homem ansioso bebendo

Os perigos de aliar ansiedade e bebida

“Quando as pessoas aliam ansiedade e bebida, as coisas podem não andar muito bem. Algumas precisam beber para perder a timidez, o que também não é correto.”

Vote neste artigo:
SóbrioAlegrinhoSemi-modafocaModafocaTem futuroNo brilhoAlucinadoCom a alma no céuComa AlcóolicoJeremias - O Retorno (2 votes, average: 10.00 out of 10)
Loading...

A correria da vida cotidiana, a necessidade de resolver tudo aqui agora, o caos do trânsito, as responsabilidades, as contas para pagar, um encontro esperado, tudo isso pode provocar um sentimento de ansiedade. Com isso, nosso corpo reage negativamente às cobranças de um mundo que gira cada vez mais rápido. E o perigo aumenta quando aliamos ansiedade e bebida.

O sentimento de inquietude, e por vezes pânico, começa a se tornar comum em todos os meios, fazendo com que seja reconhecido como o mal do século.

É importante que se diga que, ao contrário do que muitos podem pensar, não só elementos externos podem desencadear essa aflição, e todos estão suscetíveis a sofrerem seus malefícios, independente de idade, credo ou profissão.

A crise de ansiedade pode chegar pra qualquer um…

Copo de bebida no balcão

Algo mais alarmante: não só os que levam uma rotina estafante podem sofrer crises, já que elas podem chegar para qualquer um que viva algum momento de expectativa.

É preciso ficar atento aos sintomas do transtorno de ansiedade, que incluem tremores, dores no peito, tensões nos músculos, insegurança, sudorese excessiva e medo de falar em público, podendo variar de pessoa para pessoa.

Fugindo do medo, juntando ansiedade e bebida

Diante da situação, há ainda alguns que buscam meios paliativos para abrandar as sensações.

Um exemplo disso é alguém que utiliza o álcool para conseguir vencer a timidez de um encontro, por exemplo.

E como explicitamos em nossa matéria anterior sobre timidez, essa é uma mistura que definitivamente não combina.

A ciência explica

A busca pela bebida não é por acaso, já que a própria ciência explica que a substancia, além do fator prazeroso também provoca uma sensação próxima àquela trazida por remédios ansiolíticos.

Claro que não estamos falando que beber uma cervejinha ou um copo de vinho tinto irá causar dependência futura.

Mas é sempre bom observar se não há um excesso que poderá causar grandes problemas a longo prazo, já que segundo um artigo do Archives of General Psychiatry, abusar do álcool e outras substâncias pode desencadear o alcoolismo.

Finalizando

Quando as crises de ansiedade passam a se tornar constantes, trazendo malefícios e prejudicando as relações sociais, é aconselhável que se busque sempre a ajuda de algum profissional.

Somente ele poderá indicar o melhor método de tratamento tendo em vista os sintomas reais.

Sempre lembrando que, embora seja bastante comum, a automedicação sempre é desaconselhável, e pode tornar a situação ainda mais alarmante, já que tende a esconder os sintomas momentaneamente, maquiando as sensações e podendo causar outros males. Dentre eles uma nova dependência.

E você, é ansiosa(o)?

Você também gostará desses

Timidez e Álcool. Uma combinação que não combina.... Um paralelo entre a timidez e as bebidas. Como você pode perder a timidez bebendo com os amigos e que ela não combina com as bebidas alcoólicas.
Dicas de presentes para o Dia das Mães Todo ano se comemora o dia das mães no segundo domingo de maio, certo? Dá tempo de sobra de comprar pela web, dá tempo de mandar entregar se sua mãe m...
Tô de ressaca, fala baixo! Nada pior como um dia após uma longa bebedeira. Aquela dor de cabeça maldita e você sem saco para falar com ninguém. A famosa ressaca.
Cinco dicas de como se dar bem na balada Na hora H dentro da balada você trava e começa a suar frio? Confira algumas dicas de linguagem corporal aliadas ao bom-senso e comece a se dar bem.

Compartilhe:

  • Vitor Soarez

    Eu tenho ansiedade desde 2011. Passei um bom tempo sem saber o que era. Ficava em pânico quando vinham as crises e eu não fazia ideai do que era aquilo. Achei várias vezes que estava ficando louco. De uns dois anos pra cá que consegui compreender que tenho ansiedade. Hoje já consigo controlar mais e tenho noção do que fazer.
    Em relação à bebida, eu espero que isso não aconteça, mas ainda não bebo com a intençao de me sentir melhor, mas confesso que quando bebo, sinto muito forte que a ansiedade vai embora. É como se eu conseguisse voltar a ser a pessoa que era antes de desenvolver essa ansiedade. Consigo até me concentrar mais. Se eu estiver bebendo em casa num dia de folga e tem alguma coisa pra fazer, e vou fazer aquilo bebendo… tipo, instalar uma prateleira na parede por exemplo, eu consigo fazer sem problemas. Geralmente, quando não estou bebendo, tenho um deficit de atenção muito grande. Sem beber talvez eu levaria horas até instalar aquela prateleira pq o tempo todo eu mudo o foco das coisas que vou fazer, como ficar olhando o celular e essas coisas. E eu percebi quando estou num leve estado de embriagues, pra mim que não bebo muito, umas três ou quatro latinhas já começam a me deixar um pouco mais falante, eu consigo focar mais nas coisas, o raciocínio fica mais rápido, consigo prestar atenção numa leitura, numa conversa… enfim.
    Vai de pessoa pra pessoa. Porém é perigoso pq muita gente pode acabar achando que isso é uma solução, e na verdade não é e nunca será.

    • Legal compartilhar, Vitor. É bem complicado isso. A ideia é não deixar que isso vire uma dependência e que você não pense que só conseguirá fazer as coisas com mais atenção e foco quando estiver bebendo

      Tem que tentar melhorar isso 🙂

      • Vitor Soarez

        Vlw, Dono do Bar. Vou melhorar sim! As coisas vão clarear.