Yes, we cana! Cachaça Pitu lança campanha

“A cachaça Pitu lança uma campanha inovadora chamada "Yes, we cana!", homenageando o reconhecimento nos EUA da cachaça ser genuinamente brasileira, acordo feito entre Obama e Dilma.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (4 votes, average: 9.25 out of 10)
Loading...

Bem vindos PdBs! Hoje vamos falar sobre cachaça! Essa delícia brasileira, que muitas vezes é preterida por aqui, lá fora faz um sucesso danado, principalmente agora, com a “ajuda dos EUA e da cachaça Pitu lançando o Yes, we cana!

E porque esse assunto?

Dilma e Obama brindando

É nossa!

É que na semana passada, mais precisamente dia 11 de abril, 1 ano após o início do processo de reconhecimento, ficou oficializado que para ser chamada de cachaça nos E.U.A., a bebida destilada tem ser fabricada no Brasil. Antes os caras colocavam o rótulo de “Rum Brasileiro” e achavam que estava tudo bem.

Mas o que isso muda para nós brasileiros?

Muda muito! Isso aumenta as exportações da bebida original e impede que a cachaça verdadeira seja produzida em qualquer outro lugar do mundo. Exemplos disso são a tequila, que só pode ser mexicana e o Champagne, que apenas pode ser proveniente da região de Champagne, no nordeste da França.

Antes apenas a Colômbia reconhecia nossa autêntica cachaça. Fora isso os E.U.A são um de nossos maiores importadores de bebidas e essa relação tende a crescer e gerar mais receitas pra nós. A ideia é que a venda da bebida para os americanos cresça 10 vezes em 5 anos. Isso é extraordinário para o mercado!

E como é esse acordo?

Garrafas de cachaça

Ta na mão!

Nossa parte no acordo foi reconhecer como “Legitimamente Americanos” os uísques tipo Bourbon e Tenesse, como Jim Beam e Jack Daniel’s. Justo! Outros países estão em negociações para reconhecerem também a cachaça como bebida brasileira e o grande foco é a Europa, que seria outro mercado gigante.

Com o reconhecimento, outro fator que muda é o marketing das cachaças. As marcas produtoras da bebida, terão que reforçar ou até refomular sua imagem, já que nos E.U.A. a caipirinha é mais conhecida que a própria cachaça. Mas com investimentos e um pensamento a médio e longo prazo, isso se dará com tranquilidade e os americanos em breve estarão amando ainda mais nossa famosa pinga!

Pitu lança “Yes, we cana!”

Campanha da cachaça Pitu Yes we cana

Quem pegou carona nessa onda, foi a Pitu que para divulgar a notícia, lançou a propaganda “Yes, we cana”, que ficou bem legal!

Achei bem interessante e gostei da “briga” do governo por uma causa como a cachaça. Isso, hoje, pode parecer quase nada, mas com a valorização da cachaça lá fora, a ideia é que melhore o produto que consumimos aqui também. E aí… Curtiram a novidade?

Aquele abraço!

Você também gostará desses

Campanha Desiberne e um ano de Colorado após compr... A parceria entre a Ambev e Colorado mostra sua força com a campanha nacional chamada Desiberne. Um comercial para a TV aberta e internet. Confira!
Champanhe 007 A marca de Champanhe francesa Bollinger patrocina mais uma vez o filme 007, agora o Skyfall. Lança um champanhe exclusivo do filme, que acompanha uma ...
#noMORROnaBOA: Morro abre as portas para inspirar ... A Antarctica celebra a integração entre moradores dos morros e o asfalto no Rio de Janeiro e inspira todos a vivenciar #noMORROnaBOA
Campanha Double Black A Johnnie Walker lançou uma campanha inusitada e interessante pra TV, onde pinta todo um cômodo de preto e depois coloca fogo, em alusão ao Black Labe...
Skyy Vodka: Encontre um motivo para dar uma festa A Skyy Vodka lança um projeto interessantíssimo, o "Encontre um motivo para dar uma festa", que mostra 4 minidocumentários sobre diversos assuntos com...
Cerveja Sol chega ao mercado! A Heineken traz a mexicana cerveja Sol para o Brasil com um belo vídeo contando a história da independência do México e o lançamento da cerveja. Confi...

Compartilhe:

  • Wallace Garradini

    Acho que esse comentário pelo Disqs é muito show de bola mesmo. Destruiu o clássico do Facebook.
    Vamos dizer não aos anônimos.

    • lincolnqjunior

      Realmente, ficou muito bom né!?