Guinness agora é vegana, não leva bexiga de peixe

E ae meus nobres adoradores de líquidos etílicos. Tempos atrás o nobre Drunk McLovin escreveu sobre 8 cervejas puro malte que você poderia deixar de beber. O artigo deu o que falar pois a Guinness era uma das cervejas que estavam dentro dessa lista, o que revoltou uma parte da galera. O motivo disso é que ela leva ictiocola, uma gelatina feita de bexiga de peixes, que serve para a clarificação da cerveja. Isso revoltou um pouco os veganos. Mas agora isso é passado, a Guinness agora é vegana.

Peraí, mas como eles conseguiram isso?

Dois pints de Guinness

Simples, nobres padawan, a galera da cervejaria simplesmente decidiu não utilizar mais a ictiocola na filtragem do produto. A empresa Diageo, proprietária da Guinness, explicou nesta terça-feira à AFP:

Acabamos de instalar o novo sistema de fabricação. Enquanto a ictiocola é um meio muito eficiente e tenha sido utilizada por anos, nós esperamos não mais utilizá-la, com a introdução de um novo processo de filtragem.

Quer dizer então que a Guinness agora é vegana e eu posso beber?

peixes saindo do pint de guinness

Então, infelizmente ainda não é assim. O processo está todo sendo feito, porém, isso leva um pouco de tempo. A galera disse que esse processo não deve ficar pronto antes de 2017. Portanto, nobres veganos, não bebam ainda.

Mas pra que serve essa maldita ictiocola?

A ictiocola não tem sabor e é uma gelatina feita da bexiga de peixes. Sua utilização é para acelerar a filtragem, o clareamento e o refino da cerveja, o processo que elimina as partículas em suspensão do mosto. A utilização dela é muito eficaz, ajudando bastante no processo, porém, tem deixado a galera vegana meio revoltada com isso. E não é somente a Guinness que utiliza essa substância, inclusive uma organização chamada Barnivore possui uma lista de cervejas que são adeptas aos veganos em seu site. A Heineken e a Skol, por exemplo, estão nessa lista.

Finalizando

Acho interessante essa iniciativa da Guinness. Eles sabem que o produto é eficaz e ajuda bastante, mas perceberam que a utilização dele faz com que o seu produto não chegue a todos seus possíveis clientes, limitando sua venda e expansão. Nada mais justo que buscar outras formas de filtrar a cerveja, coisas que sabemos que existem diversas formas, como as gelatinas sintéticas. É um custo no início mas que faz valer a pena para a marca.

E você, o que achou? É vegano(a)? Vai beber uma Guinness assim que possível? O que você acha dessas atitudes? E das atitudes da galera vegana? Vamos debater sobre 🙂

Beijo na alcatra.

Fonte: The Independent

Você também gostará desses

Em homenagem aos 120 anos de Belo Horizonte a Cerv... A Cervejaria Backer lançou a cerveja Belorizontina em homenagem aos 120 anos da cidade Belo Horizonte. Uma cerveja pilsen, com Dry Hopping de lúpulos ...
Garrafas de plástico para cervejas – Elas estão ch... A Mitsubishi Plastics, junto com a Kirin Co. estão planejando um grande lançamento para o mercado cervejeiro: colocar cerveja em garrafa de plástico....
Reality Show Eisenbahn Mestre Cervejeiro Vai rolar a versão 2017 do Eisenbahn Mestre Cervejeiro, mas agora com uma novidade, será uma reality show. Sim, exatamente isso. Confira as novidades!...
Caminhão sem motorista carregou uma carga muito es... Imagina um serviço tipo o Uber, só que de caminhão e que leva cerveja. Agora imagina um caminhão sem motorista carregando cerveja. Sim, a Uber fez iss...
Skol Hops – A cerveja puro malte da Skol Entendendo o mercado como poucas marcas e batalhando por uma fatia cada vez maior dele, a Skol apresenta a Skol Hops, sua cerveja puro malte.
Toma, chucrutz: Brasil já é 4º maior produtor de c... O Brasil se tornou o quarto maior produtor de cerveja do mundo, superando a Alemanha e ficando atrás somente da China, EUA e Rússia. A Ambev lidera co...