Skol 360, uma proposta diferente

“Opinião do Papo de Bar sobre o novo produto da Skol, a Skol 360, uma cerveja com uma proposta nova, de não empapuçar, não deixar a pança estufada. Confira!”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (18 votes, average: 7.00 out of 10)
Loading...
468x60 - Acessorios

Almofadas da Skol360

Já era pra termos falado sobre a Skol 360 tem tempo, mas por causa de uns contra tempos (falta de tempo), acabamos atrasando a criação deste texto. Vou dar meu ponto de vista sobre o novo lançamento da Ambev, a Skol 360. Alguns podem não entender meu ponto de vista, mas tentarei mesmo assim 😉

Lançamento da Skol 360

Barco Pink Fleet

Fomos convidados a participar do evento de lançamento da cerveja. Nesse aspecto mandaram bem, lançamento num dos barcos do Eike Batista, o Pink Fleet. Muito luxo, mulheres gostosas, petiscos apetitosos, alguns convidados ilustres e outras coisas.

Olhaaaaa…

Logicamente que a galera do programa Pânico também estava lá, patrocinadora do programa, não iriam perder a oportunidade de apresentar para os telespectadores o novo lançamento. E sem essa se falarem das tchecas gostosas que trollaram o Pânico e nem sobre a cerveja Proibida, ok?

Galera do Pânico

Rá!

Galera do Pânico que estava lá era o Freddie Mercury Prateado, Makelelê Prateado e Amaury Dumbo, zoando todas lá, galera bem gente boz, simpática.

Mas vamos falar da cerveja

Sim, foda-se o Pânico e as tchecas. Vamos falar da cerveja, a estratégia, as críticas, as ideias por trás desse novo lançamento da Skol.

Bom, eu não sou fã da Skol e quem me conhece sabe disso. Aliás, qualquer cerveja do patamar “tradicional” não me agrada muito. Só mesmo a Bohemia, Original, abaixo dessas existe o grande mercado, a grande guerra das cervejas tradicionais.

Petiscos e latas da cerveja Skol360

Hmmmmm...

A Skol sempre ganhou um bom destaque por ter um marketing muito bem elaborado. Das outras cervejas você lembra de um comercial ou outro, mas da Skol você sempre lembra de vários. Inclusive de um ano pra cá foi uma metralhada de novas campanhas, umas muito boas e outras nem tanto. Quem não lembra dos Argentinos abrasileirados?

A qualidade da cerveja

Latas de cervejas quadradas

A primeira coisa que me perguntaram: E aí, a cerveja é boa? Bom, a resposta vocês já imaginam, mas não podemos esquecer do grande texto que meu nobre camarada LG escreveu aqui no Papo de Bar um tempo atrás, de que toda cerveja merece uma segunda chance, não podemos julgar a cerveja pelo que ela não se propõe a ser. Assim como não podemos julgar um Fusca querendo que ele seja como um Ferrari.

Pesquisas e estudos

Apresentação da Skol360

O Mestre Cervejeiro apresentou todas os detalhes que eles fizeram pra chegar no resultado final. Não podemos julgar a Skol 360 por ela não ser saborosa como a Pilsner Urquel ou outra pilsen da República Tcheca. Temos que julgá-la pelo que ela se propõe a ser, na proposta da equipe da Skol 360 e não compará-las com outras cervejas de patamar maior.

Cervejas em diferentes locais

E também é bom ressaltar aqui esse ponto. As cervejas tem uma tendência local, por exemplo, aqui no Rio a Antarctica está vendendo muito bem, existem muitos fãs da Brahma. Mas já ouvi falar que em Brasília a Brahma é uma merda. Aqui no Sudeste a Nova Schin não vende muita coisa, mas no Nordeste é a líder disparada, entre outros detalhes.

Dulcetti fazendo malabares com copos

Sou Foda!

