50 Tons de Tinder – Encontro 1

“Armando conta como foi o seu primeiro encontro, sua primeira experiência trágica com uma mulher do Tinder. Confira!”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (13 votes, average: 8.85 out of 10)
Loading...
  • “Como foi que isso aconteceu?” – ela me perguntou pelo chat do Tinder
  • “Da mesma forma que aconteceu com você: curtindo o perfil.” – respondi

Após uma série de perguntas típicas de questionário de RH, determinamos que o melhor seria usar o Whatsapp para conversar. Só então a conversa fluiu e marcamos um encontro: Segunda-feira na Praça São Salvador.

Assista também:

Atrasei como de costume. Pude ver, de longe, o ar de decepção dela com a minha imagem. Eu nem abri a boca e já sabia que tinha um fora para receber. Imediatamente, na minha lista imaginária de resoluções de solteiro, iluminei a opção “emagrecer”.

Casal tomando champagne

  • – Olá, você é a 1? – perguntei como se não soubesse
  • – Sou. Você é o Armando? – o desânimo em cada sílaba arrastava minha autoestima para o bueiro mais próximo. Propus uma cerveja.

Se há algo magnífico é a inteligência. 1 não só era inteligente como também era engraçada e repleta de histórias. Como a minha vocação é escrever, as pessoas sempre aguardam de mim um pouco de facilidade na hora de contar fatos interessantes. 1 era uma mulher tão incrível, que passei a maior parte da noite ouvindo as histórias que ela carregava na vida. Um pouco mais nova do que eu, 1 já tinha viajado o mundo numa espécie de trabalho comunitário. Fui tão envolvido pelas histórias dela que esqueci de falar de mim mesmo.

  • E quando você vai falar sobre você, Mandy? Posso lhe chamar de Mandy?
  • – Pode me chamar até de Ivete, mas não sei o que falar de mim quando você é mil vezes mais interessante do que eu. – respondi
  • – Mandy, mas assim fica difícil, né? Você já não é um deus grego, tem ao menos que ser interessante, né?
  • – Calma lá, 1! É o meu primeiro encontro depois do término. Tem que ter um pouco mais de paciência comigo.
  • – Não, Mandy! Você namorava há quanto tempo? Cinco anos!! Isso tudo!! Em tempos de internet?! Sem trair?! Sem ser corno?! Nossa, Mandy, você vai se dar muito mal nesse mundo.

Assim que 1 termina a frase, corri para o ambulante e peguei outras duas cervas. As coisas desandavam de forma assustadora. Estávamos na quarta gelada e só eu sentia os efeitos. Decidi que era hora de deixar de ser um bobinho e fazer uso da minha língua afiada

Homem trocando olhar com uma mulher e sorrindo

Vamos pra outro lugar?

  • – 1, é meia noite e a praça tá esvaziando. Vamos continuar esse chope em outro lugar?
  • – Ai, Mandy, tô achando que não vai rolar. Não é melhor cada um ir pra sua casa?
  • – Tá louca! Enquanto você estiver só achando, eu tenho chance.
  • – Eu tava sendo educada.
  • – Eu tô sendo persistente. – ela se levanta e vamos na direção dos bares do Flamengo.

Essa é a pior parte da “arte da sedução”. As pessoas gostam da persistência. Se elas sabem que vão ceder na base da persistência, por que não aceitam desde o princípio? Ao aceitar meu convite para, numa segunda-feira, estender a noite, é porque 1 sabe que eu tenho chances. Nem que seja 1% de chance.

Chegamos ao bar.

  • – Mas eu não posso ser tão ruim assim, 1. Você me curtiu.
  • – Você é novo no Tinder. Mulher bêbada no Tinder perde os escrúpulos, aceita qualquer coisa.
  • – Então o macete é curtir as minas sexta e sábado de noite?
  • – Quinta também, se você procura mulheres independentes, Mandy.
  • – Mas nada no meu perfil me ajuda?
  • – Você escreve, né? Coloca o seu site e muda as suas fotos. Quem lhe falou com uma foto sua, sem camisa e na piscina iria lhe ajudar em algo?
  • – É que tem mulheres que gostam de pelos…
  • – Mandy, pelos, Mandy?! Você jura?! – dou um belo gole no chope enquanto ouço 1 me detonar – E tem muita foto sua de óculos escuro. Eu sei que olho claro em gente feia é desperdício, mas tenta mostrar algo de bom que você tenha. Como seus olhos verdes, por exemplo.
  • – Assim eu me sinto sem esperança…
  • – E, Mandy, essa sua baixa autoestima cansa, sabia. Mulher quer homem seguro. Não adianta ter pegada, pau grande, ser inteligente e ficar fazendo draminha. Um homem inseguro se destaca na multidão como algo ruim. Se o cara tem pau pequeno, as pessoas só vão saber se a mulher contar que ele tem um “pau de tamanho normal”.
  • – Minha ex, falava isso de mim…
  • – Sua insegurança?
  • – Não. Pau normal.
  • – Melhor a gente pedir a conta.

Você também gostará desses

50 Tons de Tinder – Encontro 6 Armando consegue mais uma cocota do Tinder, numa daquelas histórias de chorar de rir. Só avisamos uma coisa, nunca use álcool gel como lubrificante. V...
O Canalha Inexperiente: Último Capítulo Chega ao fim nossa novela etílica, O Canalha Experiente. Confira o final da história, todo o desenrolar dela e a trajetória de um canalha que se ferro...
Água que passarinho não bebe, mas você sim Um conto etílico sobre cachaça, a vida e seus prazeres. No que a cachaça tem a ver com você? No que sua vida tem a ver com a cachaça?
Juliana Problema: Capítulo 4 Quarto capítulo da nossa novela etílica, Juliana Problema. Moya está em casa quando sua antiga ficante liga. Ele desvia, tenta fugir, mas no final vai...
Rufião – O Rei do Rio: Capítulo 8 Confira o oitavo capítulo da novela etílica mais alucinante. Rufiao, o Rei do Rio, onde mostra que o governador gosta de pegar traveco e se entrega na...
O Canalha Inexperiente: Capítulo 3 Terceiro capítulo da novela “Canalha Inexperiente”. Sobrou até pra coroa que é mulher do síndico. Tudo vai indo bem até que ele se sente "usado" por T...

Compartilhe:

  • Amanda que fez

    Adorei!!

    • Armando Moya

      Adorei você!

      • Zé Galvão

        opa

  • Tiago

    muito bom hahaha Esse Armando sofre em todos os contos!

  • Jaime

    Caramba Armando o que aconteceu com aquele cara do “Eu tenho 2 namoradas”?