Guinness agora é vegana, não leva bexiga de peixe

“A empresa vai parar de usar ictiocola, uma gelatina feita da bexiga de peixes, na produção da sua cerveja, com isso, a Guinness agora é vegana.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (3 votes, average: 9.33 out of 10)
Loading...

E ae meus nobres adoradores de líquidos etílicos. Tempos atrás o nobre Drunk McLovin escreveu sobre 8 cervejas puro malte que você poderia deixar de beber. O artigo deu o que falar pois a Guinness era uma das cervejas que estavam dentro dessa lista, o que revoltou uma parte da galera. O motivo disso é que ela leva ictiocola, uma gelatina feita de bexiga de peixes, que serve para a clarificação da cerveja. Isso revoltou um pouco os veganos. Mas agora isso é passado, a Guinness agora é vegana.

Peraí, mas como eles conseguiram isso?

Dois pints de Guinness

Simples, nobres padawan, a galera da cervejaria simplesmente decidiu não utilizar mais a ictiocola na filtragem do produto. A empresa Diageo, proprietária da Guinness, explicou nesta terça-feira à AFP:

Acabamos de instalar o novo sistema de fabricação. Enquanto a ictiocola é um meio muito eficiente e tenha sido utilizada por anos, nós esperamos não mais utilizá-la, com a introdução de um novo processo de filtragem.

Quer dizer então que a Guinness agora é vegana e eu posso beber?

peixes saindo do pint de guinness

Então, infelizmente ainda não é assim. O processo está todo sendo feito, porém, isso leva um pouco de tempo. A galera disse que esse processo não deve ficar pronto antes de 2017. Portanto, nobres veganos, não bebam ainda.

Mas pra que serve essa maldita ictiocola?

A ictiocola não tem sabor e é uma gelatina feita da bexiga de peixes. Sua utilização é para acelerar a filtragem, o clareamento e o refino da cerveja, o processo que elimina as partículas em suspensão do mosto. A utilização dela é muito eficaz, ajudando bastante no processo, porém, tem deixado a galera vegana meio revoltada com isso. E não é somente a Guinness que utiliza essa substância, inclusive uma organização chamada Barnivore possui uma lista de cervejas que são adeptas aos veganos em seu site. A Heineken e a Skol, por exemplo, estão nessa lista.

Finalizando

Acho interessante essa iniciativa da Guinness. Eles sabem que o produto é eficaz e ajuda bastante, mas perceberam que a utilização dele faz com que o seu produto não chegue a todos seus possíveis clientes, limitando sua venda e expansão. Nada mais justo que buscar outras formas de filtrar a cerveja, coisas que sabemos que existem diversas formas, como as gelatinas sintéticas. É um custo no início mas que faz valer a pena para a marca.

E você, o que achou? É vegano(a)? Vai beber uma Guinness assim que possível? O que você acha dessas atitudes? E das atitudes da galera vegana? Vamos debater sobre 🙂

Beijo na alcatra.

Fonte: The Independent

Você também gostará desses

Ambev colorida! Ops… Colorado!!! Agora é sério, a Ambev comprou a Cervejaria Colorado. A gigante do mercado de bebidas aumenta seu leque de cervejarias nacionais compradas, logo após ...
Rapidinhas etílicas – Parte III: cerveja faz bem!... Veja algumas curiosidades sobre a cerveja, como o combate a diabetes com um consumo moderado, que a cerveja hidrata melhor que a água e que a conhecid...
Ben & Jerry’s apresenta: Sorvete de Cerveja Ben & Jerry’s lançou um sorvete de CERVEJA em conjunto com a New Belgium Brewing, do Colorado, Estados Unidos.
Amstel na Libertadores da América O futebol ganha mais um patrocínio cervejeiro. Agora temos a cerveja Amstel na Libertadores da América, para reforçar a marca e seu marketing.
Nassau, a nova cerveja com caju da Colorado A Cervejaria Colorado lançou a cerveja Nassau, uma White IPA com caju que faz homenagem a Maurício de Nassau, protetor dos cajueiros do Brasil.
Cerveja espacial Meteoros me acertem, é isso mesmo que eu estou lendo? Por mais alienado que possa parecer, sim meu nobre, é verdade. Lançaram uma cerveja espacial.

Compartilhe:

  • Saulo Moreira

    Como vegetariano, fico surpreso ao ter bebido por tanto tempo sem ter essa informação, mas ao mesmo tempo aliviado por saber que o processo está mudando. Só vou voltar a bebê-la quando houver a confirmação que o processo de produção não leva nenhum derivado de animais.

    • Nós do PdB bebemos por um bom tempo sem saber também. Realmente ficamos felizes em saber disso 🙂