Por isso é complicado julgar uma única marca para um público tão grande. Posso falar algo aqui e em algum comentário alguém me mandar à merda porque onde ele mora a cerveja é deliciosa. Gosto não se discute, mau gosto então, menos ainda. 😀

O Gatorade das cervejas

Chegamos no ponto chave: a proposta da Skol 360. A equipe da Skol começou a fazer pesquisas e levantar dados e opiniões dos consumidores de cerveja. E chegaram num ponto que é verdade: a cerveja estufa, lota a pança.

Você não consegue beber cerveja alucinadamente sem se sentir um peixe baiacú, a cerveja não é leve o suficiente. Até mesmo a água, quando se bebe muito, te deixa meio enpanturrado. Com isso, veio a proposta de ter uma cerveja que diminuisse esse efeito de estufamento causado pela cerveja, ou seja, um Gatorade etílico ao meu ver.

O ponto chave

Banner da Skol360

Esse é o ponto. Na minha opinião eu não devo julgar a cerveja pelo seu aroma, sabor, a qualidade em si, mas na sua proposta de não te deixar estufado. Mas muita gente me perguntou se realmente deixava estufado. Bom, não sei, não tomei um porre de Skol 360, acredito que você só consiga perceber isso, realmente, bebendo uma quantidade considerável.

Ok, não sei se seria necessário um porre, mas uma ou duas latinhas não me deixaram perceber esse ponto chave de deixar minha pança estufada. Mas acho essa proposta ousada, bem diferente, faz com que tenhamos uma outra visão sobre a cerveja e não somente o quesito sabor.

Isso pode influenciar nas vendas, pois uma mulher pode preferir comprar a 360 pois não vai se sentir obesa ao beber a cerveja, dentre outros pontos.

Finalizando

Puffs da Skol360

Bom, sobre a cerveja é isso. Você percebe que é mais leve a cerveja, isso não me agrada tanto, mas é ponto chave para o quesito “não estufar”. Continuo sem preferir a Skol, mas me senti na obrigação de tomar um porre dessa cerveja só pra garantir sua qualidade no quesito baiacú, pra ver se é real mesmo 🙂

Vocês já beberam a cerveja? O que acharam? Abs.

Você também gostará desses

Budweiser chega ao Brasil A cerveja Budweiser entra no mercado nacional com toda força usando a sua nova Identidade Visual, patrocinando eventos como UFC, da FIFA, mais de 20 s...
Magrela, a cerveja sem lúpulo A Cervejaria Nacional lançou a Magrela, uma cerveja sem lúpulo, feita com ervas, flores, folhas e raízes, erva doce, cravo, canela, coentro, louro, pi...
Rapidinhas etílicas Veja um shot das últimas notícias etílicas, o que está rolando no mercado das cervejas, etc. O lançamento da Heineken, a cerveja Desperados, a Cerveja...
Cervejas não irão mais patrocinar festas universit... A Cerv Brasil proibiu que as grandes cervejarias patrocinem eventos universitários open bar, pois as festas têm o intuito de ser de consumo exagerado....
Brewdog liberou suas receitas de 2016 A Brewdog resolveu inovar novamente e liberou suas receitas de 2016. Atualizaram aquele pdf que continha todas as 215 receitas. Baixe agora!
Bebida liberada no estádio, isso é bom? Hoje a bebida é proibida nos estádios aqui no Brasil. Porém isso está mudando, temos em Minas a bebida liberada no estádio. Isso é bom ou ruim? O que ...

Compartilhe:

  • Eduardo Tomazett

    Não gosto de cerveja, e se tiver que tomar que seja as que vc mencionou. Adoro um chope pelo fato de ele ser leve e suave. Mas vou te contar, a Skol 360 me surpreendeu e realmente não estufa. Eu que sou fraco pra cerveja, bebo ela q é uma maravilha e vai tranquilo. Recomendo!

    • Legal ver sua opinião Eduardo. É bem pessoal isso, alguns vão falar que é uma merda por ser Skol, outros que gostam de Skol vão falar que é perfeita, por aí vai.

      O post é mais sobre a proposta mesmo, que pelo que vc comentou, parece estar sendo bem feita. Abs.

  • Eu provei a 360 quando estive em SP a alguns meses atrás. Não deu pra sentir muita coisa, pois tomei pouco, mas logo deu pra sentir a diferença entre a tradicional e a 360. Provarei a diante um porre dela, para ver se realmente não estufa.

    Aqui em Fortaleza, de alguns meses pra cá, a Skol tem sido a líder do mercado por assim dizer. Antes a líder era a Antártica, mas a Skol vem tomando o lugar. Mas ainda se ver muita Schin rolando, porém esta é muito ruim por aqui. Realmente das comuns, a Skol é a melhor. Por aqui.

  • Bebo. Bebo bastante! E gosto principalmente dessa classe de cerveja! Nem gosto de Bohemia e de Original! E digo o seguinte: essa cerveja é ruim!

    A Skol há anos já não é do meu agrado, já a 360º, não difere muito, porém fica perceptível a adição de água!

    A primeira vez que provei, considerei-a “bebível”. Depois, tomando em grande quantidade, percebi que estava bebendo bem mais rápido e muito mais que o normal, consumindo grande número de latinhas (o que dá lucro para empresa, é claro). Foi quando percebi que as latinhas estavam congelando na geladeira!!! Isso mesmo! Não, a geladeira não estava desregulada e nem muito forte. Prova disso é que a Antártica e a Itaipava que acompanhavam as latinhas de 360º desde o início, estavam em temperatura adequada.

    Para mim, isso é prova cabal da inferioridade do produto, provando que a grande tecnologia usada é simplesmente água! Sim, sei que isso é muito importante em termos de cerveja, mas digo que nesse caso não foi utilizado nenhum tratamento requintado, apenas água no final do processo e, quem sabe, uma colherzinha para misturar….

    • Muito interessante essa parte Kk, sobre o congelamento mais rápido das latas, muito mesmo.

      E vindo de alguém que prefere beber muitas, ter essa opinião mostra que nem sempre é como a indústria pensa.

      Valew pelo Feedback

    • Eduardo Tomazett

      Interessante a parte da água… nunca parei pra pensar sobre isso. Será q rola um test drive de ver qual congela mais rápido? 🙂

    • cervejeiro

      Achei horrivel, é aguada prefiro comprar água que sai mais barato.

  • Qll

    Juro que tentei, mas porre da 360 me parece uma coisa inatingível. Realmente a cerveja não estufa, no entanto, é no mínimo 4x mais diurética que as outras. Então, na comparação, prefiro estufar ä ter de enfrentar fila de banheiro de buteco de 5 em 5 min e inchar 2x mais no dia seguinte (“efeito rebote” dos diuréticos). Acho q o marketing anti- baiacu vai adiantar com a mulherada, mas vai durar até descobrirem esse efeito colateral.

    Outros “pontos analisados”:

    * Sabor: suco de cevada
    *Textura: é cerveja mesmo?? sem bolinhas!

    Bem, fecho minha opinião 360 por aqui. rs

    Abços
    *

    • Outro ponto de vista, bem interessante também. Realmente, resultado em mais idas ao banheiro, mas bom saber que tiveram pessoas que sentiram essa diminuição do estufamento.

  • Qll

    ah… mas gostei dos pufes e das almofadas. 😉

  • Tehf

    Me senti contemplada ano passado em Brasilia, no Encontro Latino Americano de estudantes de Arquitetura com 6 mil participantes da Argentina, Uruguay, Paraguay, Chile, Peru, Venezuela e Brasil, quando alguém reclamou da maldita skol 360 que era nossa unica opção no bar por 7 dias.
    Ouvi alguém de longe dizendo – PORRA, ESSA SKOL KIDS TA FODA!

    • uahauauuahuuhau… Pelo que vi, ela possui 4,2% de teor alcoólico, não é tão abaixo do padrão das pilsens tradicionais, mas pode interferir um pouco também…

  • Estive em Brasília em abril e tiver a oportunidade de experimentar a Skol 360, eu particularmente não gostei porque “cervejas leves” deixam em mim a sensação de ser “aguada”.

    Mas entendo que a proposta é justamente esta, e a ação pelo que vi foi sensacional.

    Não está no meu hall de piores nem na lista de coisas que odeio, mas tendo opção de escolha a 360 certamente não fica entre minhas favoritas.

    • Exatamente Marcio, esse é o ponto, onde quero ver a discussão. Ruim, ok, não era de se esperar outro resultado, mas essa jogada deles.

      Mas pelos comentários eu estou vendo que pecaram um bocado, não era pra ser tão leve assim, tão aguada na verdade… Poderiam ter investido em outros métodos, mas esse provavelmente era o mais barato.

  • Leandro

    Eu sou um bebedor de outra linha, que provavelmente não seria boa companhia pra você. Gosto de beber feito gente grande (no quisito quantidade) e apesar de apreciador de cervejas mais elaboradas, gosto mesmo é de passar a tarde inteira bebendo cerveja, por isso geralmente acabo bebendo as mais comerciais.
    Dessas cervejas, aprecio muito a Antarticae um pouco menos as outras.
    Minha opinião é que a 360 empapuça tanto quanto as outras. Senti um gostinho estranho, que não consegui identificar, mas lembra um pouco bicarbonato de sódio. (além de ser meio aguada)
    Não é muito a minha praia e não fez o efeito esperado. (depois de 12 latas não estava nem um pouco zuado e estava estufado como sempre)
    Se o que faltou para ficar decidido se ela estufa ou não foi o consumo de uma quantidade >= razoavel eu posso dizer, não é nenhuma maravilha.

    • Esse feedback que é bom, de quem bebe bastante em termo de quantidade. Valeu pelo comentário Leandro. Vi que alguns falaram que não estufa muito, mas depois de 12 percebeu que estufou e da mesma forma, não parece agradável.

      E pecaram muito em deixar aguada como está.

  • Marcos Machioni

    Provei em um bar na cidade de Londrina, não me agradou nem um pouco, pra quem estava acostumado a beber Brahma, que é a cerveja “popular” mais bebivel, a Skol 360 parece suco, realmente, não existe carbonatação, aguada, não estufa, mas tambem não agrada, fraca.

    Estive em um churrasco que só havia Skol 360, os organizadores tiveram prejuízo, pois a cerveja é leve, aguada, intão foi uma atrás da outra.

    • Bom, se era liberada, realmente tomaram prejuízo né… A proposta é essa, infelizmente, de ser leve ao extremo, foi a forma como eles encontraram de estufar menos…

      • Marcos Machioni

        Haha, um senhor prejuízo, acho que a cerveja alcançou o objetivo, porém abriu mão da qualidade, a qual não possuia muito tambem, não faz diferença.

        Porém, se é pra um churrasco de final de semana, que você arma na hora, sem nada pronto, ela até que é uma boa opção, por gelar mais rapido e ser leve.

      • Marcos Machioni

        Haha, um senhor prejuízo, acho que a cerveja alcançou o objetivo, porém abriu mão da qualidade, a qual não possuia muito, não fez diferença.

        Porém, se é pra um churrasco de final de semana, que você arma na hora, sem nada pronto, ela até que é uma boa opção, por gelar mais rapido e ser leve.

  • A adição de água, como os colegas acima disseram, é lógica. A Antarctica Sub Zero não estufa, também, e é tão aguada quanto.

