O Anti-Wingman: Da Derrota à Vitória

Fala aí cambada de delinquentes e desajustados mais amada desse país, hoje venho com um tema que pode interessar e muito para que curte o clima de azaração nos bares e noitadas.

Há algum tempo atrás, meu nobre ébrio e cavaleiro do apocalipse Drunk N’ Roll deu algumas dicas à respeito de como amigos devem se comportar como wingmans e líderes de vôo.

Só que fatos recentes abriram minha mente para uma situação que eu ainda não havia pensado

O Anti-Wingman

Anti-Wingman

Agora é a hora de chegar na mulherada!

Sabe aquelas noites que você sai com tudo planejadinho, o lugar que você escolheu pra sair está apinhado de gente bonita, a temperatura está boa, você olha no espelho e se sente bem com você mesmo, e quase acredita que se jogar na loteria, pode ganhar.

Então, aí você ou seu amigo bebem demais, e erram a mão.

Mas erram a mão com vontade, não conseguem mais conversar com ninguém, não falam coisa com coisa, ficam com olhar de peixe-morto e andam cambaleando.

E das cinzas surge o Anti-Wingman

Anti-Wingman

Calma meninas, meu amigo está muito louco…

Desde antes de escrever sobre o comportamento das mulheres nos bares, que me empenho muito em observar o comportamento das pessoas. E o que pude perceber quase que sem querer, que um amigo bêbado, falando nada com nada, pode dar quase tão certo quanto um Wingman profissional.

E aí você me pergunta: como!?

Pensa bem, o seu amigo sem noção chega apavorando as meninas, trocando nome, chamando para tomar drinks, fazendo piadinhas sem graças, enfim, tudo o que você não quer fazer pra não queimar o filme.

Nos próximos 15 segundos, você fica com cara de bunda, pois ele acabou de estragar todas as chances que você tinha de se dar bem, e pede desculpas para as meninas, já que você não esperava esse comportamento.

E aí, você que estava quase passando desapercebido, já parece bem mais interessante do que muita gente, pois é educado e está preocupado em controlar o estrago que o seu amigo pode causar no grupo das pobres meninas.

Mas o Anti-Wingman não é um trunfo

Anti-Wingman

Tá achando que é molezinha?

É importante frisar que isso não é uma técnica. Você não pode simplesmente simular e fazer esse teatro, pois as pessoas vão perceber a sua má intenção e você não passará de um fanfarrão!

Mas tenho certeza que observando esse subterfúgio, Barney Stinson (que já teve relações com mais de 280 ~molieres~) ficaria orgulhoso de mim.

Até porque, o dia que isso deu certo, fui introduzido na conversa com o chavão básico: “Você conhece o Mclovin!?”

Finalizando

E vocês queridões, tem alguma história de comportamentos assim em bares ou nights / baladas?

Já se deram bem em uma situação que tinha tudo pra dar errado? Já se deram mal em uma que tinha tudo pra dar certo?

Botem a boca no trombone aí, nos comentários!

Você também gostará desses

Peculiaridades de um Bar – O Cara Como você se comporta no bar? Já parou pra pensar nisso? Tem homem que é, realmente, o cara dentro de um bar, faz amizade com o dono, garçons e conqui...
A arte de beber em pé nos botecos Veja algumas teorias sobre a galera que gosta de beber em pé. Desde o cansaço, flerte, dentre outros motivos para se beber em pé nos botecos.
É possível que o álcool aumente a qualidade de vid... Recentes pesquisas, mostram que o consumo frequente, mas moderado de álcool, pode trazer benefícios para o ser humano, a longo prazo. E você, acredita...
A beleza do blackout e das verdadeiras amizades Sabe aquela vez em que você enche a cara com os amigos e não esquece de nada? Um verdadeiro blackout, amnésia alcoólica? Vamos falar um pouco disso......
Cafajeste: Toda mulher precisa de um Deveria ser uma regra do mundo feminino, toda mulher precisa sim de um cafajeste. Não de um, mas vários. O cafajeste te trata e te come bem. Isso faz ...
Devaneios etílicos: mulheres, estrias e celulites.... Toda mulher merece ser valorizada, mesmo tendo celulite ou estria. E você, concorda?