Vamos beber uma cerveja? – Isso é o início de tudo para o carioca

Salve, salve, nobres amigos PdBs! Moro no Rio de Janeiro e de vez em quando me pego pensando sobre o quão admirado é o povo carioca. Sem bairrismo, sem querer ser melhor que ninguém, mas nossa cidade e a população que aqui habita formam uma mistura realmente admirável. E como isso acontece? Vamos começar pelo início? Então vamos beber uma cerveja!

Ahhhhhh os cariocas…

Troll com cigarro

O carioca é naturalmente um ser humano relaxado. Trabalha como todos, mas não se prende tanto a horários, roupas formais e todas as demais regras a serem seguidas. Ele acorda no seu tempo, dá uma volta na praia, seja para uma caminhada, um passeio com o cachorro, um futevôlei ou uma corrida na orla. Aí sim seu dia começa.

Chega no trabalho, dá uma olhada nas notícias, se intera sobre alguma novidade na empresa e senta para trabalhar. Produz bem durante seu expediente, mas adora o almoço com os colegas de trabalho, ainda mais sexta-feira, quando já rola um choppinho sem julgamento.

Às 18 horas está liberado para fazer o que quiser. O Rio de Janeiro tem suas atrações e quem aqui vive, conhece becos e regiões não exploradas por turistas e isso é bom demais. Pode ir, se quiser ou pode fazer nada em sua casa, seja acompanhado ou sozinho. Nada de obrigação. As opções estão aí, basta escolher.

Chegando a sexta-feira, vamos beber uma cerveja…

homem com copos cerveja

Bora beber!

A noite de sexta-feira é sempre ansiosamente aguardada por marcar o início do final de semana. Ali as coisas acontecem e a programação dos próximos dias começa a ser traçada. Conhecer alguém na balada ou no barzinho de sexta, é fácil. Reencontrar a pessoa já é outro papo.

O diálogo é sempre o mesmo:

  • – Vamos beber uma cerveja amanhã?
  • – Claro!
  • – Te encontro na praia.
  • – Show! Qual praia?
  • – Ipanema, Posto 9.

Só isso?

Pronto! O date do sábado está marcado.

Mas como assim?

Que horas? Onde exatamente no Posto 9? Ele(a) vai me ver de roupa de banho logo de cara?

Será o segundo encontro e o carioca não está nem aí para essas questões. Ele simplesmente irá à praia e te encontrará. A praia é a casa dele e quem vem de fora são suas visitas, que ele, educadamente, gosta de receber bem. Chega, cumprimenta o dono da barraca, para do lado do convidado, despe suas roupas e senta na areia.

Isoporzinho na praia do Rio

Vem aquele isopor com cerveja, das quais ele abre duas, uma para cada, faz um brinde simples, abre um sorriso e bebe o primeiro gole. O papo flui naturalmente e mais um “amigo(a)” está feito. A praia sempre une as pessoas. Combinam algo para a noite (ou não), mas já há aquela certeza que a praia do dia seguinte está marcada, no mesmo local e sem horário muito bem estipulado.

Ao término do final de semana, ele está feliz, pois aproveitou, fez programas que curte, conheceu pessoas novas e já está planejando o próximo ou, ao menos, a sexta-feira.

Finalizando

A vida é simples, as pessoas é que complicam. Vamos aproveitar o que temos e ser feliz! Isso que importa, afinal viemos ao mundo para amar e buscar nossa felicidade.

Aquele abraço!

Você também gostará desses

Como virar um Cervegênio? Quer saber mais sobre cerveja? Que tal virar um Cervegênio sagaz? Um cara que bebe bastantes cervejas artesanais e conhece sobre elas? Vem com a gente...
Bebida de mulher? Você acha que cerveja não é coisa de mulher? Você sabia que a primeira pessoa a produzir cerveja foi uma mulher? Que temos uma Deusa da Cerveja chamad...
As 6 melhores bebidas para você mandar bem Saber o que fazer é sempre importante. Que tal aprender como consumir e se comportar com as 5 melhores bebidas para você mandar bem?
Arte Moderna e cerveja: uma crítica diferente! Veja uma uma crítica diferente sobre o tema Arte Moderna e cerveja. Design de algumas latas pela visão do renomado Milton Glasser e Afonso Tresdê. Con...
Os cinco sentidos da cerveja Confira o que muda nos cinco sentidos na hora de beber uma cerveja. O paladar muda? Será que o aroma, o tato mudam se você beber uma cerveja de forma ...
Mulheres e Cerveja: relação de séculos Se você ainda pensa que "cerveja não é coisa de mulher", você precisa acordar por mundo atual ou minimamente estudar história.