    Não gosto de Skol, e esse tipo de coisa (esse passar de perna no consumidor) só aumenta o meu desinteresse pela marca… E é o mesmo caso da latinha de 269 mls: O elemento me paga o mesmo valor da latinha tradicional, me bebe menos, e se satisfaz com invejável sagacidade. Macacos me mordam se logo, logo não lançarem uma 360 de 269 mls.

    “Bebabilidade”, hein?

    Abraços 🙂

    • Foda Kaique, a única vantagem que vejo na de 269ml é que ela realmente gela mais rápido, por causa da menor quantidade. E a probabilidade de desperdício diminui consideravelmente também.

      Tirando isso, o preço não justifica. Foda.

  • Realmente cerveja aguada é uma bela merda. Moro na Bahia e aqui a Brahma fresh faz um marketing até que grande (não sei no resto do país), só que ela é uma merda, justamente por ser muuuuito aguada. No quesito “baratas”, a Schin aqui na Bahia eu considero a melhor, mas a Skol normal também é muito forte… A 360° aqui não pegou não. Mas eu prefiro cervejas da Stella pra cima… Acabei de provar a Therezopolis, ainda não conhecia, e acha muito boa.

    • Fala Yan, a Brahma Fresh nem vende aqui no Rio, pelo menos eu nunca vi. Que continue assim 🙂

      Como falei, na Bahia, Nordeste em geral, a Nova Schin é bem forte, engraçado isso. Mas acredito que todos preferem de Bohemia, Original, Stella, Heineken pra cima 😉

      O que atrapalha é o preço mais alto. Mas acho que vale mais pagar um pouco mais caro e ter um produto de qualidade, do que encher a cara de algo ruim.

      • hehehe não tá perdendo nada por não vender aí.
        Ah, claro que sempre a gente vai preferir as melhores, mas tem gente que acha besteira pagar mais. Eu, particularmente, não acho. Claro que tem momentos em que a gente bebe as low-price mesmo, principalmente quando você tá com aquela galera quebrada da facul auhahuhauhua, mas sempre rola os amigos que tomam Stella, Heineken… E em casa, sozinho, gosto de tomar umas cervejas mais caras e mais raras… Aí é que é bom pra sentir o gosto de uma boa cerveja, com uma boa musica e um clima legal… Só quem não gosta quando eu faço isso é minha conta bancária kkk’.

  • Raul

    apos a otima materia do papo de bar resolvi correr até um barzinho e conferir pessoalmente essa tal de skol 360 tomei uma latinha até ae de boas nada de mais ; mas deçidi levar o ”teste” ao pé da letra e tomei mais umas 8 latas ; pois bem o resultado foi de estufamento totalmente igual do que seria se eu tivesse ingerido a mesma quantidade de original , de heineken ou de qualquer outra cerveja , o que se sente não é ”leveza” digamos assim , mas apenas que o sabor dela é menos concentrado e por sua vez bem mais aguada do que suas concorrentes. Ao meu ver uma cerveja normal q estufa como qualquer uma e é mais aguada . e minha conclusão final é que isso foi apenas um golpe de marketing da skol ! (na expectativa de que algum dia possam realizar esse intuito de uma cerveja saborosa com grande qualidade e baixo estufamento)

  • lucio

    É uma cerveja de massa, tipo é uma cerveja pra você beber aos litros, não para apreciar de verdade, bebidas em pouca quantidade nenhuma cerveja estufa, mas mesmo para quem gosta de beber bastante a skol normal ou a brahma são melhores, a 360 é sem gosto, sem graça.

  • david sousa viana

    ela é bem cremosa isso faz com ela desça maisredonda ainda.

  • Mortandelo

    Não gostei. Me pareceu um pouco com cerveja aberta ontem, guardada na geladeira e consumida hoje. Sem gás o suficiente. E sim, eu tomei umas 20 latas. Imaginem a mijadeira desenfreada. 360 só se for de graça.

  • joel martins

    É uma bebida estupidamente maravilhosa e gostosa de beber 100%Skol