Janeiro ou em qualquer lugar do Brasil. Me surpreendeu que também tinha uma aroma presente, algo não muito comum pro estilo.

A tripel foi bem sagaz também, só esperava um pouco mais de aroma, que achei fraco devido a outras que já bebi do mesmo estilo, mas foi aprovada, ela é bem forte com 10.5% de teor alcoólico, porém você nem percebe direito, meio perigoso isso. 😛

Casa Madeira

casa madeira

Próximo passo foi ir pra Casa Madeira, um local aconchegante e que faz parte das história do grupo. É um local que você tem que ir, mas tem que se preparar pra gastar um dinheiro, pois ali você compra sucos de uva, antepastos maravilhosos, os rótulos de cerveja, dentre outros brindes. Comprei a IPA deles, dois antepastos, um de pimentões e outro italiano, dois sucos de uva e um creme balsâmico de morango e pimenta.

Agora sim o evento Valduga Tasting Day

entrada da casa valduga

Chegamos na Casa Valduga, local bem fodástico. Castelos, uvas, plantações, vários locais, um lugar gigantesco e bem interessante de se visitar. O evento começou às 14h, chegamos um pouco depois disso e já tínhamos à disposição vários rótulos de vinhos e suas cervejas. Cheguei a pensar comigo “fudeu, preciso comer alguma coisa, senão eu vou morrer“. Como ninguém tinha almoçado, só comido mesmo o café da manhã, seria algo que não recomendamos fazer que é começar a beber sem se alimentar.

Porém…

carne

Eis que vejo vários petiscos, queijos, salames, tinha até sorvete, portanto, dar P.T. só se fosse muito garoto mesmo. Tinha até comida japonesa para os viciados e várias frutas deliciosas.

Workshops do Valduga Tasting Day

O Valduga Tasting Day teve diversos workshops que você tinha que se inscrever anteriormente. Porém, como sem acontece, o brasileiro deixa pra última hora e esquece, mas claro que a equipe já previa isso e já deixou um estande pra os esquecidos se inscreverem para o workshop que quisessem assistir. Você até pensa “vou pro workshop ou continuo bebendo?”, mas eram workshops interessantes. Me inscrevi no Workshop Cerveja Leopoldina, pois queria saber mais informações sobre as cervejas artesanais do Grupo, já que nunca tinha experimentado e estava curioso.

Cerveja Leopoldina weissbier

Eles possuem cinco cervejas: Pilsen, Witbier, Weissbier, IPA e Old Strong Ale. A Pilsen é bem refrescante e interessante, leva lúpulos da região de Plzen, na República Tcheca, muito melhor que várias cervejas que bebemos por aí, fora o ponto interessante que eu gostei bastante é que ela não é filtrada, o que não é tão comum para uma pilsen. A Witbier leva limão siciliano e coentro, o que é um clássico pro estilo.

Cerveja Leopoldina ipa

A Weissbier é leve e refrescante, clássico para o estilo, produzida com trigo da Bavária, uma das regiões cervejeiras de maior prestígio na Alemanha, e, também clássico do estilo, apresenta aromas de cravo e banana, fora o tom turvo dela por não ser filtrada. A IPA foi a minha preferida, como eu já imaginava por ser meu estilo preferido. Um belo aroma, perceberá um tom seco nela, mas o que também me agradou bastante foi a cor dela bem avermelhada. Um ponto interessante é seu amargor, que apesar de ter 60 IBUs você não sente tanto esse amargor.

Cerveja Leopoldina Old strong ale no Valduga Tasting Day

Por último, a Old Strong Ale que possui uma garrafa espetacular. O irado dela é que ela foi maturada em barris de carvalho que antes continham espumante e depois refermentada na própria garrafa. Você percebe logo de cara o espumante, impressionante isso. Para galera que está começando não é muito recomendado pois seu sabor é marcante. Eu a achei doce além do que eu gosto, ficando enjoativa, mas isso varia de gosto pra gosto.

Os preços das cervejas que eu acho que poderiam custar menos, variam de R$20,90 até R$24,90, sem contar a Old Strong Ale, que custa R$130,00. Como estão começando agora, apesar de ter por trás toda a experiência Valduga, acho que poderiam diminuir uns R$5 desse preço e uns R$300 da Old Strong Ale.

Finalizando

luciana melo no valduga tasting day

Aproveitei absurdamente o evento, que no final ainda teve um palhinha com a Luciana Mello, que era uma das convidadas, no palco cantando junto com um rapaz que tocava um violão bem esperto. Durante o dia rolou um outro grupo tocando samba muito bem, em termos de som o Valduga Tasting Day foi muito bem. Fora que eu experimentei diversos vinhos que não conhecia, acho essa experiência espetacular. O passaporte para o Valduga Tasting Day custou R$350, alguns podem até pensar que é caro, mas pela experiência, os vinhos com suas qualidades, sorvete, sucos, comida espetacular, fora poder conhecer os donos da Casa Valduga é algo irado.

Vamos avisar por aqui quando rolar o próximo e aguardem que falaremos bastante ainda sobre os produtos desse grupo que de qualidade boa tem muito a mostrar pra quem ainda não experimentou.

E você, já foi pra Bento Gonçalves? Já visitou a Casa Valduga? Foi no Valduga Tasting Day? Já bebeu os vinhos ou sucos da marca? Já bebeu as cervejas? Conte pra nós 😉

Aquele abraço.

Você também gostará desses

XXVIII Festival da Cachaça: Cultura e Sabores de P... Um pouco sobre o famoso Festival de Cachaça da cidade de Paraty, sul do Rio de Janeiro. Um evento com muita cultura, história, música, comida boa, e c...
BGourmet 2008 – O lado B da Bossa Nova. Que tal um espaço Gourmet com vários vinhos e cursos diversos relacionados a comidas? Foi isso mesmo que a Brastemp organizou no final de outubro.
Evento de lançamento Stolichnaya Premium O Papo de Bar participou na última quinta-feira, dia 05 de maio, do lançamento da vodka Stolichnaya Premium, que anunciou sua embaixadora, Fernanda Ne...
Le Dîner en Blanc 2017 Vai rolar no Brasil pela segunda vez o piquenique parisiense mais concorrido do mundo, é o Le Dîner en Blanc. Nome complicado para nós, mas que é bem ...
Prussia Bier lança seus rótulos Prussia Bier lança seus rótulos no Cerveja Social Clube, no Rio de Janeiro, após sua primeira experiência cervejeira no Mondial de La Bière 2015.
This is Malbec World Day, baby Dia 17 de abril é o Malbec World Day, dia celebrado em diversos países em homenagem ao tipo de uva de Bordeaux. Veja o que rolou no evento em Salvador...

Compartilhe: